Glaucoma durante a gestação, o que fazer?

O glaucoma é resultado de um dano no nervo óptico causado, na maioria das vezes, por pressão intraocular. Por isso, as mulheres portadoras de glaucoma devem ficar atentas quanto à gravidez. O uso de medicamentos para controle da pressão intraocular pode causar complicações neste estado.

A situação de uma mulher grávida portadora de glaucoma é delicada, pois terá que decidir entre utilizar colírios que podem fazer mal ao bebê em formação ou suspender os medicamentos e correr o risco de agravar a saúde ocular. Mas, em alguns casos também é possível realizar uma cirurgia para diminuir a pressão intraocular da grávida.

A elevação dos hormônios sexuais altera o metabolismo hepático das drogas, que ficam mais concentradas na corrente sanguínea, podendo afetar o bebê pela menor troca de oxigênio e nutrientes entre a mãe e o filho através da placenta.

Dá para prevenir o problema do glaucoma da gravidez?

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Não há uma forma de cura da doença, apenas tratamento. Antes de engravidar, consulte o seu oftalmologista e verifique a possibilidade de suspender ou substituir o medicamento. E caso a futura mamãe tenha condições físicas de se submeter a uma correção a laser, este procedimento é altamente recomendado. Os médicos recomendam a cirurgia a laser antes de engravidar, para evitar os problemas que podem ser ocasionados pela anestesia local.

A gestação interfere na pressão do olho?

De qualquer forma, a gravidez altera o funcionamento do organismo da mulher como um todo e, em alguns casos, a pressão intraocular baixa naturalmente, permitindo controlar o avanço do glaucoma. Aproximadamente 10% das gestantes com olhos saudáveis apresentam diminuição da pressão intraocular. A boa notícia é que a pressão do olho geralmente diminui na segunda metade da gestação por causa do aumento da produção de progesterona, e tende a persistir por vários meses após o parto.

Leita também: Gravidez após os 30 – Principais cuidados

Nesse caso é possível tirar essas medicações e levar a gravidez com tranquilidade, sem o uso de nenhum medicamento, porque a pressão não sobe. Contudo, mesmo quando há uma diminuição natural da pressão interna do olho, a gestante com glaucoma precisa submeter-se a um acompanhamento médico mensal e controle rigoroso da pressão intraocular. Este controle é importante porque há situações nas quais a pressão pode voltar a subir e comprometer a visão, exigindo até intervenção cirúrgica de emergência para evitar a cegueira da mãe. Por isso, não é aconselhável que grávidas com glaucoma suspendam medicamentos por conta própria.

Cuidados essenciais

Por esses motivos, a recomendação médica para pessoas com a doença é manter as visitas constantes ao oftalmologista, para um diagnóstico e acompanhamento do estágio de desenvolvimento do glaucoma.