Como funciona a pílula do dia seguinte: efeitos, como tomar e mais

Saber como funciona a pílula do dia seguinte é uma dúvida frequente entre a maioria das mulheres. Afinal, são muitas perguntas a serem respondidas a esse respeito, como: Em até quanto tempo a pílula deve ser tomada após a relação desprotegida? É um método eficaz? Quantas vezes pode ser tomada por mês? É ou não abortiva?

Este artigo tem como finalidade responder a essas e outras perguntas relacionadas ao uso desse método de emergência criado para evitar que aconteça uma gravidez não desejada.

Entenda a seguir como a pílula do dia seguinte deve ser utilizada e a razão pela qual ela deve ser tomada com cuidado e apenas como uma solução emergencial.

O que é uma pílula do dia seguinte?

A pílula do dia seguinte é um método emergencial usado para evitar que aconteça uma gestação indesejada, sendo ela usada quando há uma falha no contraceptivo ou seu esquecimento.

A composição da pílula pode ter como base o levonorgestrel ou o acetato de ulipristal, que atuam de forma a inibir ou atrasar a ovulação.

Isso significa que o hormônio sintético presente na pílula faz com que a saída do óvulo do ovário seja impedida ou retardada, o que faz com que o espermatozoide não consiga entrar no útero. Desse modo, a concepção não acontece, já que não há o encontro do óvulo com o espermatozoide.

No caso da pílula que contém levonorgestrel, ela deve ser ingerida das primeiras horas até 3 dias depois da relação sem proteção. Já as que apresentam acetato de ulipristal em sua composição podem ser tomadas até 5 dias depois de ter acontecido o contato íntimo.

Como a quantidade de hormônios presente no medicamento é muito elevada (cerca de vinte vezes mais do que os anticoncepcionais diários), há a possibilidade de resultar em efeitos colaterais em curto e longo prazo, além de poder trazer riscos à saúde da mulher.

O recomendado é que o uso dessa pílula seja feito nas seguintes situações:

  • Relação sem o uso de preservativo;
  • Quando ocorre de o preservativo se romper ou ele escorrega;
  • Expulsão do DIU ou deslocamento do diafragma;
  • Quando há o esquecimento de tomar a pílula anticoncepcional diária (principalmente se isso acontece por mais de uma vez em uma mesma cartela);
  • Em caso de violência sexual.

como funciona a pilula do dia seguinte

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), a eficácia do medicamento varia entre 52% a 94%. Quanto mais cedo a pílula for tomada, maior será a sua eficácia, o que torna essencial que ela seja tomada o mais breve possível após a relação.

Tipos

É possível encontrar dois tipos de pílula do dia seguinte nas farmácias, sendo eles:

  • Cartela com 1 comprimido: contém 1,5 mg do hormônio levonorgestrel;
  • Cartela com 2 comprimidos: cada um deles contém 0,75 mg de levonorgestrel.

Os dois tipos de pílula apresentam a mesma dosagem, ou seja, ambas contêm uma grande carga hormonal e devem ser usados apenas em casos emergenciais.

Por conta do alto teor hormonal, essas pílulas são chamadas de “bombas hormonais”.

Como tomar a pílula do dia seguinte?

A pílula do dia seguinte pode ser ingerida junto a um copo de água ou alimentos. A sua ingestão pode ser feita em qualquer dia do ciclo menstrual.

O procedimento é simples: no caso da cartela que contém apenas uma pílula, ela deve ser tomada logo após a relação e em até 72 horas. É importante ressaltar que a sua eficácia será maior quando for ingerida nas primeiras 12 a 24 horas.

Se a cartela contém duas doses, a primeira pílula deve ser tomada, de preferência, logo depois da relação e a segunda após 12 horas. O recomendado é ler a bula para se certificar que a segunda dose deve ser ingerida após esse intervalo de tempo.

Não é indicado fazer o consumo de mais de uma pílula por mês. Isso porque, além das reações adversas que podem ser causadas por conta da alta dose hormonal do medicamento, tomar mais de uma vez faz com que a sua eficácia seja reduzida, aumentando assim os riscos de uma gravidez.

como tomar a pílula do dia seguinte

(Foto: NetDoctor)

Se a mulher faz uso de pílula anticoncepcional, deverá continuar tomando regularmente e no mesmo horário, até que a cartela chegue ao fim.

