Search
Search
X

Placenta Grau 0, 1, 2 e 3: o que é, o que significa, sintomas

As principais funções vitais de um bebê são de responsabilidade exclusiva da placenta, mas a sua importância vai muito além disso

A placenta possui várias funções durante o período da gestação, mas ao longo da gravidez pode apresentar alterações que trazem riscos e complicações para o bebê e para a mamãe.

Durante a gestação é classificada em graus que variam do 0 ao 3. Mas o que pode apressar um parto são as condições que a placenta está, e não o grau.

Entenda a importância desse órgão para o desenvolvimento do bebê e o que determina a sua classificação no decorrer da gravidez.

O que é placenta?

A placenta é um órgão indispensável para a formação do bebê, mantendo-o vivo até o momento de nascer.

O tecido da placenta começa a se formar logo após a implementação do óvulo na parede do útero, desenvolvendo-se por completo ao final do primeiro trimestre da gestação.

placenta

A placenta filtra o sangue de substâncias prejudiciais (Foto: enhancelife)

Com o avanço da gravidez, há o aumento do peso e volume da placenta, acompanhando o crescimento fetal.  Ela é irrigada por vários vasos sanguíneos, recebendo o sangue materno, que é rico em nutrientes e oxigênio para o bebê.

Após o parto normal, ocorre a sua eliminação de forma espontânea.

Função da placenta

Entre as funções da placenta para a manutenção e evolução da gravidez estão:

  • Fornecimento de nutrientes e oxigênio ao bebê
  • Transferência de calor
  • Proteção do bebê contra infecções
  • Produção de hormônios
  • Excreção de resíduos produzidos pelo feto (como urina)
  • Proteção do bebê contra impactos na barriga da mãe

Para que serve

Através da placenta ocorre a troca entre as circulações sanguíneas da mãe e do bebê através do cordão umbilical. Dessa forma, é oferecido tudo o que é necessário para o desenvolvimento do bebê, como o oxigênio e o combate a infecções.

É também através da placenta que hormônios essenciais para a manutenção da gravidez são segregados (como a progesterona, gonadotropina coriónica, estrogénios, hormona lactogénica).

O que significa placenta grau 0,1,2,3?

Com o avanço da gestação, a placenta começa a “envelhecer”, tornando-se mais dura e calcificada. Esse é um processo natural e que não causa riscos para o bebê.

Para que serve a placenta

(Foto: enhancelife)

Porém, esse envelhecimento pode ser acelerado devido a alguns fatores, como hipertensão arterial, tabaco ou infecções. Por isso, é necessário monitorar o grau da placenta para avaliar se o bebê está recebendo os nutrientes e oxigênio adequadamente.

O grau da placenta é medido através da ecografia e vai de uma escala de 0 a 3. Quanto maior for o número da escala, mais “envelhecida” a placenta está, como é mostrado a seguir:

  • Placenta Grau 0

Considerado o grau mais comum no primeiro semestre da gravidez. Nesse estágio, a placenta apresenta uma aparência homogênea e sem nenhum sinal de calcificação.

  • Placenta Grau 1

A placenta começa a mostrar sinais de desgaste a partir do segundo trimestre da gravidez. Nesta fase, ela possui uma textura ondulada e algumas calcificações. O envio de nutrientes e oxigênio para o feto continuam eficientes até por volta de 28 a 30 semanas.

  • Placenta Grau 2

Durante essa fase (que se mantém até 36 a 37 semanas da gestação) a calcificação se intensifica, principalmente na região onde a placenta se liga ao útero.

  • Placenta Grau 3

Esse grau é considerado o máximo de maturidade da placenta, onde a calcificação se encontra acentuada e difundida. Apesar disso, a placenta pode realizar sua função até o término da gestação, não sendo necessário antecipar o parto.

Porém, se a gravidez atinge Grau 3 antes de 34 semanas, o bebê pode se desenvolver em um ritmo inferior. Por essa razão, o obstetra pode aumentar a frequência das ecografias para acompanhar o desenvolvimento do feto, além de recomendar descanso e um reajuste na alimentação da mãe.

O que é placenta baixa? 

A placenta baixa (ou placenta prévia) tem como característica a localização mais abaixo no útero do que o ideal, que seria no alto do útero. Ao invés disso, a placenta fica localizada próximo ou acima do colo do útero, dificultando o parto normal.

Descolamento de placenta

(Foto: MediMetry)

Em casos mais delicados, há a recomendação de repouso para evitar sangramentos e, caso necessário, a gestante precisa ser internada para monitoramento.



Não há causas aparentemente relacionadas aos casos de placenta baixa, mas existem alguns fatores que podem contribuir para esse quadro, como:

  • Útero em formato diferenciado
  • Várias gravidezes anteriores
  • Gravidez gemelar
  • Curetagem mal executada

Placenta baixa pode subir?

Há casos onde a placenta baixa começa a subir com o avanço da gestação, passando a se localizar no local correto. Caso a placenta se localize parcialmente baixa até 20 semanas de gestação, ainda é possível que ela suba e se localize de maneira correta.

Descolamento de placenta: Riscos para o bebê

O deslocamento da placenta pode fazer com que o bebê nasça muito cedo ou com baixo peso, além de causar sequelas no desenvolvimento da criança devido à falta de oxigenação.

som do utero

(Foto: Spine-Health)

Em casos mais graves, pode resultar em sofrimento fetal e até na morte do bebê.

Descolamento prematuro de placenta

O mais provável é que o deslocamento prematuro aconteça nas 12 últimas semanas da gestação. Entre as causas principais desse quadro estão:

  • Perda rápida de líquido amniótico
  • Lesão abdominal
  • Pressão arterial elevada
  • Fumar durante a gravidez
  • Mãe com mais de 40 anos

Sintomas de descolamento 

Os sintomas clássicos que podem indicar o deslocamento da placenta são o amadurecimento uterino precoce (Distócia funcional), dores nas costas ou no abdômen, sangramento vaginal e rápidas contrações uterinas.

Em caso de apresentar algum sintoma que caracterize em deslocamento prematuro é necessário buscar atendimento médico imediatamente.

Som da placenta

Enquanto o bebê está dentro da placenta ele não fica em completo silêncio, pois é possível ouvir constantemente as atividades do corpo da mãe, como a respiração, sangue correndo nas veias, funcionamento do estômago e intestino, batimento do coração, etc.

Há algum tempo foi descoberto que o som da placenta tem a capacidade de acalmar os bebês. Relatos de mães confirmam que seus bebês param de chorar ao ouvir o áudio que reproduz o som do útero.

Esses áudios são encontrados facilmente na internet e podem fazer o recém-nascido adormecer em alguns minutos.

De acordo com especialistas, o motivo é porque nem sempre os bebês choram porque estão com fome, sede ou sono, mas porque se sentem inseguros.

Por isso, ao ouvir o som semelhante ao que ouviam na placenta, sentem a segurança do ambiente protegido de quando estavam no útero materno.




Placenta Grau 0, 1, 2 e 3: o que é, o que significa, sintomas
4 (80%) 1 vote



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*