Search

Recém-nascido é jogado em cesto de roupa suja pela enfermeira do Hospital

Uma enfermeira jogou um recém nascido, por engano, em um cesto de roupa suja. O caso aconteceu no Hospital Regional do Gama (HRG), em Brasília, na última segunda-feira (20). A enfermeira assumiu que não viu o bebê entre os lençóis sujos.

O bebê, que se chama Vitor Hugo, está em observação. Ele teve uma hemorragia interna provocada por uma fratura no osso da cabeça, no lado esquerdo. O acidente ocorreu logo após o seu nascimento, cerca de 30 minutos depois do parto. Após ser socorrido o bebê foi transferido para uma ala especial do Hospital de Base de Brasilia e está aguardando uma vaga na UTI Neonatal.

O  Hospital do Gama já iniciou uma investigação sobre o caso, mas não afastou a enfermeira.

Bebê foi jogado no chão após 30 minutos do seu nascimento. Foto: Globo.com

Um momento de descuido

Segundo a família, a enfermeira entrou no leito para recolher os lençóis no momento em que a mãe havia ido ao banheiro e deixou o recém-nascido em cima da cama. Sem perceber que o bebê estava entre a roupa de cama, a enfermeira juntou os lençóis e os jogou, com o bebê enrolado entre eles, em um cesto de roupa suja.

Wanderson de Santa Rita, pai de Vitor, ficou sem acreditar no que aconteceu com seu filho, ele revelou que as outras enfermeira viram que sua mulher havia deixado o bebê apenas para ir ao banheiro, e que a enfermeira responsável pelo acidente estava com tanta pressa, que não deixou que as suas colegas de trabalho a informassem sobre o bebê.

   

O pai se demonstrou indignado quanto à atitude da enfermeira, “Ele não está mamando direito, está dentro da encubadora tomando soro. Está nessa situação por causa de uma enfermeira”, disse Wanderson.

Receba notícias do Gestação Bebê. É grátis!

messengerFacebook Messenger

Tudo sobre gravidez e filhos pelo chatbot do Gestação para o Facebook Messengergestação botao

A direção do Hospital declarou que o acidente foi uma fatalidade, e disse que está fazendo uma apuração interna para decidir se abrirá um processo administrativo. A enfermeira envolvida no acidente atua na profissão há 18 anos, e não deverá ser afastada de suas atividades durante a investigação do caso.



Foto: Metrópoles

“Não há motivo para afastarmos a servidora, mas pode ser que ela entregue um atestado alegando abalo emocional”, confirmou o diretor do HRG, José Roberto de Deus Macedo.

No dia do nascimento de Vitor Hugo, o Hospital Regional do Gama estava superlotado, haviam 16 partos previstos e apenas 5 vagas nos leitos. Uma das justificativas da direção para o ocorrido foi que a enfermeira teria ido socorrer uma outra paciente que estava do lado com hemorragia, e essa enfermeira teria pego os lençóis às pressas para cobrir e limpar a cadeira de roupas suja de sangue.

A equipe médica do hospital não informou se o recém nascido corre risco. Vitor Hugo deve fazer novos exames nos próximos dias.

Avalie esta matéria!

- Publicidade -

- Publicidade -




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*