Colar de Âmbar: para que serve, riscos, como usar

Entenda como funciona o colar de âmbar e saiba o que dizem as mães e os especialistas sobre a eficácia e riscos do produto


como usar colar de âmbar
(Foto: Well Being Kid)

O colar de âmbar é um acessório que vem ganhando cada vez mais reconhecimento como um auxílio para aliviar dores e desconfortos em bebês. Logo após o nascimento, muitos bebês choram bastante devido às cólicas, que geralmente acometem os recém-nascidos até os quatro meses.

A partir dos seis meses, inicia-se a fase do nascimento dos dentes, que também geram muito desconforto e deixam os bebês inquietos, o que traz insegurança aos pais, já que medicamentos nessa primeira fase do bebê não são recomendados.

Para aliviar os sintomas, ácido mães têm recorrido ao colar de âmbar, uma alternativa natural às medicações. Saiba mais a seguir.

   

O que é colar de âmbar?

O âmbar é uma resina fossilizada com o qual são feitas as contas, ou as pedras, do colar. Sua origem é orgânica e a utilização desse mineral remete à idade da pedra, sendo que o âmbar permaneceu como um mineral amplamente usado para fins medicinais com o passar do tempo, especialmente para o alívio de dores e inchaços.

colar de âmbar
(Foto: Desejo de Mamãe)

O âmbar é encontrado, sobretudo, nas regiões banhadas pelo Mar Báltico, no norte da Europa. O mineral encontrado nessa região é rico em ácido succínico, uma substância que é liberada em baixa quantidade no corpo devido ao aquecimento das pedras quando ficam em contato com a pele.

Para que serve?

As propriedades do ácido succínico vêm sendo estudadas nos últimos anos para a comprovação de seus benefícios, mas experiências apontam que a substância, quando liberada em baixa quantidade no organismo, atua como um analgésico e anti-infamatório, aliviando assim o inchaço da gengiva e as dores do bebê no bebê tipo cólica, e por isso é utilizado durante a fase da dentição, ou seja, entre seis meses a dois anos.

Receba notícias do Gestação Bebê. É grátis!

messengerFacebook Messenger

Tudo sobre gravidez e filhos pelo chatbot do Gestação para o Facebook Messengergestação botao

Segundo os pesquisadores, o ácido succínico é absorvido pelo organismo e fortalece o sistema imunológico, além de atuar no sistema nervoso, o que deixa o bebê mais calmo e proporciona um sono mais tranquilo.

Para alcançar esses resultados, o ideal é que o bebê utilize o colar pelo máximo de tempo possível, visto que a substância é liberada gradualmente e em baixa quantidade.

Apesar das pesquisas que vêm sendo realizadas nos últimos anos e os depoimentos positivos de pais que já fazem uso do colar de âmbar, ainda não há comprovações concretas acerca de seus benefícios, e por isso ainda não é possível testificar que o colar  de âmbar realmente funcione.

Colar de âmbar funciona mesmo?

Como sugestões de uso, recomenda-se que o colar seja utilizado próximo à região da qual se acredita gerar o desconforto para o bebê, por isso, se a intenção é que o âmbar alivie desconfortos relacionados à dentição, o ideal que é as pedras fiquem sempre na região do pescoço.

colar de âmbar verdadeiro
(Foto: MomTricks)

Nesse caso, o bebê deve estar constantemente sob a supervisão de um adulto para evitar qualquer risco de asfixia ou estrangulamento.

Como os bebês se movimentam muito, é importante que durante a noite ou quando a criança for para a creche, o colar fique escondido sob a roupa e de modo que não possa ser puxado por alguém ou enroscado em alguma coisa. Nesse caso, algumas mães recomendam a utilização no tornozelo e por dentro da meia.

A associação Brasileira de Odontopediatria e a Associação Brasileira de Pediatria não recomenda a utilização do colar de âmbar, e isso não somente pela falta de comprovações científicas acerca de seus benefícios, mas também pelo risco de sufocamento a asfixia. Além disso, também há o risco de alguma pedra se soltar e o bebê levá-la à boca.

É seguro para o bebê?

Um colar de âmbar para bebê deve ter preferencialmente entre 32 e 36 centímetros, pois esse tamanho de cordão deixa a criança confortável, com um colar nem muito apertado nem muito frouxo, mas também não permite que o colar seja retirado pela cabeça sem a utilização do fecho.

Uma medida importante para a segurança do bebê é que o fecho do colar seja encoberto ou bem preso entre uma pedra e outra, de modo que o bebê não consiga abri-lo ao puxar o colar, assim como evitar que ela consiga retirar as pedras.

É importante que os pais e cuidadores observem o comportamento do bebê após o início da utilização do colar, se a criança apresentar mais irritabilidade, desconforto maior do que estava antes ou qualquer sintoma adverso, o colar deve ser retirado para ter certeza de que não é o acessório que está irritando o bebê. O ideal é consultar o pediatra e relatar o uso do produto.

