Alterações no corpo da gestante durante a gravidez

Confira quais sãos as principais alterações no corpo da gestante durante a gravidez mês a mês.

No geral, as grávidas têm muitas náuseas ou enjoo, vão toda hora ao banheiro, sentem muito sono e a barriga cresce mês a mês. Essas são as mudanças mais comuns e quase sempre visíveis do que ocorre com uma gestante. Mas não é só isso.

Ao engravidar, a mulher passa a produzir – em grande quantidade – hormônios como o Beta HCG e a progesterona, que trazem transformações ao corpo feminino.

O ginecologista e obstetra José Luiz Peixoto conta que essas mudanças que a gravidez provoca na mulher são estimuladas pelos hormônios da “Unidade Feto Placentária”.

“Essas adaptações envolvem várias alterações na fisiologia da mulher, no seu metabolismo e no seu organismo como, modificações sistêmicas e locais”, explica ele. “As alterações endócrinas e metabólicas visam o aporte nutricional correto para o desenvolvimento de um feto saudável e com peso adequado.”

Foto: Drkatemclaird

Foto: Drkatemclaird

Alterações no corpo da gestante durante a gravidez

As alterações do organismo materno atingem os seguintes sistemas: endócrino e metabólico, circulatório, respiratório, digestivo, urinário, nervoso, esquelético, além da pele e anexos.

Essas mudanças se dão mês a mês e, geralmente, as principais alterações são nesta ordem:

Primeiro mês: ausência da menstruação, dores nas mamas e no abdômen e instabilidade do humor – sintomas que lembram a TPM (Tensão Pré-Menstrual).

Segundo mês: em virtude da grande produção de hormônios, a maioria das gestantes sente muito sono, náuseas, enjoos e vai com mais frequência ao banheiro. Isso porque, com o aumento do útero, a bexiga fica comprimida (menor).

Terceiro mês: a mulher observa que seu peso já subiu um pouco (de um a dois quilos). O sangue que circula no corpo dela se avoluma buscando nutrir o feto – e deixando as veias da barriga, das mamas e das pernas à mostra. Os enjoos são mais frequentes e a instabilidade de humor pode aumentar.

Quarto mês: nesta fase, além do peso aumentar, a barriga já começa a aparecer. Os enjoos vão diminuindo – o que pode aumentar o apetite e a disposição da gestante. É possível que ela até já sinta alguns movimentos tímidos do bebê.

Foto: Refleksterapi-

Foto: Refleksterapi-

Quinto mês: neste período o bebê já se mexe mais; o útero aumenta de tamanho e o coração passa a bater mais rápido. É muito importante que a gestante respeite os horários de sono, mantenha uma alimentação saudável e pratique apenas atividades físicas que não a desgaste muito. Podem ser observadas mudanças nos cabelos e nas unhas ou aumento de pelos; além disso, algumas gestantes podem ter azias.

Sexto mês: por conta da pele do abdômen esticar, a mulher pode sentir coceiras nesta região. O tamanho e o peso da barriga pode provocar dores nas costas e/ou varizes nas pernas.

Sétimo mês: nesta fase o corpo já dá sinal de preparação para o parto. As alterações hormonais passam a ser percebidas com facilidade e o cansaço da grávida também fica mais visível.

Oitavo mês: com o tempo de o bebê nascer diminuindo, aumentam as contrações (ficando mais fortes e evidentes). Costumam surgir mais secreções vaginais e também ocorre a produção do colostro (fluido que sai do peito materno antes do leite). Pode ser que a gestante tenha dificuldades para respirar, pois o bebê fica alojado próximo aos pulmões. É também nesta fase que as grávidas costumam comer mais e, consequentemente, ganham mais peso. Fiquem atentas aos alimentos saudáveis e de fácil digestão!

Nono mês: o bebê está chegando… Ele já está encaixado na posição correta para o parto. Os ossos da bacia vão se abrindo aos poucos – o que costuma trazer dores na região lombar, púbis e bacia. A barriga da grávida está enorme e comprime ainda mais a bexiga, aumentando a frequência das idas ao banheiro. O peso aumenta, assim como a ansiedade – podendo ocasionar dificuldades para dormir e também falta de ar. Os seios ficam inchados por conta da produção de leite.

“Ao final da gestação, as alterações na qualidade do sono podem levar a sensação de fadiga e as modificações do estado emocional podem até provocar episódios depressivos e de insegurança”, relata Peixoto. “É de suma importância que o obstetra esteja atento a esses quadros para auxiliar a gestante num momento tão único.” Afinal, as alterações no corpo da gestante durante a gravidez fazem parte de um momento especial que deve ser vivenciado e acompanhado com todo carinho e segurança.


    1. juliana 5 de maio de 2016
    2. Déborah Fernanda 16 de maio de 2016

    Add Your Comment