Search
Search
X

Parto de emergência: primeiros socorros

Quanto mais regulares as contrações da gestante, mais próximo ela estará de dar à luz

Veja tudo sobre parto de emergência: primeiros socorros e principais sinais do nascimento do bebê.

Mesmo que você não seja pai ou mãe, não pense em ter um filho e nunca tenha trabalhado em algum serviço de saúde pode ser que um dia você precise ajudar uma mulher em trabalho de parto. Se isso ocorrer, não se desespere! Mantenha a calma e tente ajudar a futura mamãe. Como?

A primeira atitude é ligar para um número de emergência: Bombeiros, Polícia Militar ou o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), se tiver em sua cidade. A importância de ligar para um desses órgãos é que, enquanto você realiza os primeiros atendimentos, uma equipe já estará a caminho. E outra, sempre haverá um atendente preparado para essas situações – que ficará passando orientações para você pelo telefone até a chegada da equipe de saúde.

O segundo passo é ir conversando com a mulher e tentando acalmá-la. Pergunte se ela faz acompanhamento com um obstetra ou obstetriz (parteira) e se tem os telefones deles anotados. Se tiver, desligue a primeira ligação, explicando que vai ligar para o médico responsável pelo pré-natal dela, pois ele irá orientá-lo de forma mais precisa, já que acompanha a gestante.

Pergunte também se ela já teve filhos e qual foi o tipo de parto. Às vezes, quando é a primeira gestação da mulher, pode ser que ela tenha algum sintoma parecido com o trabalho de parto, mas que não esteja de fato dando à luz. Então, é importante saber reconhecer os sinais de um trabalho de parto.

Leia mais: Quanto tempo dura um parto normal? E uma cesárea?

Foto: Lexicoon

Foto: Lexicoon

Parto de emergência: primeiros socorros 

Os principais sinais do trabalho de parto são:

  • Saída de um líquido gelatinoso (róseo) pela vagina;
  • Rompimento da bolsa de água (bolsa amniótica) com um líquido mais transparente;
  • Contrações fortes (enrijecimento da musculatura abdominal ou uma espécie de cólica menstrual forte com pontadas no baixo ventre) de forma irregular – ficando intensas de 10 em 10 minutos;
  • Sensação intensa de evacuação.

Quanto mais regulares as contrações, mais próximo ela estará de dar à luz. Mesmo assim, saiba que um trabalho de parto pode durar várias horas. Se você percebeu que sim, há um trabalho de parto acontecendo. Não se esqueça de verificar os sinais vitais e continue conversando com ela:

  • Pergunte sobre algum familiar e veja se é possível trazê-lo para perto dela. Isso traz segurança à gestante;
  • Pergunte sobre o tempo de gestação que ela está e se houve algum problema anterior como sangramentos ou início de aborto espontâneo;
  • Verifique se o cartão de gestante – com informações sobre o pré-natal – está com ela.
Foto: Bigua

Foto: Bigua

Agora, se você visualizar a cabeça do bebê no canal do nascimento e o resgate ainda não chegou, procure um lençol limpo e deite-a sobre ele e comece os procedimentos abaixo:



  • Remova as roupas que possam atrapalhar o nascimento do bebê, mas procure não expor a gestante;
  • Lave bem suas mãos e se tiver luvas, use-as;
  • Se possível, faça uma limpeza na região genital e nas coxas da gestante, com água e sabão;
  • Mantenha as pernas dela em posição ginecológica;
  • Oriente-a para respirar fundo e fazer força durante as contrações, como se estivesse evacuando. Ela deve descansar no intervalo das contrações;
  • Enquanto ela expulsa o bebê, ampare com uma das mãos a cabecinha dele, para evitar que saia de uma vez e se machuque;
  • Se perceber o cordão umbilical no pescoço do bebê, afrouxe-o, removendo-o no sentido da nuca para o abdômen dele;
  • Pegue a cabeça do bebê com as duas mãos em forma de “V” e force suavemente a cabecinha dele para baixo até passar o ombro superior e depois para cima até passar o outro ombro;
  • Segure-o firme para que ele não caia. Limpe as vias aéreas e a cabeça, sem retirar a gordura branca (Vérnix) do corpo do bebê. Ela desaparece em até 24 horas;
  • Com os dedos estimule suavemente as costas do bebê e cubra-o com panos limpos, inclusive a cabeça, mantendo-o aquecido;
  • Observe a respiração do bebê e da mamãe;
  • Coloque os clamps (suportes) no cordão umbilical. O primeiro a quatro dedos do abdômen do bebê e o segundo a dois dedos do primeiro suporte;
  • Corte o cordão entre os dois clamps, com algo cortante (esterilizado) e aguarde a saída espontânea da placenta (por 15 minutos). Se ela não sair, não puxe! Faça massagens leves até ela desprender do útero;
  • Depois que a placenta saiu (inteira), coloque-a em um saco plástico;
  • Massageie o abdômen da mamãe e observe se o útero se mantém contraído;
  • Não se esqueça de sempre verificar os sinais vitais. Agora, da mamãe e do bebê.

Caso tenha que passar por um parto de emergência, é bom saber: SAMU (196); Bombeiros (193); PM (190).

Parto de emergência: primeiros socorros
Avalie esta matéria!






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*