Search
Search
X

Mitos e verdades sobre um recém-nascido

Descubra quais os Mitos e Verdades que rodeiam o universo dos recém-nascidos e que deixam as mamães ainda mais confusas nesta fase

O Gestação Bebê reuniu aqui algumas dicas importantes e também alguns mitos e verdades sobre um recém-nascido que merecem esclarecimento. Veja:

Principalmente para as mamães de primeira viagem, cuidar de um recém-nascido pode ser um assunto um tanto quanto assustador.

Mesmo quem já está esperando o segundo ou mesmo o terceiro filho pode se confundir ou ficar em dúvida com tantos detalhes e conselhos conflitantes que sempre ouvimos por aí.

Cuidados com o bebê recém-nascido

Cuidar de um recém-nascido não é tão difícil  – ao mesmo tempo, exige atenção aos pormenores, muito cuidado com a segurança do bebê e informação. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), “o bebê precisa que sejam asseguradas suas necessidades físicas (alimentação, limpeza, etc.) e psicossociais (sentir-se seguro, amado, protegido, valorizado). O pai também deve se envolver diretamente com os cuidados do bebê, ainda que eles geralmente estejam centrados na figura materna, especialmente nos primeiros meses de vida da criança.” (Fonte: “Cuidando do seu bebê”, Conversando com o Pediatra – SBP).

Apesar de simples, os cuidados com um recém-nascido estão envoltos em alguns mitos que podem acabar atrapalhando a tranquilidade possível nos primeiros meses e até colocar a saúde e a segurança do bebê em risco. Para se livrar de alguns desses enganos muito comuns, confira abaixo alguns mitos e verdades sobre recém-nascidos.

Bebês recém nascidos mito

Foto:Emilylucarzphotography

Mitos e verdades sobre um recém-nascido

 Algumas mães têm “leite fraco” e precisam complementar a alimentação do recém-nascido.

Mito – Segundo a SBP e o Ministério da Saúde, não existe leite fraco. O que existe são dificuldades na amamentação que podem comprometer a produção de leite materno em quantidade suficiente para suprir as necessidades do bebê. Para garantir o sucesso da amamentação a mãe precisa de segurança emocional, tranquilidade, autoconfiança, muito apoio e orientação adequada (a produção e descida do leite é comandada, entre outros hormônios, pela Ocitocina e Endorfinas – hormônios relacionados ao bem-estar, ao prazer, aos sentimentos de afeto). Além disso, beber muita água e amamentar o recém-nascido na primeira hora de vida ou o mais cedo possível.

Para ler também: Mitos e verdades em torno da amamentação

O bebê precisa beber água, especialmente no calor

Mito – Para garantir a saúde do bebê e todos os benefícios do aleitamento materno, a amamentação deve ser exclusiva até os 6 meses – isso significa que nenhum outro líquido ou alimento deve ser oferecido ao bebê. O leite materno já contém água suficiente para hidratar o bebê, além de ser o alimento mais completo e seguro que existe. Oferecer água, chás ou sucos pode fazer com que o bebê se sinta satisfeito e recuse o leite materno, e assim não se alimente direito. Segundo a especialista em cuidados com o recém-nascido Mariana Zanotto Alves, mesmo quem alimenta o bebê com fórmula infantil deve seguir a mesma lógica e não oferecer nada além do leite artificial indicado pelo pediatra.

Chupetas e mamadeiras prejudicam o bebê

Verdade – Para a SBP, “além de deformar a arcada dentária da criança, bicos podem provocar problemas de fala. E favorecem também a entrada de vírus, germes e bactérias na boquinha de seu filho. Durante a amamentação, os bicos podem também confundir a pega (sucção das mamas) adequada da criança ao peito materno, dificultando o aleitamento.” (Proteção ao aleitamento materno”, Conversando com o Pediatra – SBP)

chupeta para recém nascido

Foto: Miketrask

A mãe que amamenta deve evitar café, chocolate, pimenta e feijão, entre outros alimentos, para não causar cólicas no bebê

Mito – As cólicas em recém-nascidos são um desconforto natural e inevitável, parte da formação do tubo digestivo dos bebês, e não existe nenhuma evidência científica de que algum alimento ingerido pela mãe piore ou melhore as cólicas em bebês alimentados somente com leite materno.



