Anestesia Peridural (ou epidural): para que serve, riscos e efeitos colaterais

Muito comum durante o parto, a anestesia peridural é usada para aliviar as dores em uma região específica do corpo


anestesia epidural com sedação

A anestesia peridural é uma das mais comuns para o parto, seja ele normal ou cesariana. Antigamente, a aplicação era feita com uma quantidade maior da anestesia, mas nos dias de hoje a dose é bem menor.

Mesmo sendo uma importante aliada para o momento do parto, muitas gestantes têm receio em relação aos seus efeitos e riscos para ela e para o bebê. Porém, trata-se de uma anestesia segura para ambos e que pode até facilitar o parto normal.

Para acabar de vez com todas as dúvidas, continue a leitura a entenda mais a respeito dessa anestesia.

   

O que é anestesia peridural?

A anestesia peridural (também chamada de epidural) é uma solução analgésica aplicada nas costas por meio injetável, com o objetivo de evitar a dor. O bloqueio da sensação de dor acontece em apenas uma região do corpo, o que em geral ocorre da cintura para baixo.

Antes de ser feita a aplicação da peridural, é aplicado um analgésico na região lombar da paciente, entre as vértebras, de modo a atingir os nervos que ficam localizados nessa região. A aplicação não causa a perfuração na membrana que encobre a coluna, o que evita que seja atingido o líquido presente na medula espinhal.

A quantidade de analgésico e o tipo de agulha usada vai depender do tipo de procedimento que será realizado e também leva em conta as condições físicas do paciente. Como pode ser necessário o uso de uma dose maior, a anestesia permanece em um pequeno cateter de plástico, o que permite que seja feito o controle pelo médico.

Receba notícias do Gestação Bebê. É grátis!

messengerFacebook Messenger

Tudo sobre gravidez e filhos pelo chatbot do Gestação para o Facebook Messengergestação botao

Para que serve

Essa anestesia é muito usada para impedir que a gestante sinta dor no momento do parto. Ela também pode ser feita em outras partes do corpo, sendo utilizada também em cirurgias simples, como as estéticas ou ginecológicas. Como não afeta o nível de consciência, o paciente que recebe a anestesia peridural permanece acordado durante o procedimento.

Como é aplicada a anestesia

Para administrar a anestesia, a paciente fica sentada e inclinada para a frente, ou então pode permanecer deitada de lado, mantendo os joelhos e queixo dobrados. Em seguida, um analgésico local é aplicado pelo anestesista entre as vertebras que fazem parte da coluna vertebral.

É então feita a inserção da agulha, que penetra até sentir resistência, que deve ser transpassada para que possa chegar ao espaço peridural. Logo após, é colocado o cateter (um tubo fino feito de plástico), passando pelo centro da agulha.

O medicamento anestésico é introduzido através do cateter inserido, sem causar dor. Porém, há a sensação de uma pequena picada no momento em que é colocada a agulha e, em seguida, a gestante sente uma pressão e calor no momento em que é feita a aplicação do remédio.

Peridural ou raquidiana, qual a diferença?

Entre as anestesias que são usadas no parto, as mais comuns são a peridural e a raquidiana (ou raqui), o que geralmente traz dúvida entre as gestantes em relação ao uso e diferenças entre ambas. A primeira diferença entre elas é que, enquanto a peridural é usada em partos normais, a raquidiana tem uso em cesarianas e, algumas vezes, em partos vaginais.

Embora sejam parecidas, a anestesia raquidiana usa uma quantidade bem menor de analgésico e é aplicada de uma só vez. Ela apresenta uma ação imediata e o tempo de duração é limitado. Já a peridural utiliza uma quantidade bem mais ampla de anestésico, sendo administrada de forma contínua por meio do cateter nas costas, pelo tempo que for necessário para a realização do procedimento.

Outra diferença é que a anestesia peridural é aplicada no espaço em volta do canal espinhal, de forma a anestesiar somente as fibras nervosas, que são as responsáveis por conduzir a dor. Enquanto isso, a raquidiana é administrada dentro da coluna espinhal.

como funciona anestesia

Há situações em que o médico pode optar por combinar uma pequena quantidade da anestesia raquidiana com a peridural, o que possibilita um efeito mais rápido. Isso acontece dependendo de cada situação, nível de dor e estágio em que se encontra o trabalho de parto.

