Ultrassom Obstétrico: o que é, para que serve, como é feito

A cada fase da gestação, o ultrassom obstétrico tem uma finalidade específica, tornando-se um exame de rotina


Apesar de a maioria das pessoas terem o conhecimento do que é um ultrassom, nem todos conhecem suas variedades e quais são as funções que cada um deles têm. É o caso do ultrassom obstétrico, que serve não apenas para descobrir o sexo do bebê, mas também para avaliar como está a saúde e desenvolvimento dele no ventre materno.

Por meio desse exame, que é feito em diferentes momentos da gestação, os pais podem reduzir a ansiedade em relação ao bebê e, em alguns casos, se ele precisa ou não receber cuidados especiais.

Neste artigo, esclareceremos como esse exame efeito e qual é a sua utilidade, além da importância de ser realizado em diferentes etapas da gravidez.

   

O que é ultrassom obstétrico?

O ultrassom obstétrico é um exame considerado comum, sendo ele feito durante a gravidez para acompanhar a mãe e as etapas do desenvolvimento do bebê em seu ventre.

Esse exame é efeito desde as primeiras semanas até a chegada do parto, e é capaz de mostrar detalhadamente o bebê, revelando o seu sexo e também o tempo da gravidez, além de revelar imagens do útero e do ovário da mãe.

O ultrassom obstétrico é feito de maneira simples com o uso de um aparelho que emite ondas sonoras que tocam a região da barriga da mãe, projetando imagens internas apontando cada área vazia e não vazia.

Receba notícias do Gestação Bebê. É grátis!

messengerFacebook Messenger

Tudo sobre gravidez e filhos pelo chatbot do Gestação para o Facebook Messengergestação botao

Conforme o som é emitido, ele projeta a imagem na tela do exame, desenhando minunciosamente o material que os seus tons encontram ou não.

Por meio desse exame é possível detectar se existe algum tipo de problema ou anomalias no feto. Como vários desses problemas podem ser solucionados quando são descobertos precocemente, é essencial que o exame seja feito durante o pré-natal, de modo a evitar possíveis complicações que podem colocar em risco tanto a vida do bebê quanto a da mãe.

A técnica não faz uso de radiação ionizante (como efeito no raio-x), não apresentando radiação ou nenhum tipo de efeito colateral, sendo por isso considerado um exame seguro para a mãe e para o bebê.

Para que serve?

Muitas são as dúvidas sobre as funções desse tipo de ultrassom. Por meio dele, a mãe pode receber importantes informações sobre a saúde do filho.

como é feito a ultrassom obstetrico

Durante o primeiro semestre da gestação, o ultrassom obstétrico tem como finalidade avaliar se a gravidez ocorre de forma normal. Ele não consiste na melhor maneira de identificar se a mulher está grávida nas primeiras semanas, pois só é possível visualizar o feto após 5 semanas de gravidez.

Nesse período, pode-se verificar a presença de um saco gestacional e também da vesícula vitelina, que envia os nutrientes para o feto.

O exame também permite investigar e avaliar como está a situação da placenta, sendo por isso importante para que seja possível descartar a possibilidade de um aborto no início da gestação. Além disso, também permite verificar como está o batimento cardíaco do bebê.

No segundo e terceiro semestres, o exame é usado para identificar a idade gestacional, o sexo do bebê, como está o seu desenvolvimento e posição. Se existir algum problema no desenvolvimento do feto, o ultrassom será poderá revelar, além de permitir verificar a data provável do parto.

A estimativa da idade gestacional é feita de forma mais precisa por meio do ultrassom obstétrico do que usando como base a última data em que ocorreu a menstruação (principalmente quando é o caso de a mulher ter um ciclo menstrual irregular ou não saber exatamente quando ocorreu a última menstruação).

Para determinar a idade gestacional, leva-se em conta o tamanho do saco gestacional e a medida entre a cabeça e nádega do bebê.

ultrassom obstetrico a partir de quantas semanas
(Foto: Healthline)

Quando a gravidez ainda é muito recente, outros fatores também são levados em conta, como a presença do batimento cardíaco, visualização da vesícula vitaliza e do embrião no útero.

