Grávida pode fazer qualquer tipo de massagem

As massagens podem ser muito bem-vindas durante a gestação. Elas são capazes de promover grandes benefícios, como o relaxamento, o alívio das dores nas costas e região lombar, e a diminuição da tensão nos ombros. Como se isso já não fosse suficiente, as massagens ainda fazem com que a endorfina seja liberada para todo o corpo, deixando a gestante com ótima sensação de bem-estar. No entanto, alguns cuidados são fundamentais:

Escolhendo a massagista

Para garantir todos esses benefícios, é preciso tomar alguns cuidados. O primeiro deles é procurar por uma massagista experiente. Além disso, ela precisa já ter trabalhado antes com gravidas. Pesquise sobre a profissional em questão e sobre a clínica escolhida. Se você já tinha uma massagista antes da gestação, não deixe de perguntar se ela está capacitada para te atender durante os próximos nove meses.

Leia ainda: O que não pode faltar na papinha do bebê?

Foto: sobreelas.

Foto: sobreelas.

Equipamentos específicos

Além da experiência, existem equipamentos específicos para gestantes que também podem ser usados, como macas com abertura para acomodar a barriga. Nos últimos meses da gestação, a mulher pode sentir grande desconforto ao ficar muito tempo deitada com a barriga para cima, o que nem é aconselhável, já que pode causar mal estar e tontura.

Mudar de posição e colocar travesseiros para apoiar a barriga e entre as pernas pode ser outra solução para ficar mais confortável.

Enjôos

Se você está no início da gestação e sentindo muito enjôo, peça para que a massagista não use óleos, loções ou cremes com aroma. Além disso, estes produtos podem acabar fazendo mal à gestante devido à erva utilizada na composição. É que nem todas as ervas são benéficas para as gestantes. De algumas é preciso manter distância durante os nove meses. Elas podem passar pela pele, atingir a corrente sanguínea e chegar ao bebê. Este mesmo cuidado vale para a aromaterapia.