Hormônio Luteinizante Baixo e Alto: qual o valor normal?

O hormônio luteinizante tem uma função muito importante no ciclo fértil feminino.

Ele é responsável pelo amadurecimento dos óvulos e produção de progesterona, hormônio importante para a gravidez.

E não é apenas no organismo da mulher que esse hormônio atua em prol da fertilidade.

Nos homens, ele tem relação com a fabricação de espermatozoides e também com a produção de testosterona.

função do hormônio luteinizante

Para entender mais sobre a importância do hormônio luteinizante, veja informações sobre a função desse hormônio e o que acontece quando ele se encontra em quantidades acima ou abaixo do normal no organismo.

O que é hormônio luteinizante?

O hormônio luteinizante, mais conhecido como LH (Luteinizing Hormone), é um tipo de enzima que desempenha um papel fundamental no ciclo reprodutor feminino.

Veja também: Sistema Reprodutor Feminino

Produzido pela hipófise, ele estimula o amadurecimento dos folículos ovarianos durante o período fértil da mulher. Isso ocorre com a combinação do hormônio luteinizante com o hormônio folículo-estimulante (FHS).

Conforme os folículos crescem, eles se tornam óvulos, até alcançarem o tamanho ideal para eclodir. No 14 º dia do ciclo da mulher, há um aumento na produção do LH, o que resulta no desencadeamento da ovulação.

hormonio luteinizante baixo

(Foto: Gesundheitsforschung)

Durante o período ovulatório, o LH é encontrado no organismo da mulher em uma quantidade mais elevada. Nas outras fases do ciclo menstrual, esse hormônio também se encontra presente, mais em uma concentração mais baixa.

Qual é a função do hormônio luteinizante?

O LH está diretamente ligado à capacidade reprodutiva das mulheres e também dos homens. Em reação às mulheres, o hormônio leva à maturação dos óvulos, que se tornam aptos para serem fecundados pelo espermatozoide.

O LH estimula a formação do corpo lúteo, que inicia a fabricação de progesterona, indispensável para a gravidez.

Entenda sobre: Progesterona

Pode-se dizer que, quanto maior for a quantidade do hormônio luteinizante no organismo da mulher, maiores as chances dela ovular.

Os homens também possuem o LH, que age em suas células testiculares. Nesse caso, o hormônio atua na produção de espermatozoides e na fabricação de testosterona para estimular o desejo.

hormonio luteinizante alto

(Foto: Faithful to Nature)

Por esse motivo, o casal que deseja engravidar deve fazer um acompanhamento para analisar quais os níveis de LH no organismo.

Ao avaliar a concentração de LH no sangue, é possível:

  • Fazer o diagnóstico de infertilidade;
  • Verificar o motivo da menstruação estar ausente;
  • Avaliar a quantidade de óvulos produzidos pela mulher;
  • Avaliar como está a produção de espermatozoides no homem;
  • Identificar se a mulher se encontra na menopausa;
  • Diagnosticar tumores na hipófase e alterações ovarianas.

Valores de referência do exame

Com um simples exame de sangue pode-se verificar a quantidade presente do hormônio luteinizante no organismo. Para que a análise correta do resultado seja feita é preciso que seja comparada a outros exames.

O teste de LH geralmente é realizado para possibilitar uma avaliação da capacidade reprodutiva da pessoa. Além disso, também contribui para diagnosticar alterações que precisem de tratamento.

hormônio luteinizante homens

(Foto: CSID)

Os valores de referência do exame apresentam variação de acordo com o gênero e idade. No caso das mulheres, também está relacionado com a fase em que se encontra o ciclo menstrual.

Assim, a quantidade de hormônio no organismo da mulher está diretamente relacionada com o período em que ela vai ovular. Desse modo, os valores de referência são:

  • Antes da puberdade: menos de 1 mUI /L
  • Fase folicular: entre 2 e 10 mUI /L
  • Fase ovulatória: entre 10 e 60 mUI /L
  • Fase lútea: entre 0,5 e 12 mUI /L
  • Menopausa: entre 10 e 70 mUI /L

O LH pode ser captado nos testes de fertilidade. Desse modo, quanto mais forte ficar a linha da tira do teste, mais hormônio há no organismo. Caso a linha de teste fique mais forte que a linha de controle, a ovulação vai acontecer entre 12h e 24h.

Apesar do homem não apresentar um pico de LH como acontece com a mulher, é importante que ele realize o teste para avaliar sua fertilidade. Afinal, esse hormônio está relacionado com a fabricação do espermatozoide. Os valores para os homens são:

  • Antes da puberdade: menos de 1 mUI /L
  • Adulto: entre 1 e 9 mUI /L

Leia ainda: Infertilidade Masculina

Hormônio luteinizante alto

A quantidade elevada do hormônio luteinizante no organismo pode indicar a presença de alguma condição ou distúrbio, como ovários policísticos.

Os níveis elevados também são comuns em mulheres que se encontram muito acima do peso.

Em homens, o aumento nos níveis do hormônio pode estar relacionado à infertilidade ou puberdade tardia.

Como há várias causas relacionadas ao alto nível de LH no sangue, o médico geralmente solicita outros exames complementares.

hormônio luteinizante fase lútea

(Foto: Medical News Today)

Os problemas que podem estar relacionados ao aumento da concentração de LH são:

Os níveis do hormônio luteinizante podem ainda aumentar durante a gravidez. Isso acontece porque, na gravidez, o organismo passa a produzir o hormônio hCG, que muitas vezes é confundido com o LH nos exames.

Saiba mais: Resultado de exame HCG qualitativo e quantitativo

Quando os valores de LH estão muito acima dos níveis normais e o casal pretende engravidar, é fundamental iniciar o tratamento o quanto antes.

O tratamento tem como finalidade reequilibrar as quantidades de hormônio no organismo.

Em geral, o tratamento é feito com o uso de outros hormônios, o que  depende de cada caso. Desse modo, o organismo passa a funcionar normalmente, possibilitando a gravidez.

Hormônio luteinizante baixo

A diminuição da quantidade de LH no organismo pode levar a mulher a ter a ausência da menstruação (amenorreia). No homem, as consequências podem ser uma quantidade menor na produção de espermatozoides.

As quantidades de LH abaixo dos valores de referência podem indicar:

  • Alteração na hipófise;
  • Síndrome de Kallmann;
  • Hiperprolactinemia;
  • Deficiência da produção de gonadotropina.

A dosagem do LH deve ser avaliada por um médico, que indicará qual o melhor tratamento. Em geral, as quantidades são normalizadas com o uso de uma suplementação hormonal.

Com os níveis regularizados do hormônio luteinizante, o organismo volta a funcionar de forma normal, aumentando as chances de engravidar. Assim, é importante que o casal que deseja ter um bebê realize o exame de LH.

Confira também: Dicas para engravidar