Amamentação e o câncer de mama

A amamentação traz naturalmente diversas dúvidas às mamães, principalmente às de primeira viagem. No entanto, as mulheres que já tiveram câncer de mama antes da gestação possuem ainda mais questionamentos a respeito do assunto. As principais dúvidas são se os tratamentos de quimioterapia e radioterapia podem ter afetado a capacidade de produzir leite. Veja estas e outras respostas abaixo:

Mulheres que já tiveram câncer de mama podem amamentar?

Sim, as mulheres que já tiveram câncer de mama e realizaram tratamento podem amamentar. O aleitamento pode ser mais eficiente pela mama contralateral, ou seja, a mama que não foi tratada.

 Leia ainda: Teste de Apgar no bebê, o que é?

Produção e quantidade de leite

Muitas mulheres continuam produzindo leite materno pela mama tratada mesmo depois dos tratamentos para o combate do câncer de mama. No entanto, a mama tratada tende a produzir menos leite, por isso a amamentação pela outra é mais indicada. Além disso, a recomendação ocorre porque se a mama tratada sofrer com alguma infecção ou inflamação, será mais difícil de tratar.

Foto: catraca livre.

Foto: catraca livre.

Amamentação durante o tratamento

A amamentação do bebê não deve ser realizada durante os tratamentos contra o câncer de mama. É que alguns medicamentos quimioterápicos podem ser eliminados pelo leite materno, prejudicando o bebê.

E se o câncer for descoberto durante a gestação?

Os agentes quimioterapêuticos utilizados no tratamento do câncer de mama podem ser perigosos quando administrados no primeiro trimestre de gestação, então este período é considerado mais crítico. Podem ocorrer aborto espontâneo, malformações e morte do feto. Depois dos três primeiros meses, os tratamentos são mais seguros e os riscos diminuem muito. Mesmo assim, é necessário que uma equipe médica multidisciplinar, que inclua o oncologista e o ginecologista obstetra, avalie o caso da gestante para decidir qual será o melhor caminho e tratamento.