Bebê empelicado: O que é?

O nome pode soar estranho e remeter para algo negativo, mas ao contrário. Algumas crenças acreditam até que os bebês empelicados têm mais sorte durante a vida. Veja a seguir o que isso significa:

Os partos da modelo Gisele Bündchen

O assunto “bebê empelicado” veio à tona após uma entrevista que a modelo Gisele Bündchen deu ao programa Mais Você, comandado por Ana Maria Braga. A entrevista aconteceu no dia 25 de agosto e, dentre outros temas, Gisele falou sobre os partos de seus dois filhos, Benjamim, de 4 anos, e Vivian, de 1. Gisele teve ambos os filhos por meio de parto natural na água, na banheira de sua casa, com uma parteira.

A escolha por esse tipo de parto ocorreu, segundo ela, por ser menos traumático para o bebê. Mas até aí, nenhuma novidade, pois Gisele é uma grande defensora do parto natural e humanizado. Mas foi aí que Gisele revelou que sua caçula Vivian veio ao mundo dormindo, pois ela nasceu dentro da bolsa, que não se rompeu.

Depois, a bolsa estourou e a bebê foi até ela flutuando. Gisele contou ainda que o nascimento de sua segunda filha foi mais tranquilo do que o primeiro parto. Além de mais rápido, ela sofreu bem menos com as dores das contrações.

Leia ainda: Importância da vitamina D na gestação

Foto: vmulher5.

Foto: vmulher5.

Bebê empelicado

Chama-se bebê empelicado quando o bebê nasce dentro da bolsa e protegido por ela. Ele assim não corre o risco de infecções. Dentro da barriga da mãe, o bebê está envolto a líquido amniótico, e assim continua depois de nascer, até a bolsa estourar. Se o parto for na água, o bebê vai continuar por mais tempo no meio em que já está acostumado. Quando isso ocorre, o bebê também não chora. Não é muito comum o nascimento de bebês empelicados, mas isso pode acontecer.