Caroço no pescoço do bebê, o que pode ser?

Algumas mamães enfrentam esse problema com seus bebês. É realmente um susto para quem for mãe de primeira viagem. Geralmente não é um quadro crítico, podendo ser facilmente tratado se for levado ao médico.

Saiba o que é e como proceder agora.

O que são?

Se você tomou um susto quando sentiu que seu bebê está com um “caroço no pescoço” e não sabe o que fazer, saiba que isso pode ser adenomegalias.

Esses caroços costumam aparecer na faixa etária pediátrica. São inflamações de gânglios e linfonodos (presentes no sistema imunológico). Eles podem aumentar de tamanho e podem ser resultado ou não de infecção.

Os linfonodos estão presentes em várias regiões do corpo como axilas, virilhas e pescoço. Considera-se aumentados quando estão acima de um centímetro.

Foto:  healthtap.com

Foto: healthtap.com

Com que frequência aparecem?

Geralmente 30% das crianças podem apresentar essa inflamação, já que seu sistema imunológico ainda está em desenvolvimento. Elas podem ser visíveis e bem palpáveis.

O aumento dos gânglios decorre de processos inflamatórios ocasionados pelo contato diário com vírus e bactérias. No caso do linfonodos o aumento pode ser ocasionado por outras doenças incomuns:

  • Tuberculose;
  • Infecções localizadas;
  • Doenças autoimunes;
  • Linfomas e;
  • Leucemias

Porém, não se atemorize. Não quer dizer que indique leucemia. O aumento é um mecanismo principal de reação de um processo inflamatório. Por isso é preciso orientação médica.

Veja como detectar o “Caroço”

  • 1ª Pista: Aumento do tamanho do gânglio no local. Se ele não parar de crescer vá ao médico imediatamente para ser avaliado;
  • 2ª Pista: Se houver dor intensa somado a aumento do tamanho, pode ser necessário antibióticos e anti-inflamatórios prescritos somente pelo médico;
  • 3ª Pista: Ainda que a infecção exista, você pode mexer no caroço e perceber que ele sai do local ou não. Em todo caso ir ao pediatra é o indicado.

Leia mais: Meu bebê ronca, o que pode ser?

Ao notar esses “caroços” procure um médico. Ele indicará exames para diagnosticar qual é o caso, qual foi à causa e assim passar o tratamento correto.

O tratamento pode ser variado, mas geralmente é um evento benigno.

Não tome decisão por si mesma. Nada de aplicar pomadas ou dar remédios ao seu bebê sem prescrição médica. Isso pode agravar o quadro e complicar o tratamento.

O mais importante é levar o bebê ao médico, assim que notar o caroço.

Já passou por essa experiência? Comente conosco.


    1. Izabor 21 de maio de 2015
    2. Alexandra 21 de maio de 2015
    3. Marli 29 de outubro de 2015
    4. Silmara 8 de abril de 2016
    5. Priscila 5 de maio de 2016
    6. Roseane 20 de maio de 2016
    7. andrea 6 de junho de 2016
    8. tailane 22 de julho de 2016
    9. Tay 5 de agosto de 2016
    10. Simone 25 de outubro de 2016
    11. Regiane 4 de novembro de 2016
    12. vanessa 24 de novembro de 2016
    13. Nena 20 de janeiro de 2017
    14. Marcia silva 27 de fevereiro de 2017
    15. Juliane Daniela 10 de agosto de 2017
    16. Lucineide 14 de fevereiro de 2018
    17. Marcia Allencar 5 de setembro de 2018
    18. Alves 7 de setembro de 2019
    19. Michele Machado 21 de setembro de 2019

    Add Your Comment