Teste da Orelhinha: para que serve, onde fazer e como é feito

Faça o teste da orelhinha, qualquer problema na audição do bebê afetará diretamente sua relação com o mundo, sua aprendizagem, linguagem e sua vida social.


O teste da orelhinha é um exame obrigatório. Ele pode ser gratuito, feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas em algumas clínicas particulares ele também é realizado.

O teste é essencial para detectar possíveis deficiências auditivas na criança. Na teoria, ainda dentro da barriga, o bebê já é capaz de identificar sons do corpo e a voz da mãe.

O teste serve para identificar, nos primeiros dias de vida, se há alguma deficiência auditiva e quais são os tratamentos indicados, caso haja algum problema.

   

Lei do Teste da Orelhinha

A lei nº 12.303, sancionada em 02 de agosto de 2010 torna obrigatória à realização gratuita das Emissões Otoacústicas Evocadas, em todos os hospitais e maternidades, nas crianças nascidas em suas dependências em todo o território nacional.

Dessa forma está assegurada a população o acesso a esse tipo de exame, que é imprescindível para o bom desenvolvimento e aprendizagem da criança, visto que a audição irá situá-lo dentro de um ambiente sonoro e interpretativo.

Daí a importância de não deixar de lado o teste. Lembre-se: é um direito seu!

Receba notícias do Gestação Bebê. É grátis!

messengerFacebook Messenger

Tudo sobre gravidez e filhos pelo chatbot do Gestação para o Facebook Messengergestação botao

Para que serve o teste da orelhinha?

Um dos sentidos mais importantes para o desenvolvimento completo da criança é a audição.

O bebê já escuta o que está acontecendo desde o quinto mês de gestação, quando ouve os sons do corpo da mãe.

O teste da orelhinha ou teste da presença de emissões otoacústicas serve especialmente, para a verificação de como se encontra a saúde auditiva do bebê, permitindo assim um diagnóstico antecipado e preciso, possibilitando que um tratamento específico possa ser realizado caso seja detectado alguma alteração.

Importância do teste 

O exame detecta deficiências auditivas precocemente, evitando que comprometam o desenvolvimento da linguagem da criança.

teste da orelhinha falhou
(Foto: Gazeta do Povo)

Desde que identificadas e tratadas em estágio inicial, até os 6 meses de vida, essas alterações não são sentença de prejuízos sociais e cognitivos.

Porém, um diagnóstico tardio – por volta dos 3 ou 4 anos – pode acarretar perdas significativas nas etapas de aquisição da linguagem.

Problemas e doenças que o exame detecta 

O teste da orelhinha não identifica doenças auditivas, mas detecta alterações que por sua vez, exigem um diagnóstico mais completo.

Quando identificada alguma alteração no teste da orelhinha, o mesmo exame é repetido dentro de um período de 15 dias.

Se essas alterações persistirem, serão realizados exames complementares. Estes sim vão apontar se existe alguma doença.

Quem faz o teste? 

O teste é feito por um fonoaudiólogo especializado e todos os bebês recém-nascidos devem passar por ele.

Uma atenção especial deve ser reservada para bebês que nasceram prematuramente ou fizeram uso de algum antibiótico ototóxico ou diurético.

Os que tiveram infecção congênita como citomegalovirose e rubéola devem ser assistidos com maior atenção, assim como aqueles que tiveram um baixo peso ao nascer.

Contudo, mesmo que seu filho tenha nascido em perfeita saúde, não o prive de um exame gratuito e que estará assegurando sua saúde auditiva.

Qual aparelho é usado no teste da orelhinha? 

É utilizado o Aparelho de Emissões Otoacústicas Evocadas para a avaliação de estímulos no bebê.

teste da orelhinha sus
(Foto: Baby Rabies)

Como é feito o teste da orelhinha?

O fonoaudiólogo insere um aparelho de Emissões Otoacústicas Evocadas, dentro do ouvido do bebê recém-nascido. O aparelho lembra um fone de ouvido e não possui pontas ou outras estruturas invasivas, sendo, portanto, completamente seguro.

O teste é realizado de preferência enquanto o bebê está dormindo.

O aparelhinho produz estímulos sonoros leves e mede o retorno desses estímulos de estruturas do ouvido interno.

