Dança do ventre para gestantes

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, as gestantes não precisam apenas descansar. Muito pelo contrário, atividades leves e moderadas só trazem benefícios para a mãe e para o bebê. Experimentar algo novo e diferente, como a dança do ventre, também pode ser muito positivo.

Adaptação

Se antes de engravidar a mulher já praticava alguma atividade física ou dança, não precisa necessariamente parar, apenas se adaptar. Novos exercícios e novos passos podem resolver o problema.

Quando os exercícios já fazem parte da vida da mulher, fica mais fácil seguir com eles após engravidar, mas se você sempre foi sedentária também pode aproveitar seus benefícios. O importante é não abusar, e fazer tudo de maneira leve e diminuir o ritmo enquanto o bebê se desenvolve em sua barriga.

 Leia ainda: Conheça o teste da linguinha no bebê

A dança do ventre

A dança do ventre é uma atividade que mexe muito positivamente com o corpo. Braços, pernas, assoalho pélvico e abdômen são trabalhados. Além disso, a dança traz condicionamento físico, ajuda no equilíbrio, na postura e na soltura das articulações. A prisão de ventre, grande problema entre as gestantes, é bastante aliviada com os movimentos.

A prática da dança do ventre também ensina movimentos que ajudam a aliviar a dor sentida na hora do parto e que ajudam na condução do parto normal.

Melhora da auto-estima, alivio das tensões, prevenção da obesidade e diminuição da ansiedade também podem ser incluídos na lista.

Orientação médica

Todas as atividades físicas, desde as mais simples, devem ser liberadas pelo médico que acompanha a gestação. Consulte-o antes de começar a praticar qualquer exercício. Ele inclusive poderá ajudá-la a escolher o melhor para você.

Por ser de baixo impacto, a maioria das mulheres pode dançar até quando se sentir disposta e confortável para tanto, a menos que haja alguma restrição médica.