Infecção urinária durante a gestação – Sintomas, Tratamento

As mulheres gravidas possuem maior risco de desenvolver infecção urinária do que as que não esperam um bebê. A explicação é simples: devido a algumas mudanças fisiológicas no corpo feminino os micro-organismos causadores encontram condições mais favoráveis para se desenvolverem. De acordo com estudos, de 10% a 20% das gestantes irá desenvolver a infecção urinária em algum momento da gravidez.

Mudanças no corpo feminino

Algumas das modificações no corpo da mulher gravidas que propiciam o surgimento de infecções urinárias são maior concentração de açúcar na urina, relaxamento do músculo da bexiga e dilatação dos órgãos que levam a urina dos rins à bexiga. Além disso, tais mudanças podem provocar diminuição da resistência da mulher.

 Leia ainda: Dicas para aliviar o calor durante a gestação

Sintomas

As infecções mais comuns ocorrem no primeiro trimestre da gestação, e são leves, as chamadas cistites , que acometem a bexiga. Os sintomas envolvem dor ao urinar, vontade constante de urinar e eliminação de pouca urina, sensação de que a bexiga não ficou totalmente esvaziada. Pode ainda haver mudança de cor o odor da urina, e a presença de sangue.

Um tipo mais grave de infecção, e também mais raro, é a chamada pielonefrite, que acomete os rins. Os sintomas são mais agressivos, e envolvem náuseas, vômitos, febre e dor na região lombar. Os sintomas da cistite também podem ocorrer conjuntamente. Este tipo é mais comum no último semestre da gestação.

Tratamento

O tratamento inclui o uso de antibióticos, que devem ser receitados por médicos especialistas. O mercado oferece hoje medicamentos seguros para gravidas.

Outras medidas importantes são beber bastante líquido, realizar a higiene da região de maneira adequada, não segurar a urina por muito tempo, esvaziar a bexiga sempre que urinar, e sempre urinar após as relações sexuais.

A recomendação mais importante é procurar um médico rapidamente após sentir os sintomas. Os exames de pré-natal também são importantes, uma vez que algumas mulheres desenvolvem a infecção e não apresentam sintomas.