Caso sejam identificadas alterações, o bebê deve ser encaminhado a um especialista para que sejam feitos exames complementares.

Existem diferentes graus de deficiência auditiva e são raros os casos em que não há tratamento.

O teste é indolor e não requer picadas ou mesmo inclui retirada de sangue da criança. É prático, seguro e fácil. Dura apenas alguns minutos e o resultado sai na mesma hora.

Onde fazer o teste?

No Brasil, por lei, todos os bebês devem ser submetidos a este exame, ainda na maternidade.

Esse é um direito seu e você poderá recorrer a justiça se algum hospital ou maternidade público se recusar a fazer o teste em seu bebê recém-nascido.

Sendo assim, pode ser realizado em qualquer hospital ou maternidade do SUS, de forma gratuita.

As maternidades ou hospitais particulares geralmente possuem esse serviço, mas sobre a gratuidade você deve se informar junto ao seu plano de saúde.



Preço 

teste da orelhinha é um exame obrigatório. Ele pode ser gratuito, feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas em algumas clínicas particulares ele também é realizado a partir de R$70,00 reais.

Resultados 

O resultado do teste dirá se a audição da criança é perfeita ou está perto da normalidade.

Se não houver resposta, pode ser um sinal de que a criança tem deficiência auditiva ou talvez o teste tenha sido invalidado pela agitação da criança.

Nesse caso, quem estiver realizando o teste pode pedir para a mãe amamentar o bebê durante o teste, para acalmá-lo.

teste da orelhinha

Há outras opções para não haver resposta como o nenê ter otite, seu conduto auditivo pode ser muito pequeno ou ainda ter vernix. Mesmo ele tendo uma audição normal.

Existem ainda outros sinais que as mães devem observar, além do teste, que podem indicar problema de audição do bebê. Existem ações características de crianças com audição normal. Veja:

  • Nos primeiros meses, o bebê normalmente reage a sons fortes, com reflexos nas mãos e nos olhos.
  • Em torno dos seis meses, eles reagem ao serem chamados ou viram a cabeça para a direção do som.
  • Por volta de um ano, quando se inicia a pronúncia das primeiras palavras, a criança que não escuta bem pode não interagir ou ficar menos atentas que o esperado.

Resultado alterado

Se o bebê não passar no teste, ele deve ser encaminhado para avaliação otorrinolaringológica.

Há situações em que o bebê não passa no teste e mesmo assim possui uma audição normal.

Entretanto, se confirmada a perda auditiva, esta família deve ser orientada a iniciar a reabilitação auditiva.

As causas de problemas auditivos são oriundas de malformações congênitas, doenças genéticas ou doenças infecciosas que atingem as gestantes, como rubéola e toxoplasmose.

Teste da Orelhinha pelo SUS 

O teste da orelhinha feito pelo SUS é gratuito e em muitos hospitais são feitos antes do bebê e a mamãe receberem alta.

Há também outros casos onde há uma marcação de consulta na qual é feita a avaliação auditiva.

Quando fazer o teste da orelhinha no bebê?

O ideal é que se faça o exame até o fim do primeiro mês de vida.

teste orelhinhaLeia também: Teste do Pezinho no bebê

Importante. O diagnóstico e o tratamento precoce são determinantes para a aquisição da linguagem oral das crianças.

Exame particular 

O exame particular é feito até o primeiro mês de vida, mas o indicado é entre o 2º ou 3º dia, e ocorre da mesma forma que no SUS.

Até quando o exame pode ser feito? 

Orienta-se realizar o teste da orelhinha, nos primeiros meses de vida do bebê (3 meses), geralmente o exame é realizado no berçário em sono natural, de preferência no 2º ou 3º dia de vida.

Deficiência auditiva em recém-nascidos

Depois do parto, há outros fatores que podem causar a deficiência auditiva, como otite, sarampo, rubéola, caxumba e meningite bacteriana.

O uso de certos antibióticos, principalmente em prematuros que estão na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), também merecem atenção para o surgimento do problema.

Mas não apenas isso. O histórico de surdez ou problemas auditivos na família também deve ser considerado na hora do diagnóstico.

Avalie esta matéria!

- Publicidade -

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*