Search

Anticoncepcional Injetável: vantagens e desvantagens

Descubra se o anticoncepcional injetável é o método mais adequado para atender às suas necessidades, analisando suas vantagens e desvantagens

O anticoncepcional injetável tem se tornado um método cada vez mais usado pelas mulheres que querem evitar uma gravidez indesejada.

Esse contraceptivo hormonal deve ser aplicado mensalmente ou a cada trimestre (dependendo da sua composição) e consiste em uma ótima opção para facilitar o dia a dia corrido da mulher moderna ou para quem se esquece de tomar a pílula diariamente.

Apesar da comodidade do anticoncepcional injetável, é preciso entender questões importantes sobre o seu uso, como ele funciona, para quem é indicado, se engorda, entre outras informações.

Então, continue com a leitura e descubra se essa é a melhor opção para você.

Como funciona o anticoncepcional injetável?

O anticoncepcional injetável é feito à base de progesterona ou estrogênio, hormônios que também compõem a pílula anticoncepcional. Ou seja, ele age da mesma maneira que a pílula, o que muda é apenas a forma como é utilizado.

   

Ele é recomendado para as mulheres que eventualmente se esquecem de tomar a pílula todos os dias (o que leva à perda da eficácia do tratamento).

Receba notícias do Gestação Bebê. É grátis!

messengerFacebook Messenger

Tudo sobre gravidez e filhos pelo chatbot do Gestação para o Facebook Messengergestação botao

Esse anticoncepcional é injetado na região das nádegas da mulher, liberando uma pequena quantidade de hormônio por dia em sua corrente sanguínea. Isso faz com que a gravidez seja evitada, já que ovulação é inibida.

Além disso, ele reduz a espessura do endométrio e deixa o muco cervical mais espesso, o que acaba impedindo a passagem dos espermatozoides.

Como foi citado anteriormente, a aplicação deve ser feita a cada mês, entre o primeiro e o quinto dia do ciclo menstrual, o que é fundamental para que a sua eficácia não seja comprometida.

anticoncepcional injetável

(Foto: Epidemics – Penn State)

Em relação ao injetável trimestral, ele tem como base apenas a progesterona. Como esse hormônio tem uma absorção mais lenta pelo organismo, o tempo de duração é maior.

É comum acontecer de o fluxo menstrual diminuir com o uso desse método contraceptivo, o que ocorre por conta da maior quantidade de hormônios no organismo.

O ginecologista avalia cada caso e indica para a mulher se essa é a melhor opção para ela.

Anticoncepcional injetável engorda?

Um dos principais motivos que leva muitas mulheres a não optarem pelo uso do anticoncepcional injetável é o receio de engordar com as aplicações.

Embora algumas pessoas considerem isso apenas um mito, a verdade é que ele pode sim provocar inchaço na mulher, o que a leva crer que engordou.

Em geral, esse inchaço se deve à retenção de líquidos, o que é provocado pela grande concentração do hormônio progesterona presente na sua composição (que é maior do que a quantidade presente na pílula).

Além disso, a aplicação desse contraceptivo pode fazer com que o apetite aumente, levando a uma maior ingestão de alimentos e, consequentemente, ao aumento do peso.

Desse modo, mesmo as mulheres que não apresentam uma pré-disposição para o ganho de peso podem acabar sofrendo com esse problema. Apesar disso, foi observado que as pacientes já obesas não apresentam um aumento de peso pelo uso do contraceptivo.

Como cada organismo reage de um jeito diferente, há mulheres que podem não passar por problemas de ganho de peso com o uso desse contraceptivo.

Vantagens e desvantagens

Apesar de a principal vantagem do uso do injetável ser o alto índice de eficácia na prevenção da gravidez, ele também apresenta algumas desvantagens, como acontece com todos os tipos de anticoncepcionais.

Saiba a seguir quais são os principais benefícios e efeitos colaterais que o seu uso pode trazer:

Vantagens

A principal vantagem do anticoncepcional injetável é que, ao contrário da pílula, não é necessário tomar todos os dias.

Anticoncepcional injetável trimestral

(Foto: Saúde Vida Total)

Por conta disso, esse é um dos fatores que mais são levados em conta por mulheres que, devido aos muitos afazeres do dia a dia, acabam se esquecendo de tomar a pílula.

Além dessa comodidade, outras vantagens do seu uso são:

  • Diminui os sintomas da TPM, como cólicas;
  • Ajuda a evitar a anemia, pois aumenta a produção de glóbulos vermelhos;
  • Recomendado para mulheres que usam outros tipos de medicamentos de uso contínuo;
  • Indicado para quem é intolerante à pílula e outros contraceptivos;
  • Ajuda no combate a doenças inflamatórias pélvicas, além do câncer no ovário, mamário ou de endométrio.