O bebê deve dormir de lado para evitar refluxo

Parcialmente Mito – A recomendação tanto da SBP quanto da Sociedade Americana de Pediatria é que o bebê durma de barriga para cima, sem nenhum tipo de travesseiro. Segundo pesquisas, essa posição diminui em 70% o risco de Síndrome da Morte Súbita. No entanto, não existe consenso absoluto entre os profissionais. Para ler mais sobre a melhor posição para o bebê dormir clique aqui.

Bebês sentem mais frio que os adultos

Mito – Segundo o pediatra Antranik Manissadjian, recém-nascidos devem ser vestidos segundo a sensação térmica dos adultos, e não pela temperatura dos seus pés e mãos – que são naturalmente mais frios por causa da lentidão da circulação em bebês muito novos. Em dias quentes, recém-nascidos podem (e devem) usar roupas leves ou ficar só de fraldas.

Mãe e bebê devem ficar reclusos no período de resguardo

Parcialmente mito – Segundo a SBP, não existe uma data certa para levar o bebê para o primeiro passeio, e não há necessidade de que mãe e bebê guardem resguardo e fiquem fechados em casa. No entanto, o recém-nascido não deve ir a lugares fechados como shoppings, supermercados ou festas nos primeiros dois ou três meses.

O pediatra Antranik Manissadjian lembra ainda que as 4 primeiras semanas de vida de um recém-nascido são um período de adaptação do bebê ao mundo e à vida fora do útero, e por isso pode ser melhor para mãe e bebê ficarem em casa, se acostumando um ao outro. Para o pediatra, um bebê não deveria realmente sair para pesseios antes de tomar a primeira dose de cada vacina.

DVD’s e vídeos educativos deixam o bebê mais inteligente

Mito – Bebês aprendem se relacionando e observando as pessoas à sua volta, e bastante contato físico e comunicação oral com seu recém-nascido é estímulo suficiente para que ele se desenvolva plenamente. Segundo o neurologista Mauro Muszkat, coordenador do núcleo de atendimento neuropsicológico infantil interdisciplinar do departamento de psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), as imagens de vídeos, programas televisivos e DVD’s podem, na verdade, causar um sub-desenvolvimento do córtex pré-frontal do bebê, região do cérebro que realiza manipulação e armazenamento de informações. No futuro, isso pode compremeter sua capacidade de concentração. A Sociedade Americana de Pediatria também recomenda que bebês só sejam expostos a televisão e outras mídias depois dos 2 anos.

recém nascidos cuidados

Foto: Inewsgr

Dicas para cuidar dos bebês

A dica mais importante para cuidar de um bebê é: confie nos seus instintos, no seu conhecimento e na sua ligação única com o seu bebê. Claro que ninguém nasce sabendo como cuidar de um recém-nascido, nem homem nem mulher. Mas tranquilidade, confiança e paciência para aprender já são mais que meio caminho andado. Ainda assim, para garantir uma dose a mais de segurança, aqui vão algumas dicas extras:

  1. faça uma consulta com um pediatra ainda no pré-natal – você vai poder conhecer melhor as opiniões do pediatra escolhido para acompanhar seu filhote e já receber algumas orientações importantes;
  2. só compre um berço que tenha selo de segurança do INMETRO, e não coloque almofadas ou bichinhos de pelúcia dentro do berço;
  3. na hora do banho, use sabonetes à base de glicerina (que ajuda a manter a hidratação natural da pele) e, de preferência, sem fragrância;
  4. sempre lave as roupinhas novas antes de usá-las no bebê;
  5. as roupas do bebê devem ser lavadas somente com sabão de côco – jamais use lava-roupas especiais, amaciantes ou alvejantes;
  6. mantenha uma rotina – banho de sol, mamadas, hora da brincadeira, banho, sonecas, rotina noturna, sempre mais ou menos no mesmo horário todos os dias. Nos primeiros meses, bebês precisam da segurança que uma rotina bem estabelecida traz para se sentirem tranquilos.

Que tal uma festinha para comemorar a chegada do bebê? 

Nossa parceira Kátia do Casos E Coisas da Bonfa tem ideias bacanas para festinhas desde de chá de bebê à festas infantis. Inspire-se com estas super dicas!

 




Comentários:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*