Quando o bebê pode comer peixe?

São muitos os adultos que não gostam de peixe, e, da mesma maneira, algumas crianças estranham e rejeitam, pelo menos num primeiro momento. Mas, como são muitos os benefícios trazidos para a saúde, vale a pena que as mães insistam um pouquinho. Veja a seguir quando e como introduzidor o peixe na alimentação dos pequenos:

A alimentação sólida

A alimentação sólida para o bebê começa por volta dos cinco ou seis meses de idade. A partir daí, a criança já está preparada para combinar o leite materno, até então exclusivo, com novos sabores e texturas. Neste momento, o leite materno deixará de suprir todas as necessidades da criança para o desenvolvimento saudável, por isso outros nutrientes são necessários. Algumas crianças começam a se mostrar ainda com fome após as mamadas, e as mães devem encarar isso como a necessidade da variação do cardápio.

Leia ainda: Hormônio de crescimento para bebês prematuros

A introdução do peixe

A introdução do peixe na alimentação do bebê deve ocorrer aproximadamente no sétimo mês de idade. Quando a criança já conseguir mastigar, pequenas porções de peixe podem ser oferecidas – cerca de 60 gramas. Os pais devem ter paciência e insistir caso a criança estranhe o novo sabor. Não esqueça de tirar os espinhos e partes mais durinhas.

Quando o bebê completar dois anos o peixe já pode ser servido como prato principal – prefira fazê-lo cozido. Uma ideia é preparar sopas de legumes e incluir o peixe.

Quais peixes oferecer ao bebê?

Nos primeiros meses, os pais devem optar pelos peixes brancos, como a pescada, o linguado e a dourada. Eles são magros e de fácil digestão. Outros tipos de peixe devem ser introduzidos na alimentação entre os 18 e 24 meses de idade.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

Reações alérgicas

O peixe pode provocar reações alérgicas, então fique atenta ao oferecer um novo tipo para a criança.