Como funciona a pílula do dia seguinte no organismo?

A pílula do dia seguinte age de três maneiras diferentes para impedir a concepção. A primeira delas é impedir a liberação do óvulo pelo ovário ou fazer com que essa liberação seja atrasada.

Além disso, provoca uma alteração nos níveis hormonais, o que causa um aumento na viscosidade do muco vaginal para dificultar a entrada dos espermatozoides no útero.

Outra ação da pílula é causar uma redução nos movimentos das tubas uterinas, que são responsáveis pelo transporte do óvulo em direção ao útero. Isso também faz com que a passagem dos espermatozoides seja dificultada.

A pílula ainda provoca alterações no endométrio, o que tem como finalidade bloquear a implantação do óvulo.

Com tais ações no organismo feminino, os riscos de gravidez são diminuídos ao tomar a pílula, já que o embrião não poderá se formar se não houver o óvulo ou se ele não alcançar o útero.

Além disso, a pílula do dia seguinte não tem efeito cumulativo. Por isso, no caso de outra relação sem proteção acontecer depois de a pílula ser usada, os riscos de engravidar serão as mesmas da mulher que não fez o uso desse medicamento.

Nomes comerciais

No Brasil, há uma variedade de pílulas do dia seguinte que podem ser encontradas na farmácia. Elas apresentam em sua fórmula o mesmo componente que impede a gravidez e são vendidas em cartelas com um ou dois comprimidos.

nomes de pilula do dia seguinte

(Foto: IESB Portal de Jornalismo)

As marcas mais conhecidas são:

  • Postinor;
  • Pozato Uni;
  • Levonorgestrel;
  • Pilem;
  • Neodia;
  • Minipil2-Post;
  • Um;
  • Norlevosendo;
  • Negócios;
  • Diad.

Valor nas farmácias

A compra das pílulas do dia seguinte pode ser feita sem receita médica nas farmácias pelo preço que varia entre R$ 7,00 e R$ 35,00. A diferença no valor vai depender da substância ativa que o medicamento contém.

Além disso, também é possível que ela seja encontrada nos postos de saúde, onde é oferecida gratuitamente. Se a mulher for menor de idade, não é necessário a presença dos pais ou responsáveis para adquirir a medicação.

Pílula do dia seguinte atrasa menstruação?

Como o uso da pílula do dia seguinte provoca um desequilíbrio hormonal, pode fazer com que haja um atraso na menstruação. Além disso, também pode acontecer de a menstruação se adiantar, o que vai depender do momento do ciclo menstrual que a pílula foi tomada.

Isso porque, após a ingestão da pílula, o organismo vai precisar se reajustar e reprogramar o ciclo da mulher, o que pode levar um tempo. Assim, após usar a medicação, pode acontecer a menstruação descer 10 dias antes ou depois da data prevista. Porém, na maioria dos casos, o atraso dura em média 3 dias a mais ou a menos.

No caso de o atraso da menstruarão se manter depois de 4 semanas após a pílula ser ingerida, é necessário fazer um teste de gravidez, sendo ele encontrado em qualquer farmácia.

Quais são as chances de engravidar tomando a pílula?

Mesmo se tratando de um método recomendado para evitar que a gravidez aconteça, a pílula do dia seguinte não é 100% segura quando tomada depois de 3 dias após a relação.

Até quando ela é ingerida no mesmo dia, mesmo que a probabilidade de a mulher ficar grávida seja bem pequena, há uma possibilidade de insucesso.

O risco de gravidez, mesmo tomando a medicação corretamente, é por volta de 5%. Isso significa que, a cada 100 mulheres que tomam a pílula dentro das 24 horas após a relação sem proteção, 5 acabam engravidando.

Esse método emergencial tem uma taxa de insucesso mais do que outros métodos porque ele não é utilizado de forma recorrente, pois o corpo da mulher não está preparado para fazer o seu uso regularmente.

Efeitos colaterais

Após tomar a pílula, mesmo quando isso é feito apenas uma vez, é possível que resulte em efeitos colaterais como:

  • Pequeno sangramento vaginal;
  • Dor nos seios;
  • Tontura;
  • Dor no corpo;
  • Diarreia;
  • Dores de cabeça;
  • Náuseas;
  • Vômito;
  • Mudança no fluxo menstrual;
  • Menstruação atrasada ou antecipada.

