Vesícula Vitelínica (Vitelina): o que é e para que serve?

O que é vesícula vitelínica ou vetelina? Veja nesta matéria!

Fundamental para o acompanhamento da saúde das mamães e dos bebês, o exame de ultrassom ou a ultrassonografia é solicitada após a descoberta da gestação para confirmar a gravidez e a idade gestacional (primeiro exame).

O ultrassom ainda tem outras indicações para casos de ameaça de aborto ou óbito fetal, sangramento vaginal, suspeita de gestação ectópica ou gestação múltipla, localização de DIU (Dispositivo Intrauterino), discrepância entre a idade gestacional e o tamanho fetal e suspeita de anormalidades uterinas, entre outras.

Pelo visto o ultrassom é fundamental para muitos diagnósticos e principalmente, para descartar patologias. Mas, se ele for realizado muito cedo, pode trazer insegurança e até preocupação aos futuros papais. Isso porque no comecinho da gestação é normal não visualizar o embrião, mas só um saco vazio.

Vesícula vitelínica (ou vitelina): o que é e para que serve? 

Geralmente, em um exame de ultrassom realizado na quarta ou na quinta semanas de gravidez, a primeira coisa que se vê é o saco gestacional, mas não o embrião. Isso porque ele ainda é muito pequeno e só poderá ser visto por volta da sétima semana de gravidez.

Vesícula vitelínica o que é

Foto: Verywell

Vale ressaltar que para ouvir os batimentos cardíacos nesta fase é preciso que o exame seja de ultrassonografia e não com o Sonar – aquele aparelho que os obstetras têm nos consultórios médicos – que emitem apenas som, sem imagens.

Entre a quinta e a sexta semanas também é possível ver a vesícula vitelina (estrutura fetal) dentro do saco gestacional – que aparece quando a produção do hormônio Beta HCG chega a 3 mUI no sangue (aproximadamente).

Mesmo que o embrião não seja visualizado, a presença do saco gestacional e da vesícula vitelínica dentro do útero confirma a existência de uma gravidez intrauterina, descartando a possibilidade de uma gestação ectópica (óvulo fecundado fora do útero).

Mais para frente, o saco gestacional se transformará na bolsa amniótica e acompanhará o desenvolvimento da gestação. É dentro deste saco que, possui acúmulo de líquido amniótico, que o embrião se formará.

Saco gestacional: tamanho

Até a 12ª semana de gravidez o saco gestacional dá suporte ao embrião e também serve de parâmetro para saber se a gestação está evoluindo de forma adequada. O saco gestacional aparece em torno da quarta semana de gravidez como se fosse uma mancha no útero, e depois, quando a gestação caminha para a sexta semana, ele se apresenta de forma mais visível.

No início, para saber se a gravidez está se desenvolvendo de forma saudável, o médico avalia, por meio de uma ultrassonografia, o formato, a implantação, conteúdo e o tamanho do saco gestacional. Por exemplo, quando um saco gestacional é menor que o tamanho referente à idade gestacional, é muito provável que a gravidez seja mais nova (tenha menos tempo) que a mulher julgue.

Através das medidas do saco gestacional, a idade da gravidez é determinada pela sigla CCN (Comprimento Cabeça Nádegas).

 

Se avaliando o tamanho do saco gestacional, comparando-o ao período de gestação, o médico descobre, por exemplo, que o diâmetro dele é maior que 20 mm e não visualiza o embrião, é bem provável que o diagnóstico seja “Gravidez Anembrionária”. Ou seja, o saco gestacional está vazio, sem embrião dentro. Isso porque o óvulo foi fertilizado, se implantou no útero, mas o embrião não se desenvolveu. É o chamado “ovo cego”.

Os estudos são bem rasos, mas, segundo especialistas, esse problema pode acontecer com qualquer gestante e grande parte delas engravida, normalmente, depois disso.

Leia mais:Gestação nas trompas – Entenda como acontece

Tabela de medidas (parâmetros) do saco gestacional:

tabela de medidas saco gestacional


Vesícula vitelínica hidrópica

A vesícula vitelina realiza a transferência de nutrientes para o bebê antes de o cordão umbilical ser desenvolvido. A partir do momento em que o cordão aparece (em torno da 12ª semana), a vesícula vitelínica desaparece. Na quinta semana, ela mede cerca de 3 mm de diâmetro. Em casos de vesículas vitelínicas hidrópicas (maior que 7 mm), elas não somem e o embrião não faz a ligação com o cordão umbilical e não se desenvolve.

Quando o médico faz esta constatação por meio de um ultrassom, ele costuma pedir outro exame para confirmar o diagnóstico. De qualquer forma, é o médico quem determinará o que deve ser feito quando se tem o diagnóstico de vesícula vitelínica hidrópica ou de gravidez anembrionária.