Vínculo mamãe e bebê

O vinculo mamãe e bebê é importantíssimo para o desenvolvimento dos pequenos. Veja algumas dicas para estimular o seu bebê com relações afetivas:

Desde o ventre materno, há uma relação muito forte entre mãe e bebê. Essa relação intrínseca é fundamental para o desenvolvimento emocional da criança.

Para que o bebê tenha um desenvolvimento saudável e harmonioso, é essencial que ele se sinta amado e desejado para que consiga dar passos em direção a um bom desenvolvimento da personalidade.

Quando nascemos, os neurônios já estão presentes no cérebro. Mas eles ainda não formam a rede de conexões chamada de sinapse. Essas conexões vão se formando no cérebro do bebê com o passar do tempo.

Quanto mais carinho afetivo o bebê tiver, maior será o desenvolvimento dele, que poderá crescer com mais segurança.

Neste vídeo, a psicóloga Mirtes Gonzalez aborda sobre o vínculo afetivo entre a mãe e o bebê, e o que isso influencia na personalidade da criança. Confira:

Vinculo mamãe e bebê

A formação do vínculo afetivo começa justamente com o contato corporal. Funciona mais ou menos assim: o bebê chora quando está com fome. Assim que a mãe lhe oferece alimento, a criança se acalma porque tem sua necessidade básica atendida. Essa interação do bebê com a mãe vai se construindo a partir desta reciprocidade.

Não importa simplesmente dar o seio e sim a forma como a amamentação é dada. A mãe não pode dar de mamar para a criança de uma forma displicente. É preciso oferecer atenção e aconchego, abrigando a criança nos braços de uma forma amorosa.

Foto: Growingyourbaby

Foto: Growingyourbaby

A construção para outros vínculos vai se formando no decorrer da vida a partir das ligações afetivas que começam na infância. Assim, podemos considerar que esse primeiro vínculo com a mãe assume um papel fundamental em suas escolhas da vida futura. É a base da confiança que o ser humano estabelece com o mundo.

Outro método para estreitar o vinculo mamãe e bebê é a técnica da Shantala. Conheça também os benefícios da Shantala para bebês 

Autora:
Mirtes Gonzalez
Psicóloga