É comum que aconteça de a menstruação ficar um tempo desregulada, até que o organismo se reestabeleça e ela volte ao normal. O indicado é observar e anotar os detalhes da menstruação para informar ao ginecologista.

Vantagens e desvantagens

Assim como outros métodos, o uso a pílula do dia seguinte traz vantagens e desvantagens.

pilula do dia seguinte causa aborto

(Foto: Delas)

Conheça os principais deles a seguir:

Vantagens

  • Único método que previne a gravidez que é usado após a relação;
  • Consiste em uma opção contraceptiva a mais para a prevenção da gravidez;
  • Se houver falha e a gravidez ocorrer, o feto não é afetado.

Desvantagens

  • Contém uma enorme quantidade hormonal concentrada;
  • Seu uso pode provocar efeitos colaterais;
  • Pode desregular o ciclo menstrual quando usado com frequência, o que aumenta as chances de gravidez;
  • Quando usada repetidas vezes, pode causar problemas no aparelho reprodutor da mulher, tornando mais difícil engravidar no futuro;
  • Há o risco de aumentar as probabilidades de a mulher vir a ter uma gravidez ectópica futuramente.

Contraindicações

Essa medicação não é indicada para todas as mulheres, pois há circunstâncias que podem prejudicar a saúde ou fazer com que a pílula não funcione como deveria. Por isso, o seu uso não deve ser feito por mulheres que apresentam:

  • Hipertensão descontrolada;
  • Problemas vasculares;
  • Doenças do sangue;
  • Obesidade mórbida;
  • Insuficiência hepática;
  • Problemas de coagulação;
  • Tromboembolismo venoso.

Mulheres que estão amamentando também devem evitar usar a pílula do dia seguinte. No caso de fumantes, a combinação da pílula com o cigarro pode aumentar os riscos de derrame e trombose, pois tanto a nicotina (presente no cigarro) quanto o estrogênio (presente na pílula) fazem com que os vasos sanguíneos se contraiam.

Além disso, o medicamento não deve ser tomado quando a mulher estiver menstruada, nos dias em que a menstruação está para descer ou quando estiver na pausa do anticoncepcional.

Outra contraindicação da pílula do dia seguinte é quando ela não é necessária, ou seja, quando não houve penetração vaginal ou se houve o uso eficaz de outro método contraceptivo.

Como o uso dessa medicação deve ser feita o mais rápido possível, quase sempre não é possível consultar o ginecologista antes de tomá-la. Por conta disso, é fundamental conversar com o ginecologista na visita de rotina a respeito do uso da pílula do dia seguinte, para que ele possa avaliar cada caso.

Pílula do dia seguinte abortiva ou não?

Essa consiste em uma das maiores dúvidas das mulheres a respeito da pílula do dia seguinte: se ela é ou não abortiva. Na verdade, ela não aborta, pois o seu objetivo principal é causar o bloqueio da menstruação, dificultando a ocorrência da gravidez.

Se a mulher não tiver ovulado, a pílula vai impedir a liberação do óvulo ou então atrasá-lo. Isso vai impedir que a fertilização aconteça. Caso a ovulação já tenha acontecido e o óvulo tenha sido fecundado pelo espermatozoide, a pílula do dia seguinte não vai impedir que a gravidez se desenvolva.

Por esse motivo, ela não é abortiva, já que não impede a fecundação, que seria onde acontece a “origem da vida”.

É bom lembrar que, se a pílula for ingerida depois de o feto se formar, pode provocar uma hemorragia e aborto, colocando a vida da mulher em risco.

Se a mulher não tem o desejo de engravidar, o ginecologista deve ser consultado a respeito do método contraceptivo mais indicado para cada caso. E entender como funciona a pílula do dia seguinte é essencial para evitar que ela seja com frequência.

Referências

saude.abril.com.br/medicina/7-perguntas-e-respostas-sobre-a-pilula-do-dia-seguinte

drauziovarella.uol.com.br/mulher-2/pilula-do-dia-seguinte-perguntas-e-respostas

greenme.com.br/viver/saude-e-bem-estar/4795-pilula-do-dia-seguinte

minhavida.com.br/saude/tudo-sobre/31795-pilula-do-dia-seguinte

tuasaude.com/pilula-do-dia-seguinte

minutosaudavel.com.br/pilula-do-dia-seguinte