Confira abaixo a lista apresentando os usos mais comuns da ultrassonografia obstétrica:

  • Confirmar se há a presença de um embrião vivo;
  • Estimar o tempo da gestação;
  • Determinar se a gravidez é de um ou mais bebês;
  • Verificar a posição da placenta;
  • Determinar se há riscos de abortamento;
  • Avaliar a saúde e o desenvolvimento do feto;
  • Determinar a espessura da transparência nucal;
  • Observar se existe algum tipo de anomalia congênita no feto;
  • Verificar a quantidade de líquido amniótico ao redor do bebê;
  • Determinar se a implantação do embrião ocorreu dentro (gestação tópica) ou fora do útero (gestação ectópica);
  • Verificar a posição do feto, o que é importante quando a gestação está no final;
  • Observar se houve a ocorrência de um abortamento embrionário ou morte do feto.

Qual o preço do exame?

Pode acontecer de o preço variar bastante dependendo da clínica e laboratório onde o ultrassom será realizado. Por essa razão, há clínicas populares onde o preço fica em torno de R$ 80, enquanto que em outras pode ultrapassar de R$ 300.

A boa notícia é que esse tipo de ultrassom consiste em um dos que são mais baratos. Além disso, ele geralmente tem cobertura nos planos de saúde e também é oferecido pelo SUS, onde não é preciso pagar.

Quando e como é feito?

A maioria dos médicos concordam que esse exame pode ser feito em três diferentes períodos da gestação sem apresentar nenhum problema.

Apesar de o mais comum é que eles sejam feitos entre 3 a 4 vezes, não há um número exato de vezes em que ele é realizado. Isso vai depender de a gestante se encontrar ou não saudável e se ela apresenta queixas ou fatores de risco.

A quantidade de exames feitos durante toda a gravidez vai variar de uma gestação para outra, de acordo com possíveis alterações encontradas no exame de imagem ou em exames de sangue realizados anteriormente pela gestante.

ultrassom obstétrico

Como acontece de a maioria dos consultórios de obstetras já contarem com a presença de um aparelho de ultrassom, é comum que o exame seja realizado a cada consulta pré-natal.

Porém, não há estudos que indiquem que o fato de realizar diversos exames de ultrassom durante as consultas tenha alguma vantagem para a mãe ou para o bebê.

Não é indicado que o exame seja feito logo nas primeiras semanas da gestação, pois ainda não há muita informação do embrião que possa ser avaliada. Isso pode, inclusive, fazer com que a mãe tenha uma impressão ruim ao ver a tela vazia.

Por conta disso, geralmente a realização do ultrassom obstétrico se dá entre 13 e 14 semanas de gravidez, quando já é possível identificar o sexo do bebê, pois é o período em que os órgãos sexuais já estão formados.

Nessa etapa da gravidez também já se pode verificar se há o risco de síndrome de Down ou outros tipos de anomalias por meio do ultrassom.

Consiste em um exame indolor, seguro e não invasivo, onde são produzidas as imagens do interior do ventre por meio das ondas sonoras. Para que aconteça a realização do ultrassom, usa-se um pequeno transdutor e um gel especial, que é aplicado na pele da paciente.

Através do gel passado na região da barriga, ocorre a transmissão dos sons de alta frequência.



O transdutor é responsável por fazer a coleta dos ecos que retornam do corpo. Em seguida, essas ondas sonoras são transformadas em imagem quando passam pelo computador, o que acontece em tempo real. Dessa forma, é possível observar a estrutura e também os movimentos dos órgãos.

para que serve

Já o ultrassom obstétrico com translucência nucal, além de informar a duração da gravidez, faz a medição de um espaço que existe na nuca do feto, avaliando o acúmulo de líquido. Isso ajuda a identificar se existe ou não alguma anomalia, como a síndrome de Down (que, no caso, deve ser confirmada com a combinação de outros exames).

Para que o exame de ultrassom obstétrico com translucência nucal apresente um resultado preciso, ele deve ser feito antes de a gravidez chegar a 14 semanas. Isso porque, nesse período, ainda há um espaço “vazio” na região da nuca do feto, deixando-a translúcida para que possa aparecer no ultrassom.

Diferença entre ultrassom obstétrico e morfológico

O ultrassom morfológico é uma fase do obstétrico, sendo realizado por volta de 20 a 24 semanas de gestação. Esse ultrassom tem um tempo de duração mais demorada do que o obstétrico, pois pode variar entre 20 e 40 minutos.

O ultrassom morfológico também não requer preparação. No primeiro trimestre ele indica se existe o risco de alterações estruturais e doenças genéticas no bebê. Já no segundo semestre, é avaliada detalhadamente a morfologia do feto, onde é possível excluir por volta de 85% de possíveis más formações.