Desvantagens

Após conhecer as vantagens do uso desse medicamento injetável, veja agora quais são as suas principais desvantagens:

  • Pode provocar retenção de líquidos, levando a queixas de ganho de peso;
  • Não protege contra DST;
  • Pode causar dor nos seios, cabeça e pernas;
  • Não deve ser aplicado durante a amamentação;
  • Há casos onde causa o aumento do apetite;
  • Pode estimular a formação de varizes e causar náuseas e vômitos;
  • Quando o uso é interrompido, a fertilidade geralmente leva por volta de 6 meses a um ano para voltar;
  • Devido à baixa do nível de progesterona e alimento do estrogênio, escapes podem ocorrer;
  • Os hormônios injetados podem levar ao excesso de sangramento ou uma ausência da menstruação (conhecido como amenorreia);
  • Aumenta o riso de doenças cardiovasculares em mulheres fumantes.

Antes de começar a usar esse tipo de anticoncepcional, é importante fazer uma visita ao ginecologista, que vai explicar a respeito de todas as vantagens e também sobre os possíveis perigos relacionados ao uso desse injetável.

Se, por algum motivo, a mulher não se adaptar a esse método, o recomendado é que ele seja substituído por um outro tipo de contraceptivo.

Nomes dos medicamentos mais usados

A seguir, confira quais são as marcas mais conhecidas e usadas de anticoncepcionais injetáveis.

É importante ressaltar que cada organismo é diferente do outro e, por esse motivo, o que funciona bem para uma mulher nem sempre é o mais indicado para outra.

Anticoncepcional injetável mensal

(Foto: HypeScience)

Os nomes mais comuns encontrados no mercado são:

  • Ciclovular;
  • Cyclofemina;
  • Depo-provera;
  • Mesigyna;
  • Noregyna;
  • Perlutan;
  • Previane;
  • Unociclo.

Qual o valor?

O preço do anticoncepcional injetável pode variar bastante, o que vai depender da marca e também da região do país onde é vendido.

O valor médio é em torno de R$ 15,00 a R$ 45,00 mas pode chegar a até R$ 70,00.

Também pode haver variação de preço entre os que são injetados mensalmente ou a cada três meses.

Esse tipo de medicamento pode ser encontrado facilmente em qualquer farmácia.

Como usar?

A injeção deve ser comprada na farmácia com a apresentação da receita médica. A aplicação é feita sempre na região dos glúteos.

É fundamental ressaltar que a aplicação do anticoncepcional injetável deve ser feita por um profissional (médico, enfermeiro ou farmacêutico). Dessa forma, a aplicação feita pela própria mulher não é aconselhável.

No caso da injetável composta de estrogênio e progesterona, ela deve ser usada mensalmente. Já a que contém apenas a progesterona em sua composição deve ser aplicada a cada três meses.



Quando a mulher não faz uso de pílula ou outra injeção anticoncepcional, a primeira aplicação deve acontecer no primeiro dia da menstruação (ou até 5 dias após ela ter início).

As próximas injeções devem ser tomadas a cada 30 dias, com uma tolerância de cerca de 3 dias. Sendo o contraceptivo injetável trimestral indicado para mulheres que não querem ou não podem receber estrogênio.

Esquecimento e troca de contraceptivo

Caso ocorra um atraso na nova injeção por mais de 3 dias, é preciso aguardar até a menstruação descer e só assim aplicar novamente a injeção. O recomendado é que seja feito o uso de preservativo nas relações para evitar a gravidez.

vantagens do anticoncepcional injetável

(Foto: Médico Responde)

Se a mulher toma pílula anticoncepcional e decide trocá-la pela injeção, ela pode ser aplicada no mesmo dia em que o uso da pílula for interrompido. Desse modo, não é necessário fazer o uso de preservativo.

Ao deixar de fazer o uso do injetável, o ciclo ovulatório será restabelecido de 3 a 6 meses (em alguns casos, pode levar até um ano). Se acontecer de a menstruação não voltar por mais de 3 meses, o ginecologista deverá ser avisado.

Recomendações importantes

É fundamental lembrar que, caso a mulher tenha relação sem o uso de nenhum método contraceptivo, ela deve fazer o teste de gravidez antes que a primeira injeção seja tomada.

Além disso, o uso de preservativo deve ser feito durante o primeiro ciclo de aplicação do injetável, ou seja, até que a segunda aplicação seja feita.

Outra importante orientação dos médicos é que a mulher não massageie o local da aplicação e, caso sinta a região dolorida, também não faça compressa usando água quente. Essas ações podem fazer com que a absorção do contraceptivo acabe sendo prejudicada.

