Curetagem Uterina: quando é necessário fazer, cuidados

Um dos procedimentos que mais assustam as mulheres é a curetagem uterina, já que está associada ao desconforto e dor. Apesar disso, ela é muito recomendada em algumas situações específicas, sendo fundamental para evitar complicações, como infecções.

Além de ser usada em caso de aborto, a curetagem também é utilizada para diagnósticos e outras situações que envolvem a saúde feminina.

Com o objetivo de informar quais são os usos desse procedimento, quais devem ser os cuidados durante a recuperação e (uma dúvida muito comum) quanto tempo é preciso esperar para engravidar novamente após a curetagem, preparamos um guia completo sobre o assunto.

Por esse motivo, não deixe de conferir e esclarecer tudo o que precisa saber a respeito.

O que é curetagem?

Curetagem é um procedimento que tem como finalidade realizar uma limpeza em resíduos localizados dentro do útero.

Em geral, ela é feita no caso da ocorrência de um aborto incompleto, que pode ter várias causas e consiste em um momento bastante delicado na vida da mulher.

Ao engravidar, as camadas internas do útero passam por uma alteração, pois o endométrio torna-se grosso para permitir que o feto fique acomodado durante a fase inicial. E a curetagem tem como finalidade remover os resíduos que não evoluíram na gravidez, o que pode incluir o feto.

É importante que ela seja feita para evitar que restos de uma gestação que não prosseguiu permaneçam presos ao útero, o que pode levar a ocorrência de infecções que muitas vezes acabam se complicando.

O procedimento também é usado pelos ginecologistas em caso de a mulher apresentar um sangramento intenso, fortes dores abdominais ou para remover a placenta após o parto normal.

A curetagem ainda é feita para o diagnóstico de alguma condição uterina, sendo então chamado de curetagem endocervical semiótica.

Como é feita a curetagem uterina?

Em geral, o procedimento de curetagem é realizado em um hospital ou então em uma maternidade. Dependendo da situação, é possível até mesmo que a curetagem seja feita no próprio consultório do ginecologista.

Porém, pode ser necessário a internação da paciente que, na maioria das vezes, recebe alta após algumas horas do procedimento.

curetagem

(Foto: Scientific American)

Durante a curetagem, a paciente é orientada a permanecer na mesa de exame deitada de costas, posicionando as pernas sobre os suportes, que são conhecidos como estribos. É então inserido um instrumento na vagina conhecido como espéculo, que tem como finalidade dilatá-la.

Em seguida, é feito o uso de uma cureta, um instrumento cirúrgico que se assemelha a uma colher e tem uma borda afiada. Ele é introduzido na vagina para a raspagem das paredes uterinas e a remoção do material indesejado. Esse procedimento de curetagem é o mais convencional.

O procedimento também pode ser feito por meio de uma cânula de aspiração, que é o método mais moderno e consiste em um mecanismo de vácuo que suga todo o conteúdo do útero.

Para que os resíduos sejam removidos com maior segurança e rapidez, geralmente ambas as técnicas são usadas, começando com o vácuo e finalizando com a cureta.

Durante a curetagem, que tem o tempo de duração entre 15 a 30 minutos, a paciente é submetida a uma anestesia, sendo a raquidiana a mais comum.

Também podem ser usadas a anestesia epidural ou a geral, o que será definido pelo anestesista de acordo com cada caso, o que inclui o estado físico e emocional da paciente.

Para que as paredes e o colo do útero não sejam feridos, é comum o uso de varetas para facilitar a entrada e saída da cureta. Dependendo do conteúdo a ser removido do útero, pode ou não ser necessário fazer previamente uma dilatação do canal cervical.

Em caso de abortos recorrentes, o material que foi recolhido durante o procedimento pode ser enviado para que seja feita uma análise, permitindo assim identificar quais foram as causas que resultaram na perda do bebê.

Curetagem dói?

Esse é um receio recorrente entre as mulheres que vão precisar passar por uma curetagem.

curetagem uterina

Apesar de o procedimento ser doloroso, não há motivo para que a paciente fique preocupada, já que ela é sedada ou recebe a anestesia raquidiana, o que é decidido pelo médico dependendo da causa.

