Posição ideal para o bebê nascer

Este assunto é motivo de muitas dúvidas e nervosismo por parte das gestantes, principalmente no final da gravidez – e para aquelas que desejam dar a luz por meio do parto normal. Mas afinal, qual é a posição correta e quais são os riscos para os bebês?

A posição correta

Para que o parto possa acontecer com tranquilidade, é necessário que o bebê esteja de cabeça para baixo, a chamada apresentação cefálica. Dessa forma, ele pode se adaptar facilmente ao canal do parto, diminuindo os riscos e as dificuldades.

Se o bebê estiver em qualquer outra posição, o pré-natal e o período antes do parto necessitam de cuidados.

 Leia ainda: Exercícios ideais para cada fase da gestação

Bebê sentado

Quando o bebê está sentado, a posição precisa ser analisada com cuidado. O primeiro passo é verificar se ele possui alguma anomalia ou se o problema está no útero ou na posição da placenta.

Riscos

Quando o bebê não está em apresentação cefálica e o parto se aproxima, os futuros pais e os médicos que acompanham a gestação devem se reunir para analisar e discutir qual a melhor opção de parto. O importante é não causar qualquer dano ao bebê ou à mulher.

Quando o bebê não está na posição ideal existem muitos riscos. O primeiro se deve à compressão do cordão umbilical, que é por onde o bebê respira e se mantém vivo antes de nascer.

Outro grave problema do parto vaginal é a saída dos ombros e cabeça. A chamada cabeça derradeira é quando todo o corpinho sai, exceto a cabeça do bebê. Ela pode ser muito grave, o que pode acarretar morte ou sequelas irreversíveis. Mas são raros os casos devido à opção da cesárea.

Parto vaginal ou cesárea

O parto vaginal, ou normal, deve ser realizado apenas quando a apresentação do bebê é cefálica, de cabeça para baixo. Caso esta não seja a posição do bebê, deve se realizar cesárea.