Ainda que os pediatras e dentistas não recomendem a utilização do colar, a decisão de experimentação do acessório é dos pais; entretanto, é importante informar ao médico de confiança sobre o uso, para que ele tenha ciência e também possa avaliar qualquer alteração comportamental e de saúde nas consultas de rotina.

Como saber se o colar de âmbar é verdadeiro?

Para usufruir dos resultados sugeridos pelo colar de âmbar e os benefícios do ácido succínico, é fundamental que o colar seja verdadeiro, ou seja, as pedras devem ser provenientes da região Báltica. Isso porque somente o mineral dessa região possui a concentração do ácido necessária para a liberação da substância em quantidade para que os benefícios sejam percebidos.

Existem alguns testes que permitem a verificação da autenticidade das pedras do colar. O primeiro é o preço de comercialização. Como as pedras são de uma região específica da Europa, o valor inevitavelmente será mais alto. Desconfie de grandes promoções e valores muito abaixo do que o padrão para esse tipo de acessório.



onde comprar colar de âmbar
(Foto: Revista Crescer)

O âmbar báltico, diferente do vidro, não é frio. Ao segurar a pedra nas mãos, ela deve ficar morna, assim como ficará quando estiver em contato com a pele do bebê durante a utilização do colar, o que, como já foi mencionado, é fundamental para a liberação do ácido succínico.

Para verificar se as pedras não são feitas de plástico ou outro material, aqueça um alfinete, agulha ou mesmo a ponta de um garfo e coloque sobre a pedra. O âmbar não sofre alteração pelo calor, não derrete e não muda o formato.

Outro teste é colocar uma ou duas gotas de álcool ou acetona sobre a pedra. Ela não deve ter a cor ou textura alterada; se isso acontecer, não é âmbar. Por fim, as pedras de âmbar devem boiar.

Faça uma mistura de água com sal e mergulhe as pedras; se afundarem, as pedras não são verdadeiras. É importante frisar que o colar não deve ser molhado constantemente, por isso, retire-o do pescoço do bebê na hora do banho.

Preço no Brasil

O colar de âmbar tem se popularizado muito no Brasil por últimos tempos, seja por depoimentos de mães blogueiras e ativas das redes sociais, seja por famosas que aderiram ao uso para os seus bebês.

Essas ações divulgam o acessório e, com isso, inevitavelmente a procura aumenta, assim como as dúvidas com relação ao produto.

Atualmente, já são encontradas páginas brasileiras na internet especializadas na venda de colares de âmbar, onde também podem ser encontradas informações mais técnicas e específicas sobre o acessório.

No Brasil, o colar de âmbar é comercializado por valores que variam entre R$ 90,00 e R$ 300,00. A discrepância tão grande entre os valores deve-se pelo acabamento, sendo que quanto mais lapidada, mais cara a pedra, e pela qualidade das peças utilizadas para a confecção do colar, como o fecho e o cordão, além da cor das pedras.

Existem colares de âmbar com pedras de cor mel, que são as mais facilmente encontradas, pedras de tonalidade marrom e outras de vários tons de amarelo.

Além dos colares, também são comercializados brincos, pulseiras e tornozeleiras feitas com pedras de âmbar, que custam entre R$ 50,00 e R$ 200,00. Devido à sua finalidade, esses acessórios também são indicados para adultos e idosos, por isso, no ato da compra pela internet é importante verificar o tamanho indicado na descrição do produto.

Onde comprar?

Apesar de existirem algumas joalherias físicas que vendam colares e outros acessórios feitos de âmbar, os acessórios são mais facilmente encontrados para venda na internet.

para que serve colar de âmbar
(Foto: of KidNurse)

Há páginas na internet que comercializam apenas esse tipo de produto nos mais variados formatos e tamanhos e que garantem a procedência das pedras. Juntamente com o colar, essas lojas virtuais também entregam certificados de autenticidade do produto, informativos sobre a correta utilização e garantia, geralmente de três meses.

Toda mãe preza pelo seu bebê e deseja o melhor para ele, por isso, adquirir um produto de qualidade e que seja seguro é fundamental para a sua tranquilidade. Por isso, é importante, antes de adquirir o colar de âmbar, seguir as recomendações acima e se certificar da procedência e autenticidade das pedras.

Como usar o colar de âmbar corretamente?

Deixar o bebê sempre sob sua supervisão enquanto ele estiver utilizando o colar no pescoço é fundamental para a segurança do bebê. Durante a noite, é recomendado enrolar confortavelmente o colar no tornozelo da criança, para que o contato das pedras com a pele permaneça, mas de forma segura.

Além dos benefícios já citados, o colar de âmbar é um acessório bonito, diferente, funcional e uma peça a ser guardada como uma joia do bebê. Entretanto, como geralmente a utilização é com a finalidade de diminuir a irritabilidade, dores e desconfortos que acometem as crianças, é extremamente importante acompanhar os resultados.

Se o bebê não apresentar melhora nesses sintomas, procure um médico para a verificação do problema e a necessidade de uso de medicação.

 

Colar de Âmbar: para que serve, riscos, como usar
Avalie esta matéria!

- Publicidade -

- Publicidade -

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*