Por conta disso, o procedimento se torna totalmente indolor.

A paciente pode sentir um desconforto ou dor abdominal por até uma semana depois da curetagem. Por isso, o indicado é que ela faça o uso de analgésicos como Dipirona ou Ibuprofeno para amenizar os sintomas, que devem ser indicados pelo médico.

Quais são os riscos do procedimento?

Alguns riscos existem, como no caso da possibilidade de causar uma perfuração no útero por conta do uso dos instrumentos cirúrgicos utilizados. Porém, isso é algo muito raro de acontecer e, em geral, tais perfurações acabam se curando sozinhas.

Também há o risco de danos serem causados no colo do útero, o que pode levar a infecções, mudanças no ciclo menstrual, abortos e infertilidade para a paciente no futuro. Nesse caso, o médico poderá usar suturas para fechar a ferida e ainda poderá ser necessário realizar outro procedimento para a reparação do órgão danificado.

Há ainda os riscos por conta dos anestésicos necessários para o procedimento, assim como ocorre em qualquer tipo de procedimento cirúrgico.

Quando é necessário fazer?

A curetagem é geralmente feita para o diagnóstico ou tratamento de uma condição uterina. Ela é indicada nos seguintes casos:

  • Remoção do óvulo sem embrião;
  • Remoção de pólipos uterinos ou miomas;
  • Retirada de resíduos da placenta após um parto normal;
  • Casos onde não ocorre o correto desenvolvimento do embrião;
  • Tratamento de sangramento excessivo;
  • Remoção dos restos de um aborto retido ou infectado que não foi expelido por mais de 8 semanas.

No caso de um aborto em que o feto estava de mais de 12 semanas, o médico poderá indicar o uso de Misoprostol algumas horas antes de realizar a curetagem. Isso é feito para facilitar a remoção do conteúdo no útero, pois o medicamento provoca a contração do útero.

curetagem dói

(Foto: Vaporstream)

É importante ressaltar que esse remédio deve ser usado apenas quando a paciente já se encontra dentro do hospital ou clínica.

Em caso de diagnóstico, o procedimento é realizado se a mulher apresentar um sangramento fora do normal ou quando células endometriais anormais são observadas durante um exame rotineiro.

Uma amostra do tecido é então recolhida e enviada para que seja feito um exame em laboratório.

Isso contribui para identificar casos de hiperplasia do endométrio (condição pré-cancerosa) ou câncer de útero.

Casos de gravidez molar (que ocorre quando, ao invés do desenvolvimento de uma gravidez normal, há a formação de um tumor) também há a necessidade de recorrer a uma curetagem uterina.

Tempo de repouso e cuidados após a curetagem

Após o procedimento, a mulher deverá permanecer em observação para ser monitorada até os efeitos do sedativo ou anestesia passar.

Como ela pode estar sonolenta ou com dor de cabeça por conta da sedação, não deve dirigir. Após 3 dias de repouso, as atividades cotidianas podem ser retomadas, mas a academia ainda não deve ser frequentada.

O tempo de recuperação da curetagem uterina é de 3 a 7 dias, quando a paciente deverá permanecer em casa sem fazer esforços.

No caso de a curetagem ter sido feita após um aborto onde a gravidez estava mais adiantada, o tempo de resguardo é de 40 dias, como em um parto normal. É importante seguir à risca o repouso absoluto para que não ocorra nenhum tipo de complicação, como sangramentos, infecções ou perfuração uterina.

Para que o útero se recupere completamente, o tempo é de cerca de 90 dias. Isso porque ele precisa construir um novo revestimento interno para permitir que a menstruação volte a ocorrer normalmente.

Por isso, quando a recomendação de repouso orientada pelo médico não é seguida, há o risco do surgimento de um tipo de cicatriz no útero. Isso faz com que as paredes uterinas acabem se aderindo, o que pode levar a alterações no ciclo menstrual e, até mesmo a uma redução na fertilidade da mulher.

É normal que, durante o processo de recuperação, a paciente sinta um desconforto, o que é provocado por conta das contrações fortes que acontecem no útero após a curetagem. O uso de uma bolsa de água quente sobre a região pélvica contribui para aliviar os sintomas.

quando é necessario fazer curetagem

(Foto: Green Rush Daily)

Além disso, analgésicos recomendados pelo médico também são receitados. Anti-inflamatórios e antibióticos também podem ser indicados para a paciente.

