Ginecomastia: Como diminuir, Tratamento e Preço da Cirurgia

Além de afetar a autoestima, a Ginecomastia também pode causar desconforto e sensibilidade nas mamas. Saiba como minimizar os sintomas e conheça os tratamentos possíveis.

O que é Ginecomastia

Ginecomastia (também conhecida como “hipertrofia mamária”) trata-se de uma condição que afeta tanto as mulheres como os homens, provocando o aumento de uma ou de ambas as mamas. Ela é dividida em quatro graus, dependendo da sua gravidade:

  • Grau I: Surgimento de um tecido glandular ao redor da aréola, que pode ser removido com facilidade.
  • Grau II: É caracterizado pela hipertrofia das glândulas mamárias, provocando acúmulo de gordura na região. Para a remoção do tecido gorduroso é recomendada uma lipoaspiração.
  • Grau III: Além de apresentar tecido glandular e gordura, há flacidez e pele em excesso na região afetada. Nesse caso, é necessária uma incisão externa à aréola ou uma reposição na aréola.
  • Grau IV: O quarto grau de ginecomastia atinge apenas as mulheres. Essa hipertrofia mamária é rara e leva o nome de gigantomasia.
ginecomastia como tratar

Foto: Surfhealth

Causas 

A ginecomastia geralmente ocorre devido a desequilíbrios hormonais, onde há uma liberação menor do hormônio masculino (testosterona) e maior produção do hormônio feminino (estrogênio). No caso da gigantomasia (quarto grau da ginecomastia) as causas podem ser:

Outo fator que pode resultar em ginecomastia é o uso elevado de esteroides anabolizantes. No caso de recém-nascidos, a causa mais comum é devido a uma reação ocorrida pelo contato com o estrogênio materno durante a gestação.

Essa condição atinge cerca de 30% dos homens e, na maioria dos casos, a acontece nos períodos de mudanças hormonais, principalmente no início da adolescência.  Como resultado da síntese das células adiposas (de gordura), provoca o desenvolvimento das mamas nos homens.

Outras causas também podem ser:

  • Insuficiência renal
  • Cirrose hepática
  • Tumores
  • Doenças endócrinas, como hiperprolactinemia e hipogonadismo
  • Uso de remédios para quimioterapia
  • Álcool
ginecomastia tratamento

Foto: Zoeclews-hypnotherapy

Sintomas

Em geral, a ginecomastia não provoca sérios problemas para a mulheres. Entre os sintomas que a paciente pode apresentar estão:

  • Gordura acumulada na região das mamas
  • Crescimento anormal das mamas
  • Dor e sensibilidade nos seios
  • Coceira
  • Galactorreia (fluxo de leite)

Como diminuir a ginecomastia naturalmente

Muitas pessoas preferem reduzir a ginecomastia naturalmente, pois não há o risco de efeitos colaterais. Os métodos usados incluem:

Compressa fria

É comum a ginecomastia provocar dor e sensibilidade na região das mamas. Por esse motivo, uma boa maneira de reduzir a dor e o inchaço é através de uma compressa de água fria.

Creme e gel

Há no mercado uma variedade de produtos para controlar a ginecomastia, como cremes e gel. Ao aplicar na região das mamas, o produto é absorvido pela pele, causando uma melhorara no aspecto e nos sintomas.

ginecomastia como saber se tenho

Foto: Pulse

Tratamento Natural

Dependendo do caso, a ginecomastia pode ser tratada com o uso de medicamentos naturais, como os citados a seguir:

Açafrão

O açafrão causa o aumento na circulação no tecido mamário, melhorando os sintomas. Para usufruir dos seus benefícios basta levar ao fogo duas colheres de chá do açafrão em pó com uma xícara de água, deixando aquecer por cerca de 10 minutos. Beba por duas ou três vezes ao dia.

Flor de maracujá

O consumo de flor de maracujá promove o aumento de testosterona, o que ajuda no combate à ginecomastia. Para preparar, acrescente uma colher de chá de flor de maracujá desidratada em uma xícara com água quente, deixando descansar por 10 minutos. O chá deve ser tomado algumas vezes no decorrer do dia.

Linhaça

As sementes de linhaça aumenta a produção de testosterona, ajudando no combate à ginecomastia. Acrescente uma colher de chá de semente de linhaça num copo com água quente. Essa água deve ser tomada uma vez por dia.

ginecomastia como saber se tenho

Foto: Stylishandtrendy

Cirurgia e Recuperação

Há casos em que os remédios não trazem os resultados esperados, principalmente quando o quadro de ginecomastia se encontra em um grau mais elevado. Por esse motivo, muitas vezes é recomendada a intervenção cirúrgica, que pode ser:

  • Lipoaspiração: A recomendação geralmente é feita para pacientes que apresentam o acúmulo de gordura na região das mamas. A recuperação ocorre em poucos dias.
  • Remoção cirúrgica: Quando apenas a lipoaspiração não é capaz de reduzir o tamanho da glândula mamária, é feita a remoção através de um corte na mama.
  • Mamoplastia redutora: Esse método é usado nos casos mais graves onde, além de realizar a cirurgia para remover a gordura e a glândula, também é necessário remover a pele sobrando.

A cirurgia é rápida e simples, levando em média uma hora para ser concluída. Não há necessidade de internação do paciente, mais é preciso ficar em observação por seis horas após a intervenção cirúrgica.

O paciente não deve realizar exercícios físicos por um mês e, caso seja fumante, não deve fumar por no mínimo 15 dias para não prolongar o processo de cicatrização. O uso de antibióticos deve ser feito para prevenir infecções.

ginecomastia como tratar

Foto: Ginomedic

Preço: quanto custa a cirurgia de correção

O preço médio para esse procedimento fica em torno de R$ 3 mil a R$ 7 mil, variando de acordo com a região e clínica onde é realizado.

Diferença entre ginecomastia e lipomastia

Enquanto a ginecomastia provoca o aumento no tecido mamário por causa de um desequilíbrio hormonal, a lipomastia (ou pseudoginecomastia) tem como causa apenas o acúmulo de gordura na região das mamas.

Quando esse é caso, apesar de a maioria das vezes ser necessário realizar uma lipoaspiração, esse problema também pode ser corrigido apenas através de dieta e exercícios.

Exercícios podem diminuir o problema?

Quando a causa da ocorrência da ginecomastia é por motivo de obesidade, torna-se possível reduzir o quadro através de atividades físicas, como caminhada, corrida ou flexões. A prática de exercícios ajuda a manter o equilíbrio hormonal do corpo, além de eliminar a gordura.

Adotar uma dieta com baixo teor de gordura e alto teor de proteína também contribui para o tratamento, embora esse método costume mostrar resultados mais lentamente.