Gestação depois dos 45 anos

As mulheres têm desejado a gestação cada vez mais tarde: a vida profissional intensa, a continuidade da vida acadêmica e os casamentos tardios são alguns dos motivos para isso.  Porém, o organismo muitas vezes não pode esperar tanto. Mesmo com a evolução da medicina, o avançar da idade diminui progressivamente a fertilidade feminina.

As chances após os 40 anos

Aos 40 anos de idade, cerca de um terço dos casais apresentam dificuldade para engravidar. Depois dessa idade as chances diminuem um pouco mais, alcançando dois terços dos casais. O fato é que seja de maneira natural ou por meio de reprodução assistida a probabilidade é  pequena, mas existe.

Leia ainda: Fimose no bebê, o que fazer?

Técnicas de reprodução assistida

A mulher já nasce com a quantidade de óvulos que terá ao longo de toda a sua vida. Com o avançar da idade, eles vão envelhecendo. Por volta dos 40, a menstruação já começa a ficar irregular, e os 50 anos, com a chegada da menopausa, a ovulação vai pouco a pouco diminuindo.

Sendo assim, a partir dos 45 anos é cada vez mais difícil conseguir engravidar naturalmente, com os próprios óvulos, e cada vez maior o número de mulheres que engravidam por meio da ovodoação, ou seja, com os espermatozoides do próprio marido mas com óvulo doado por outra mulher.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

 Riscos

Os riscos para a gestação começam a aumentar consideravelmente quando a mulher atinge 35 anos de idade, e crescem ainda mais até chegar aos 45.  Eles vão desde alterações fetais cromossômicas e genéticas, como a Síndrome de Down, a maior risco de complicações como diabetes, eclampsia e parto prematuro. Existem muitos exames e técnicas capazes de tornar a gestação o mais tranquila possível, e eles devem ser feitos antes de mais nada.

 Avaliação médica

A consulta com um médico especialista é fundamental para garantir a gestação e fazer com que ela seja saudável.