Outros cuidados devem ser tomados, como evitar ter relações, lavagem vaginal com a ducha e não usar absorvente interno no primeiro mês após o procedimento.

Também é normal que o sangramento após a curetagem persista, pois ele corresponde à limpeza final que o organismo está realizando.

Esse sangramento pode perdurar por 5 a 15 dias. Se ele continuar por mais tempo, ou se a mulher apresentar febre, dores intensas na região abdominal ou calafrios, o médico deverá ser informado para que as causas sejam avaliadas.

Como fica a menstruação após a curetagem uterina?

A menstruação pode sofrer alterações após a mulher fazer a curetagem, o que muitas vezes causa dúvidas e preocupação. Em geral, a primeira menstruação após o procedimento demora um pouco mais para aparecer e costuma ser mais dolorosa do que o normal.

Além disso, ela pode conter coágulos e pequenos resíduos do tecido que estava revestindo o útero. Por esse motivo, pode acontecer de a mulher pensar que está tendo um outro aborto o que não é o caso.

Ainda é normal a paciente vir a sentir cólicas e hemorragias mais leves no período de recuperação. Porém, se o sangramento for intenso, existindo a necessidade de trocar o absorvente de hora em hora ou se houver a presença de um corrimento de mau cheiro e fortes dores abdominais, é fundamental que a mulher vá ao médico ou ao pronto-socorro para que os sintomas sejam investigados.

Quantos dias após a curetagem pode ter relação?

Geralmente, é necessário aguardar em torno de duas semanas para que a mulher possa voltar a ter relações após a realização de um procedimento de curetagem. O tempo poderá variar dependendo do motivo que levou à necessidade de fazer o procedimento.

O médico deverá ser indagado a respeito do tempo indicado para cada situação. Esse resguardo é importante para que o útero possa se recuperar completamente, o que vai evitar a ocorrência de algum tipo de complicação. Por conta disso, é fundamental que o parceiro compreenda e apoie a mulher nessa fase.

Qual o valor do procedimento?

O preço de uma curetagem pós-aborto feito em uma clínica particular é de, em média R$ 200,00. Porém, o valor desse procedimento pode variar muito, o que vai depender da região do país e clínica onde será realizado.

Além disso, ele também é oferecido pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Nesse caso, ele não terá nenhum custo para a paciente.

Quem faz curetagem pode engravidar depois de quanto tempo?

Uma dúvida muito recorrente para quem passou por uma curetagem é a respeito do tempo recomendado para engravidar.

Apesar de ser um procedimento simples, é importante lembrar que não deixa de ser invasivo, existindo assim o risco de alguma lesão no útero.

Se a curetagem foi feita como exame de diagnóstico, então a paciente poderá engravidar após esperar ao menos um ciclo menstrual.

recuperação da curetagem

Em se tratando de um aborto, em geral os médicos recomendam a espera pelo menos 3 meses. No caso em que o procedimento foi realizado por conta de um aborto onde a gravidez estava avançada, o prazo pode ser de 4 a 6 meses.

O tempo ideal para tentar engravidar deve ser avaliado pelo médico, que vai analisar cada situação específica para fazer a sua recomendação.

Apesar de a curetagem uterina ser um procedimento indesejado pelas mulheres, ele é considerado simples e de baixo risco. Por esse motivo, não há a necessidade de se preocupar.  Se a mulher tiver dúvidas,  o ideal é conversar com o médico a respeito para que qualquer questão seja devidamente esclarecida e a paciente possa se manter mais tranquila.

Referências

dicasdemulher.com.br/curetagem

tuasaude.com/curetagem

trocandofraldas.com.br/curetagem-uterina-como-e-o-procedimento-e-quando-deve-ser-feito/

abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/804884/curetagem+uterina+o+que+e+para+que+serve+quando+uma+mulher+deve+fazer.htm

guiadobebe.com.br/o-que-e-curetagem-e-em-quanto-depois-a-mulher-pode-engravidar

Avalie esta matéria!

  • Adicione um comentário

    *