Enquanto que o ultrassom obstétrico avalia o crescimento do feto, quantidade de líquido amniótico, entre outros, é durante o ultrassom morfológico onde os pais podem visualizar a anatomia do bebê. Por esse motivo, esse consiste em um momento muito especial, pois é quando os pais podem finalmente conhecer o bebê.

Nesse ultrassom já é possível visualizar com clareza os órgãos do bebê, seu tamanho e desenvolvimento. A coluna, veias e artérias também podem ser vistas de forma mais detalhada. Ainda é feita a verificação do médico a respeito da existência ou não de defeitos cardíacos ou doenças graves.

ultrassom obstetrico e morfologico qual a diferença

Por meio do exame é possível medir a cabeça do bebê, bem como a do fêmur e circunferência abdominal. Isso permite avaliar se o crescimento está acontecendo de maneira adequada.

O uso do doppler nesse exame serve para que o médico possa avaliar o fluxo sanguíneo do bebê através de veias e artérias pelo corpo, como pernas, braços, abdômen ou órgãos. Assim, pode-se verificar se há algum tipo de problema de circulação sanguínea e de oxigenação.

Além disso, pode-se verificar a posição da placenta através do ultrassom morfológico, o que permite avaliar se ela está obstruindo a saída do útero, o que é chamado de placenta prévia.

Muitas vezes, esse tipo de ultrassom não é realizado pelo obstetra, mas sim pelo radiologista ou por um obstetra que seja especializado em ultrassonografia morfológica fetal.

Veja quais são as diferenças entre ultrassom morfológico do ultrassom obstétrico:

Ultrassom obstétrico

  • É realizado durante toda a gestação;
  • Tem como finalidade verificar o desenvolvimento do bebê, ouvir seus batimentos cardíacos e confirmar o sexo;
  • É indicado para todas as gestantes;
  • Dura entre 10 e 32 minutos.

Ultrassom morfológico

  • É feito entre 18 a 24 semanas de gravidez;
  • Tem com o objetivo verificar mais detalhadamente a anatomia e morfologia do feto. Também avalia se há indícios de doenças genéticas;
  • Indicado para que todas as gestantes verifiquem o andamento do desenvolvimento do bebê;
  • Tem o tempo de duração entre 20 e 40 semanas.

Dicas na hora de fazer o ultrassom

O recomendado é que a gestante sempre vá acompanhada do parceiro ou de algum familiar. Dessa forma, fica mais fácil aguentar a ansiedade e também é possível compartilhar a emoção de ver o bebê.

ultrassom obstetrico é pela barriga

Esse tipo de procedimento geralmente não requer uma preparação especial da paciente. Como o exame efeito na região inferior do ventre, apenas essa área é exposta. Por esse motivo, o recomendado é que a gestante use uma roupa folgada de duas peças para facilitar o exame.

Além disso, é indicado que a mãe coma um chocolate ou outro alimento rico em carboidrato antes de fazer o exame. O motivo para isso é porque, o ingerir esses alimentos, o bebê tem a tendência de se movimentar mais, possibilitando melhores imagens.

Outra dica é evitar levar crianças para os exames, a não ser quando chegar o momento do último exame. Isso evita acontecer de a mãe receber a notícia de que alguma coisa não vai bem na frente dos filhos (apesar de as chances de isso acontecer serem baixas).

Como foi possível ver neste post, o ultrassom obstétrico é feito de maneira simples e consiste em uma etapa fundamental para que seja possível avaliar como está o bebê. Por esse motivo, ele deve ser feito por todas as gestantes conforme a indicação do médico.

Referências

universodasaude.com/ultrassom-obstetrico

cedeco.com.br/o-que-e-e-como-e-realizada-a-ultrassonografia-obstetrica

diagnosis.com.br/servicos-ultrassom/ultrassom-obstetrico

clinicasim.com/outras-cidades/exames/ultrassom-obstetrico

soloinfantil.com/gestante/ultrassom-obstetrico

mdsaude.com/2014/06/ultrassom-gravidez.html

revistacrescer.globo.com/Gravidez/Saude/noticia/2013/02/ultrassom-entenda-como-funciona-o-exame-e-o-que-esperar-de-cada-resultado.html

tomocenter.com.br/ultrassom-obstetrico-entenda-o-exame-e-seus-beneficios-para-gestante-e-o-bebe

Ultrassom Obstétrico: o que é, para que serve, como é feito
Avalie esta matéria!

- Publicidade -

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*