Dessa forma, a raquidiana age fazendo com que a anestesia atue mais rápido, levando a sensação de dor ser aliviada de imediato. Enquanto isso, a peridural permite que o efeito dure mais tempo. Essa combinação entre as duas anestesias é conhecida como “duplo bloqueio”.

Existe diferença entre epidural e peridural?

Essa é uma dúvida bastante comum, já que algumas vezes é usado um nome ou outro para se referir ao tipo de anestesia que será aplicada na gestante, causando confusão se elas se tratam ou não da mesma anestesia.

Porém, não há diferença entre a anestesia epidural e peridural, sendo elas a mesma coisa. Essa anestesia é aplicada por meio de injeção de um analgésico no chamado espaço epidural, que fica localizado em torno da camada membranosa externa e mais resistente da medula espinhal, que é conhecida como dura-máter.

Com sedação ou sem sedação

Em geral, seja no caso do parto normal ou cesárea, a aplicação da peridural é feita sem a necessidade de sedação da mãe. Como a paciente permanece acordada após a aplicação da anestesia, ela pode acompanhar todo o procedimento médico.

O uso de anestesia peridural com sedação é comum em cirurgias plásticas, levando o paciente a dormir calmamente durante o procedimento.

Qual anestesia é mais usada no parto cesárea ou normal?

A anestesia usada no parto normal é diferente da utilizada na cesárea. No caso da cesárea, é necessário obter, além do alívio completo da sensação de dor, o relaxamento da musculatura na região do abdômen. Isso permite que o acesso do obstetra seja feito com maior facilidade.

Além disso, quando se trata de um parto normal, a anestesia é feita de modo que a paciente continue a sentir as contrações uterinas, mas sem ter a sensação de dor. Dessa forma, o trabalho de parto também acaba sendo facilitado.

Já a cesárea, ela geralmente é feita com o uso da raquidiana, já que consiste em um tipo de anestesia que é mais fácil de ser aplicada e tem um efeito mais rápido. Para o parto normal, também é comum realizar a combinação entre a peridural e a raquidiana, injetando uma quantidade pequena de analgésico na raquidiana e complementando com a peridural durante o trabalho de parto.

Também é possível usar apenas a anestesia peridural no parto normal, o que vai depender de determinados fatores, como a fase em que está o trabalho de parto. Se for o caso de a cabeça do bebê já se encontrar próximo à vulva, por exemplo, é usada apenas a peridural.

tipos de anestesia

Riscos da Anestesia Peridural

Quando é aplicada por um profissional experiente, raramente a anestesia traz riscos. Porém, assim como qualquer procedimento, sempre existe uma possibilidade de ocorrer danos. No caso da anestesia, esses danos estão relacionados aos nervos e também infecções. A paciente ainda pode ter calafrios e febre, além de dor de cabeça após passar o efeito.

Outro risco pouco comum é acontecer uma intoxicação, o que pode acontecer devido ao recebimento de doses elevadas da substância, fazendo com que a paciente sinta um gosto metálico na boca, sonolência, tontura e convulsões. Porém, caso esses sintomas se manifestem, eles são transitórios.



É preciso evitar que ela seja aplicada em pacientes com tatuagem no local onde será feita a injeção, pois pode acontecer de fragmentos da tinta acabem se deslocando para dentro do corpo, resultando em inflamação.

Quanto custa um parto normal com anestesia peridural?

O parto com o uso da anestesia peridural pode ser feito em qualquer hospital com centro cirúrgico. O preço pode variar de 400 a 1000 reais, o que vai depender do hospital onde será realizado e do médico que cuidará do procedimento.

Anestesia peridural é feita pelo SUS?

No ano de 2015 entrou em vigor a lei que estabelece que toda a gestante tem o direito a receber anestesia no SUS (Sistema Único de Saúde). Porém, isso não significa que obrigatoriamente seja a peridural e, por conta disso, não está disponível no SUS.

Há diversas técnicas não farmacológicas usadas para anestesiar. Por esse motivo, é importante se informar a respeito das técnicas oferecidas na maternidade onde será feito o parto.

Ainda de acordo com a lei, a gestante tem o direito de decidir qual será o tipo de parto, bem como a anestesia e o acompanhante no momento do parto.

