Curva glicêmica da gestante: valores referência do exame

O exame de curva glicêmica em gestantes é essencial para que seja possível diagnosticar uma diabete gestacional ou diabete tipo 2, o que pode ser prejudicial tanto para a saúde da mãe quanto para a saúde do bebê.

O controle da glicose durante a gravidez é essencial para evitar que ocorram complicações no parto e que o bebê possa apresentar problemas de hipoglicemia. O parto prematuro também é um risco relacionado à alta taxa de glicose. Conheça a seguir quais são os valores que precisam de cuidados.

O que é curva glicêmica?

A curva glicêmica, ou teste oral de tolerância à glicose, consiste em uma representação gráfica que mostra como o açúcar se comporta no sangue depois de determinado alimento ser ingerido.

interpretação curva glicemica

Dessa forma, é possível avaliar com que velocidade o carboidrato é ingerido. Se o açúcar chega ao sangue de forma lenta, a curva glicêmica é considerada baixa. Caso contrário, é chamado de curva glicêmica alta.

Como é feito o exame de curva glicêmica

O exame é geralmente requisitado por volta de 24 a 28 semanas de gestação e dever ser feito sem que a mulher tenha consumido algum alimento ou água. O jejum deve ser entre 8 a 12 horas e a coleta de sangue é feita durante a manhã.

O exame de curva glicêmica pode durar algumas horas (variando entre 3 a 6) quando o médico solicitar até 5 coletas para serem analisadas. Por estar em jejum, a paciente permanece sentada ou deitada durante todo o processo, pois pode apresentar tonturas.

Antes do exame, nenhum exercício físico pode ser feito, pois isso pode interferir nos resultados devido às alterações que causa no sangue. Certos tipos de medicamentos devem ser evitados pois também podem provocar alterações nos resultados.

Após a coleta de sangue, a gestante precisa ingerir um copo contendo glicose líquida ou misturada em pó e água. Depois de cerca de 5 minutos, é feita uma nova coleta.

exame curva glicemica preparo

Foto: Eimaimama

Valores de referência do exame

Para ser considerado normal, os valores de referência do exame deve ser:

-Considerado normal – inferior a 140 mg/dL
-Tolerância diminuída a glicose – entre 140 e 199 mg/dL
-Considerado diabetes – superior a 200 mg/dL

Se o resultado estiver alterado e acima de 125 a 200 mg/dL, será considerado quadro de diabetes e, em geral, outro exame deve ser solicitado após alguns dias para confirmar, além de exames complementares.

Fatores de risco para a diabetes gestacional

curva glicemica valores referencia

Foto: OzonNews

Alguns fatores aumentam as chances de a gestante apresentar a diabetes gestacional. Entre eles, os mais comuns são:

-Histórico familiar
Gestante acima do peso
-Idade superior a 35 anos
-Aumento do líquido amniótico

Tratamento para a curva glicêmica alta

Se o resultado do exame revelar uma curva glicêmica alta, é indicado um tratamento para controlar o índice de glicose. A alimentação deve ser mais equilibrada e saudável durante esse período, além da necessidade de atividades físicas ou indicação de medicamentos.

Após o nascimento do bebê, normalmente nem a mãe e nem o bebê acabam mantendo esse quadro de diabetes. Por esse motivo, não haverá a necessidade de ter uma dieta restritiva ao longo da vida.