Aborto Espontâneo: Como saber se estou abortando?

Aborto espontâneo: como saber quando ele está ocorrendo? Quais as medidas a serem tomadas? Saiba tudo nessa matéria.

Em termos gerais, aborto é a interrupção da gravidez em qualquer fase da gestação. Já o aborto espontâneo é aquele decorrente de causas naturais, ou seja, que não foram provocadas. Na maioria das vezes, o aborto espontâneo ocorre nas primeiras 20 semanas e chega a atingir 20% das gestações, segundo pesquisas.

Os motivos que levam a um aborto espontâneo podem ser variados. A maior parte dos casos ocorre por uma má formação do embrião e pode acontecer com qualquer mulher saudável. Mas outras questões devem ser consideradas, como explica Alexandre Melitto, professor de Medicina da Universidade Anhembi Morumbi, especialista em ginecologia e obstetrícia: “Na maioria dos casos não é possível determinar a razão da perda gestacional. No entanto, entre os fatores relacionados ao aborto devem ser lembradas as alterações cromossômicas, fatores imunológicos, endócrinos, trombofílicos, anatômicos, infecciosos e ambientais”.

Foto: Kurir

Foto: Kurir

É possível sofrer um aborto espontâneo e não saber?

Por ocorrer tão cedo e algumas vezes não apresentar sintomas fortes, é comum casos de mulheres que sofrem um aborto espontâneo, mas que não têm conhecimento disso. De acordo com o Dr. Alexandre Melitto, para diagnosticar o aborto é necessário que se saiba da gravidez, “ou seja, em alguns casos a paciente não sabe que está grávida e passa por um quadro de sangramento vaginal e aborto sem que saiba que abortou, pensando que foi apenas uma menstruação”. Porém, na maioria das vezes a paciente está ciente da gestação e procura o médico assim que apresenta quadro de sangramento, quando é feito o diagnostico de aborto ou ameaça de aborto.

Veja ainda: Dicas do que evitar durante a gestação

Aborto espontâneo: como saber o momento em que ele ocorre?

Como saber se sofri um aborto espontâneo?

O principal sintoma do aborto é o sangramento vaginal na primeira metade da gravidez. Este sangramento pode ser acompanhado de cólicas. Para saber que ocorreu o aborto, como dito anteriormente, é necessário o conhecimento prévio da gravidez e o principal exame para o diagnostico complementar é o ultrassom.

Foto: Health.usnews

Foto: Health.usnews

Existem fatores de risco? Como prevenir?

“A orientação dada para as pacientes que apresentem quadro de ameaça de aborto é repouso e abstinência sexual por 15 dias. Em alguns casos, pode-se utilizar progesterona para ajudar a manter a gravidez”, indica o Dr. Alexandre.

Toda gestação deve ser acompanhada pelo pré-natal que, se feito corretamente, irá indicar qualquer anormalidade que possa ser considerada como um possível fator de risco. Porém, a causa mais frequente de abortos são as alterações genéticas (aberrações cromossômicas).

Leia mais: Medicamentos que causam risco na gravidez

Quanto à influência de um aborto espontâneo nas próximas gestações, o especialista em ginecologia e obstetrícia finaliza que na maioria dos casos, o aborto espontâneo é um evento isolado, uma fatalidade, que não impede ou atrapalha uma próxima gestação. A orientação comum é que a paciente aguarde seis meses para engravidar novamente, tempo de recuperação total do útero.

Um ponto muito importante é o acompanhamento do seu médico durante toda sua gravidez. Sempre que notar um sinal de anormalidade, consulte-o e tire suas dúvidas.

Avalie esta matéria!

    1. Avatar
      maria 24 de outubro de 2016

    Adicione um comentário

    *