Coombs Indireto: positivo e negativo

Você sabe o que é Coombs Indireto? Durante a gravidez, muitos exames são solicitados para as futuras mamães para verificar a sua saúde e a do bebê.

Um desses importantes exames é a prova da antiglobulina humana, mais conhecida como teste de Coombs e se refere a dois exames de sangue clínicos usados na hematologia e imunologia: Coombs direto e indireto.

O Coombs tem um papel muito importante na saúde de bebês de casais de fator RH (sanguíneo positivo ou negativo). Pois, pode detectar anticorpos no organismo materno e é vital para o crescimento saudável do bebê intra uterino antes mesmo da sua concepção.

Entenda mais sobre esse exame e saiba como ele é feito?

Teste de Coombs

O agente Rh é uma proteína sanguínea que pode ou não estar presente no sangue humano. Estando presente, a pessoa possui Rh (Rh positivo); no outro, Rh – (Rh negativo).

A eritroblastose fetal é uma doença hemolítica causada pela incompatibilidade do sistema Rh do sangue materno e do bebê e se manifesta quando há incompatibilidade sanguínea referente ao Rh entre a mãe e o feto.

Isto é: quando o fator Rh da mãe é negativo e o do feto, positivo. Quando isso acontece, a mulher produz anticorpos anti-Rh para tentar destruir o agente Rh do feto, considerado “intruso”.

coombs direto

O dois exames estão relacionados à questão genética. (Foto: HypnoticWorld)

Na verdade, a eritoblastose fetal atinge o segundo filho desta mulher. O primeiro filho apresenta menos risco de desenvolver a doença do que os seguintes porque a mãe Rh – ainda não foi sensibilizada pelos anticorpos anti-Rh.

No entanto, na falta de tratamento, esses anticorpos produzidos na primeira gestação podem destruir as hemácias do sangue dos próximos fetos Rh, ou seja, esses anticorpos presentes no corpo da mãe, ultrapassam a placenta e destroem as células vermelhas do sangue do bebê após o nascimento.

Este acontecimento não é incomum, por isso, o Coombs foi elaborado, e serve para detectar possíveis incompatibilidades do organismo contra determinado fator RH através dos anticorpos anti-D presentes na corrente sanguínea da mãe.

Leia mais: Amniocentese – Preço do Exame

coombs direto e indireto

Coombs Direto

O teste de Coombs direto é usado no diagnóstico de doenças autoimunes e doença hemolítica já no recém-nascido. Ele detecta anticorpos ligados à superfície das hemácias.

Coombs Indireto

O teste de Coombs indireto é usado em exames pré-natais de gestantes Rh negativo e em exames de sangue antes de transfusões sanguíneas.

Ele detecta se a pessoa de sangue Rh negativo possui anticorpos contra o tipo positivo.

Coombs Indireto Negativo

Se o exame der negativo, significa que a futura mamãe não tem anticorpos contra o Rh positivo. Nesse caso, a mulher deverá fazer um tratamento ainda na gravidez, entre as 28ª e 33ª semana de gravidez, tomando uma injeção de imunoglobulina anti-D, como forma de prevenção contra o Rh positivo.

A mesma injeção deve ser aplicada até 72 horas após o parto, se o recém-nascido tiver sangue Rh positivo.

Esse é o tempo hábil para neutralizar as hemácias (glóbulos vermelhos do sangue) que passaram do feto para a mãe na hora do parto. Assim, não haverá problemas para a mamãe e seu bebê.

Se o bebê for Rh negativo, tal como a mãe, não é preciso tomar a injeção após o parto.

Veja também: Incompatibilidade sanguínea – Sangue da mãe diferente do bebê

O que é Teste Coombs?

(Foto: Yaklai)

Coombs Indireto Positivo

Se o exame de Coombs indireto der positivo, significa que a mãe tem anticorpos contra o sangue Rh positivo e, por isso, não adianta tomar a injeção como tratamento.

Nesse caso, há riscos para o bebê. Isso porque ele pode ser “atacado” pelos anticorpos de Rh positivo e, por consequência, sofrer de anemia.

Em situações graves, recomenda-se transfusão de sangue intrauterina. Acima de 30 semanas, alguns médicos consideram também a antecipação do parto, pois a partir daí o bebê tem grandes chances de sobreviver fora do útero materno.

As mulheres que tiveram seu primeiro filho e no exame Coombs deu positivo ou, em caso de aborto, detectaram que o bebê era de fator RH positivo também através deste teste, recebem a injeção de imunoglobulina anti-D após o parto ou o procedimento de curetagem ou pós aborto.

A injeção deve ser aplicada em no máximo 72 horas ou três dias após o nascimento.

Como é feito o exame Coombs?

O exame é realizado em laboratório, a pedido do médico, com uma amostra de sangue coletada do braço, sendo que não é necessário realizar jejum ou qualquer procedimento antes do teste.