Cuidados para o final da gestação

O final da gravidez é um momento de grande ansiedade e expectativa. A partir da 37ª semana o bebê não é mais considerado prematuro, e está preparado para o nascimento. Na 36ª semana a gestante já pode descansar e aproveitar seus últimos dias antes do parto sem trabalhar por meio da licença-maternidade.

Porém, a partir da 32ª semana mudanças importantes começam a acontecer, e a mulher deve ficar atenta.

 Leia ainda: Teste do olhinho: para que serve? Quando fazer?

Mudanças e cuidados nas últimas semanas da gestação

  • Cuidados com a alimentação: não existem muitas restrições, mas a mulher não deve abusar, é necessário continuar de olho na alimentação. Alimentos pesados, como proteínas, e gordurosos podem provocar sensações como azia e queimação. Estas já são normais neste período devido aumento do útero, que facilita o refluxo. A ingestão de alimentos deve acontecer de três em três horas para evitar estes sintomas desagradáveis;
  • Trabalho: esta questão varia muito de mulher para mulher, e de maneira geral as que se sentem confortáveis para exercer as atividades profissionais continuam trabalhando. Por outro lado, algumas se sentem desconfortáveis, cansadas e também irritadas com facilidade. Outro ponto merece atenção, pois com o aumento da barriga e a mudança do centro de gravidade, algumas gestantes podem perder o equilíbrio facilmente, e devem tomar cuidado redobrado com rampas e escadas na empresa;
  • Início das contrações: o início das contrações ocorre por volta da 32ª semana, as chamadas contrações de treinamento. Elas ocorrem com menor intensidade e bastante espaçadas, aleatórias. O objetivo é preparar o útero para o nascimento do bebê;
  • Exercícios: as atividades físicas devem ser realizadas com moderação. No entanto, elas podem aumentar as chances de a mulher entrar em trabalho de parto;
  • Quando procurar o médico: os principais sinais que podem indicar o início do trabalho de parto são as contrações rítmicas e frequentes, forte sangramento e perda de líquido. A mulher deve procurar seu médico rapidamente nestes casos, ou ir direto ao hospital.