Conheça as vantagens do parto na água

O parto na água ficou famoso após a modelo Gisele Bündchen escolhê-lo para dar a luz a seu primeiro filho, Benjamin. Depois disso, muitas mulheres procuraram conhecê-lo melhor e aproveitar seus benefícios. Você sabe como funciona o parto na água? Então veja a seguir tudo o que você precisa saber a respeito:

Como funciona o parto na água?

O parto na água foi idealizado pelo médico francês Michael Odent. Nele, a mulher fica em posição de cócoras com toda a parte inferior de seu corpo embaixo d’água. Geralmente ela se apoia no marido, que participa ativamente, inclusive cortando o cordão umbilical.

O parto pode ocorrer em casa ou no hospital em uma banheira ou mini-piscina. Vale lembrar que o parto na água é feito sem anestesia.

Leia ainda: Como tirar a fralda noturna do bebê

Condições ideais para o parto

Nas condições ideais para o parto, a água deve estar morna, com temperatura entre 35ºC e 37ºC. A temperatura traz muitos benefícios à mãe, como aumento da irrigação sanguínea, diminuição da pressão arterial, relaxamento muscular e fácil dilatação, o que diminui as dores e deixa a mulher mais calma.

A água favorece ainda os movimentos, e a gestante pode se posicionar da maneira mais confortável e menos dolorida.

Para o bebê, o nascimento na água também possui coisas boas, já que dentro da barriga ele se encontra em um ambiente úmido e quente. Se quando ele nascer encontrar posições semelhantes ficará mais tranquilo.

Quando evitar?

O nascimento na água é bastante seguro, mas deve ser evitado em mulheres que possuam gravidez de risco, seja qual for o motivo. Também não é indicada para bebês com mais de 4,5 quilos, casos antecedentes de hemorragia.

Vale lembrar que a mulher só deve entrar dentro d’água quando estiver com 7 centímetros de dilatação.