Efeitos Colaterais

Após a aplicação da anestesia, há a possibilidade de ocorrer alguns efeitos colaterais, que começam e terminam de forma rápida. Entre eles estão:

  • Sensação de náusea
  • Vômitos
  • Tremores
  • Queda de pressão
  • Dor de cabeça
  • Dores nas costas
  • Dificuldade de urinar

Para evitar esses efeitos colaterais, o indicado é que a paciente se mantenha bem hidratada e utilize os analgésicos que forem recomendados pelo médico. Também pode acontecer de surgir sangramentos, embora não seja algo comum. Outro fator raro é a paciente ser alérgica ao analgésico.

anestesia peridural ou raquidiana

Possíveis complicações

Possíveis complicações podem acontecer quando há uma pequena perda de líquido através do furo da agulha durante aplicação da anestesia, o que causa uma redução da pressão ao redor do sistema nervoso central. Nesse caso, o sintoma mais comum é a dor de cabeça.

Outras complicações podem surgir, sendo elas bastante raras. Entre as possíveis complicações decorrentes do uso da anestesia peridural estão:

  • Infecção local
  • Dor lombar
  • Hematoma peridural
  • Bradicardia por conta do bloqueio de nervos simpáticos

Como já foi citado, as complicações são difíceis de ocorrer. Apesar disso, a anestesia traz inúmeros benefícios, como ajudar na dilatação ao deixar a mãe mais relaxada e fazer com que não tenha dores após a cirurgia. Além disso, diminui as chances de trombose nas pernas e infecção pulmonar.

Quanto tempo demora para passar efeito da anestesia?

O tempo que leva para acabar o efeito causado pela anestesia pode variar entre 2 horas e meia a 3 horas. Alguns cuidados são tomados após o procedimento, como verificar como está a pressão da paciente e se ela não apresenta sangramentos.

Após o final do ciclo da anestesia peridural, a mãe já é capaz de movimentar as pernas, mas ainda não consegue andar. Por esse motivo, é importante ter o auxílio de um enfermeiro ou acompanhante, caso precise se levantar.

Anestesia peridural dói?

Antes de fazer a aplicação da peridural, os anestesistas realizam a aplicação de um anestésico local. Dessa forma, a paciente não sente a dor propriamente dita, mas sim uma picada suave em seguida, uma pressão na região.

Além disso, a gestante pode sentir o desconforto na hora de manter a posição correta para que a anestesia seja aplicada, que deve ser sentada ou de lado, com as costas curvadas.

A anestesia peridural é perigosa?

Outra dúvida muito comum em relação à anestesia peridural é se ela causa algum tipo de dano ao bebê no ventre. Porém, as mães podem ficar tranquilas, pois não há nenhum prejuízo para o bebê. Isso porque o bebê não recebe a picada e também não fica anestesiado em nenhum momento após a aplicação da peridural.

Também há o receio de que a aplicação da anestesia seja feita de forma incorreta, deixando a paciente paraplégica. Porém, ao contrário do que muitos pensam, não há possibilidade de ficar paralítica devido à aplicação da anestesia, causado por uma lesão na medula espinhal, pois se trata apenas de um mito.

Como a anestesia pode dificultar a força que a mãe precisa fazer para que seja possível expulsar o bebê na hora do parto, é comum que o médico faça o uso de métodos alternativos para ajudar o bebê a nascer.

ricos da gestação

Para que não apresente riscos, é preciso tomar alguns cuidados antes de usar a peridural. Essa anestesia não deve ser aplicada em cirurgias que tem a duração maior que três horas. Outra contraindicação é no caso de a paciente sofrer de desvio da coluna ou se já passou por cirurgias anteriores na coluna vertebral.

O recomendado é que a gestante se informe com o médico a respeito da anestesia peridural, para que possa ficar mais tranquila enquanto aguarda a chegada do bebê.

Referências

https://www.tuasaude.com/anestesia-peridural/

https://brasil.babycenter.com/a700454/tipos-de-anestesia-peridural-e-raquidiana#ixzz5HqEmCYtD

soumamae.com.br/8-perguntas-anestesia-peridural/

https://www.huggies.com.br/gravidos/nascimento/anestesia-peridural

http://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/358844/como+e+a+anestesia+peridural+ou+epidural.htm

Anestesia Peridural (ou epidural): para que serve, riscos e efeitos colaterais
Avalie esta matéria!

- Publicidade -

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*