Quando o uso for iniciado após o parto, é preciso aguardar entre 21 e 28 dias depois de o bebê nascer (lembrando que a injeção não deve ser feita se estiver amamentando).

Já no caso de a mulher ter tomado pílula do dia seguinte ou ter sofrido um aborto, a injeção deve ser aplicada de imediato.

Anticoncepcional injetável é 100% seguro?

Para começar, é importante salientar que nenhum método contraceptivo é considerado 100% seguro, já que todos podem apresentar falhas, embora as chances de isso acontecer sejam muito baixas.

No caso do anticoncepcional injetável, ele é muito eficaz, pois tem apenas 0,1% a 0,4% de falha (o que equivale à eficácia de uma ligadura de trompas). Para não correr riscos, o seu uso deve ser feito por meio de recomendação de um ginecologista e a aplicação realizada por um profissional.

Mensal ou trimestral?

Quando a mulher decide usar o contraceptivo injetável, muitas vezes surge a dúvida sobre qual é a opção mais adequada para ela: o mensal ou o trimestral.

A aplicação mais usada é a mensal, que é feita a cada 30 dias. Ela não é indicada para mulheres que estejam amamentando ou que sofram de diabetes, enxaqueca ou problemas no fígado.

Já o injetável trimestral faz com que a ovulação cesse por 3 meses, sendo indicado para quem não pode fazer o uso de estrogênios. Dessa forma, é uma opção adequada para quem apresenta anemia falciforme ou epilepsia.

Quem não pode usar?

O uso da injeção anticoncepcional não é indicado em algumas situações, como é mostrado a seguir:

  • Hipersensibilidade a algum dos componentes presentes na fórmula;
  • Gestantes e mulheres que estão amamentando até 6 semanas após o parto;
  • Histórico de tromboflebite, distúrbio do tromboembólico, doença do fígado, cardiopatia;
  • Doença vascular, hipertensão grave, dores de cabeça graves, diabetes superior a 20 anos, câncer de mama atual;
  • Quando for realizada uma cirurgia de grande porte;
  • Presença de sangramento vaginal anormal ou uterino;
  • Fumantes que consomem mais de quinze cigarros diariamente;
  • Mulheres acima de 35 anos.

Menstruação usando o anticoncepcional injetável

Em relação ao uso do injetável mensal, pode acontecer uma redução do fluxo menstrual, o que é algo normal devido à quantidade maior de hormônios no organismo. Apenas em alguns casos a menstruação para de descer.

nomes de anticoncepcionais injetáveis

(Foto: Extra Online)

Já quando é feito o uso do trimestral, geralmente a menstruação cessa por completo, pois a carga hormonal é maior.

É comum ocorrer um escape durante o uso do injetável, que geralmente tem a aparência de borra de café. Isso pode levar a mulher a acreditar que se trata de uma gravidez, pois ela acaba confundindo com a nidação.

No entanto, são raros os casos de gravidez, apesar de existirem situações onde o uso prolongado do mesmo tipo de contraceptivo pode resultar em uma gravidez. O motivo para o escape muitas vezes se deve ao uso do medicamento fora do período indicado ou porque o organismo se acostumou com a quantidade de hormônio injetado.

Por esse motivo, é fundamental que a mulher busque orientação com o ginecologista para que ele possa esclarecer as dúvidas a respeito. O que mais importa é se sentir segura com o uso do método contraceptivo mais adequado.

Para finalizar, é bom lembrar que a escolha do método contraceptivo deve ter a indicação médica. Isso porque, além de ser necessário uma avaliação de diversos fatores relacionados à paciente, ele só é aplicado com a apresentação de receita.

Por isso, se você deseja fazer uso do anticoncepcional injetável, consulte o seu ginecologista para que ele possa esclarecer todas as dúvidas e indicar a melhor opção.

Referências

trocandofraldas.com.br/anticoncepcional-injetavel-mais-beneficios-ou-desvantagens

tuasaude.com/injecao-anticoncepcional-mensal

vibrasaude.com/saude-feminina/anticoncepcional-injetavel

arevistadamulher.com.br/ginecologia/content/2406763-conheca-os-pros-e-contras-da-injecao-anticoncepcional

terra.com.br/vida-e-estilo/saude/avalie-pros-e-contras-do-anticoncepcional-injetavel,91d6649ac3cecf577d467ae50feffd08uxejy8wq.html

gineco.com.br/saude-feminina/metodos-contraceptivos/injecao-anticoncepcional

Avalie esta matéria!

- Publicidade -

- Publicidade -




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*