Grávida pode tomar anestesia de dentista?

Grávida pode tomar anestesia de dentista? Confira nessa matéria:

O uso de medicamentos como os anestésicos por mulheres grávidas e lactentes é uma preocupação de todos: da futura mamãe, de profissionais de saúde, inclusive do dentista. A necessidade de tratamento odontológico ocorre em praticamente todas as fases da vida, e durante a gravidez não é diferente.

Já foi comprovado cientificamente que ocorrem mudanças hormonais nas futuras mamães no período da gestação, as quais influenciam também a saúde bucal. Muitas mulheres acreditam que por estarem grávidas não podem ir ao dentista.

A grávida não só PODE como DEVE ir ao dentista durante a gestação. A realização de tratamentos preventivos bucais evita transtornos maiores durante a gravidez. Neste período também ocorre o aumento da vascularização e permeabilidade da gengiva, que pode deixar a gengiva da grávida mais vulnerável às bactérias e sangramento gengival (Dor de dente na gravidez: o que fazer, como aliviar?). Há ainda estudos que comprovam que infecções na gengiva de gestantes podem culminar em parto prematuro.

Grávida pode tomar anestesia de dentista

A maioria dos anestesiantes locais é completamente seguro para a gestante. Foto:Dr. Peter Worth

Grávida pode fazer tratamento dentário?

Sim. A grávida pode receber tratamento dentário durante a gravidez em qualquer fase. Porém, a melhor época é o segundo trimestre (entre o quarto e o sexto mês de gestação). Isso porque no primeiro trimestre o bebê está se formando e deve-se evitar o uso de medicamentos, e no terceiro trimestre, a mãe está numa maior ansiedade devido à aproximação do parto.

As radiografias devem ser evitadas no primeiro trimestre. Porém, em situações de extrema necessidade, podem ser realizadas, desde que se utilize o avental de proteção.

Anestesia no dente pode fazer mal?

Qualquer medicamento deve ser evitado sempre que possível pela grávida, principalmente no primeiro trimestre de gravidez. As reações tóxicas que acontecem em uma mulher podem comprometer sua saúde e a gravidez. Porém, não existe um risco quanto à anestesia local, desde que o dentista esteja ciente de que a paciente esteja grávida.

O perigo não está na anestesia, mas em uma substância que é usada pelos dentistas junto com a anestesia – as vasoconstritoras – somente nos casos em que é necessário reduzir o sangramento para facilitar o procedimento.

gravida pode obturar dente

Foto: IACFS

De acordo com o Conselho Federal de Odontologia, em seu site oficial, “o uso de anestesia nas gestantes é permitido, desde que a substância anestésica usada não contenha vasoconstritores, e por isso o dentista deve ser informado para que possa tomar esse cuidado”.

A substância vasoconstritora pode elevar a pressão arterial, principalmente em mulheres com os níveis de pressão já comprometidos. Além disso, deve-se ainda levar em conta que a grávida pode apresentar uma hipotensão relativa à posição quando colocada deitada de costas. Possui ainda um potencial para hipoglicemia, falta de ar, taquicardia, além de uma queda súbita da pressão arterial e náusea pela manhã. É recomendado que a gestante se posicione lateralmente durante qualquer procedimento, o que pode reduzir o desconforto. Mesmo assim, todo cuidado é pouco.

Os anestésicos locais são os medicamentos mais utilizados pelo dentista, portanto não existe risco desde que o profissional conheça o efeito dos anestésicos e as alterações que ocorrem durante a gravidez. Somente em alguns casos específicos a administração de remédios anestésicos deve ser evitada ou alterada pelo profissional.

Como tratar os dentes na gravidez?

Além dos fatores fisiológicos, é também muito comum durante a gravidez a futura mamãe adotar novos hábitos comportamentais, reflexo de “desejos”, mal-estar ou enjoos. Diante disso, a gestante se torna mais suscetível ao desenvolvimento e à progressão da cárie.

As alterações hormonais desta fase também modificam a composição da saliva, diminuindo a capacidade de neutralizar o pH da boca, aumentando assim as probabilidades de cárie. Além disso, na medida em que o bebê se desenvolve, o estômago começa a comprimir, levando a gestante a comer pequenas quantidades de alimentos diversas vezes ao dia. Esta atitude também aumenta a probabilidade de cárie.

Leia mais: Gengivite na gravidez prejudica o bebê?

Grávida pode tomar anestesia de dentista

Foto: Bcalaw

A gestante deve ter exatamente os mesmos cuidados de qualquer outra pessoa, como os cuidados com a limpeza diária dos dentes, uso adequado da escova e fio dental.

A qualidade da limpeza é mais importante do que a frequência. Se houver algum ponto da gengiva com sangramento, essa região deverá ser limpa melhor. Se após três dias a gengiva continuar sangrando, a gestante deve procurar a ajuda de um dentista.

Além disso, procedimentos de restauração como o tratamento de cáries e colocação de coroas dentárias durante a gravidez podem ser feitos para evitar infeções, mas o ideal é que sejam realizados no segundo trimestre de gravidez.

O recomendado é que se faça a maioria dos procedimentos dentários após o parto. Mas sabe-se que nem sempre isso é possível e por vezes extrações de dentes, canal ou outros procedimentos têm mesmo de ser feitos nesse período. Branqueamento dentário ou outros procedimentos cosméticos também devem ser adiados para depois do parto.

Previna-se antes

Se estiver planejando engravidar então faça uma visita ao seu dentista para fazer um check-up de sua saúde bucal, visando prevenir e tratar possíveis problemas que possa vir a ter, evitando assim a necessidade de tratá-los durante a gravidez.