Grávida acima do peso: dicas do que fazer

Grávida acima do peso, dicas do que fazer para encarar a obesidade:

Sabemos que durante a gestação é necessário um maior cuidado com a alimentação garantindo a adequação da ingestão de energia, vitaminas e minerais para atendimento das demandas metabólicas da mãe, contribuindo para o crescimento pleno do feto. Em especial, após o segundo trimestre de gestação. Mas, é importante ficar atenta ao ganho de peso, que pode trazer sérias consequências à saúde.

Grávida acima do peso – Dicas do que fazer

“De um modo geral, a questão da obesidade na gestação implica em danos para a saúde da mamãe e do bebê.”

Leia mais: Ganho de peso recomendado durante a gestação

Foto: Hamilelik

Foto: Hamilelik

Quem afirma é a nutricionista, Mestre e Doutora em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas e professora da Universidade de Taubaté, Fabíola Figueiredo Nejar.

Segundo ela, cada mulher, na sua condição individual, precisa ser avaliada. “Nunca, em nenhum momento durante a gravidez, a gente propõe perda de peso. A ideia é que ela ganhe pouco ou o mínimo necessário para o bom desenvolvimento do bebê”, explica. “E não pode exceder! O ganho de peso excessivo pode ser causa da macrossomia fetal. E o excesso de peso do recém-nascido pode ser fator de risco para doenças crônicas, como a própria obesidade, o diabetes, a hipertensão arterial e a hipercolesterolemia na vida adulta. Por isso a ideia de planejar a alimentação durante a gestação. Assim o ganho de peso será adequado promovendo a saúde do ‘binômio mãe-filho’.”

De qualquer maneira, a saída não seria a grávida acima do peso sair por aí fazendo regimes. Já que tanto o sobrepeso quanto o baixo peso pode comprometer e agravar a saúde da mamãe, podendo trazer consequências como, pré-eclâmpsia: pressão arterial elevada, ou diabetes gestacional (no sobrepeso) e desnutrição e quadros anêmicos (no baixo peso).

Para evitar o ganho de peso excessivo durante a gestação, a dica é manter uma alimentação saudável e rica em nutrientes necessários à mãe e ao bebê.

 

Além da prática de atividade física adequada à fase gestacional. Participar de grupos de reeducação alimentar e nutricional tem grandes efeitos, um deles é o incentivo.

“A indicação é que, se possível, a gestante participe de encontros em grupos ou individuais com médico e/ou nutricionista ou até mesmo com uma equipe multiprofissional, que sempre considere as questões sociais, econômicas e culturais em suas prescrições alimentares. Vale a pena para garantir uma boa gestação”, recomenda a nutricionista.