Engravidar tomando anticoncepcional faz mal para o bebê?

Engravidar tomando pílula anticoncepcional faz mal para o bebê? Tire suas dúvidas!

A gravidez é um universo mágico, simples e complexo ao mesmo tempo. Isso porque ela traz consigo um misto de emoções: alegria, insegurança, autoconfiança, inquietação, serenidade e ansiedade, entre tantos outros sentimentos.

Quando uma mulher se descobre grávida, a vida dela será regida pelos “pode ou não pode” tão recorrentes a esta fase. São tantas as proibições que, na dúvida, muitas grávidas acabam não fazendo determinadas atividades ou deixam de comer algo que já estavam acostumadas só para que seus bebês não corram riscos.

Mas, e quando ela está grávida e não sabe. Como ficar tranquila em relação à rotina que vem levando? E se a mulher estiver fazendo uso de anticoncepcional, por exemplo, e se descobre grávida, o que fazer? Será que isso traz riscos ao bebê?

Engravidar tomando anticoncepcional faz mal para o bebê?

Engravidar tomando anticoncepcional faz mal para o bebê

Foto: Motherandbaby

Segundo especialistas, o uso da pílula que a mulher toma diariamente por três semanas; fazendo uma pausa de sete dias e retornando uma semana depois (o anticoncepcional convencional) não traz riscos ao bebê. Desde que, assim que a gravidez seja descoberta, a mulher interrompa o uso e informe o seu médico.

A continuidade prolongada desta pílula pode prejudicar a formação de alguns órgãos ou células do feto (no primeiro trimestre de gestação) em virtude dos hormônios que existem na composição do anticoncepcional. Para a formação dos órgãos sexuais do feto, por exemplo, são necessários fatores genéticos e hormonais. Se esses hormônios não estiverem regulados ou adequados, poderão ocorrer alterações nessa formação.

Leia mais: Métodos contraceptivos após a gestação

O mais indicado é que quando uma mulher tem o desejo de engravidar, ela interrompa o uso da pílula anticoncepcional com no mínimo três meses antes de iniciar as tentativas. Mesmo com essa indicação, algumas mulheres acabam engravidando (de forma não planejada) fazendo uso do anticoncepcional. Isso porque elas podem se esquecer de tomar a pílula; podem tomar em horários errados ou podem ter alguma patologia que impeça a função do anticoncepcional.  Além disso, a eficácia da pílula gira em torno de 98%, em média.

Por tudo isso, se a mulher suspeitar de uma gravidez – mesmo a suspeita seja pequena – e esteja tomando o anticoncepcional, ela precisa avisar o seu médico e fazer um teste de gravidez. Evitando prejuízos à formação do bebê.

Outros métodos contraceptivos

Engravidar tomando anticoncepcional faz mal para o bebê

Foto: Netdoctor

A injeção trimestral e o adesivo, por exemplo, diminuem a chance de a mulher estar grávida fazendo uso destes métodos porque eles são utilizados (aplicados) no início da menstruação; depois que o médico certifica-se de que a mulher não esteja grávida. Mas, caso a gestação aconteça, é preciso avisar o ginecologista para que ele retire o adesivo ou pare de aplicar a injeção.

No caso da pílula do dia seguinte, se a mulher já estiver grávida quando fizer uso, também não fará mal ao feto, de acordo com especialistas, mas é importante que o médico seja informado.

Lembrem-se: Cada gravidez é única, com suas particularidades e, fazer o pré-natal e os exames solicitados é fundamental e grande aliado de uma boa gestação!

Avalie esta matéria!

    1. Avatar
      Mariely 15 de junho de 2016
    2. Avatar
      Ju 7 de julho de 2016

    Adicione um comentário

    *