Quando e como saber se o bebê precisa de fono

Muitos bebês apresentam problemas na fala ainda durante os primeiros meses de vida, e os pais precisam estar atentos aos pequenos. Mesmo que as crianças pareçam ainda muito jovens para tanto, existem alguns problemas que podem ser tratados precocemente, de maneira mais fácil e rápida. Caso não solucionados, os mesmos podem prejudicar a alimentação e a fala do bebê.

Como identificar um problema?

O primeiro ponto a se observar é como o bebê age durante a amamentação, pois deve haver uma integração harmoniosa e equilibrada entre a sucção do leite, a respiração e a deglutição.

Sinais de que o bebê pode ter algum problema de fala são leite escapando pelas laterais da boca, cansaço após terminar de mamar – com pausas para a respiração, engasgos e irritação.

Outros pontos são se a sucção do bebê não possui ritmo e se ele demostra dificuldade para mamar.

 Leia ainda: Cuidados com a pele do bebê no verão

Língua presa e teste da linguinha

Muitos dos problemas dos bebês para mamar são decorrentes da língua presa, que aparece quando o freio da língua é curto demais. Isto não é grave, e pode ser facilmente detectado com o teste da linguinha, indolor e realizado em diversos hospitais e maternidades.

Amamentação correta é importante

Mais do que um momento para a alimentação do bebê, a amamentação ajuda a estimular o crescimento e fortalecer os músculos da face, preparando o bebê para os alimentos sólidos e também para a fala.

Chupetas

Chupetas e mamadeiras são são muito indicadas para os bebês. Seu uso pode atrapalhar a formação dos dentes, impedir a articulação correta da língua e fazer com que o bebê tenha dificuldades de expressão. Os especialistas sugerem que a partir dos dois anos de idade os pais já comecem a tirar um dos dois, aos poucos, para que aos quatro anos já não haja mais este hábito.