Homeopatia funciona no tratamento do bebê?

O homeopatia pode sim ser utilizada por bebês ainda nos primeiros meses de vida. O tratamento com homeopatia pode trazer muitos benefícios aos bebês, sendo eficaz no combate de cólicas, gripe, conjuntivite, asma e alergias, por exemplo.

A homeopatia pode inclusive diminuir as chances de a criança ter alergias, asma, rinite. No entanto, alguns cuidados são necessários. Veja a seguir mais sobre o assunto:

O médico homeopata

Quando os pais decidem tratar seus filhos com remédios homeopáticos, é necessário se certificar de que o profissional é um médico com especialização em homeopatia, preferencialmente que ele seja também um pediatra, especialista no cuidado dos pequenos.

Quando os pais procurarem um médico homeopata, não devem esconder isso do pediatra que acompanha a criança. O mesmo vale para dúvidas: não tenha medo de fazer todas as perguntas que julgar necessárias.

Leia ainda: Dicas para não engordar mais que o necessário na gestação

Foto: cachorroverde.

Foto: cachorroverde.

Homeopatia e alopatia

O tratamento com homeopatia não exclui o uso de medicamentos alopatas, que são os remédios convencionais. Muitas vezes, o uso de ambos é recomendado para a melhora do quadro. Em alguns casos, o uso de homeopatia reduz as doses dos medicamentos alopatas. O que não deve existir é qualquer tipo de radicalismo. O médico vai avaliar qual ou quais tratamentos são os mais adequados.

Doenças crônicas

A homeopatia também pode ser usada para o tratamento de doenças crônicas. Em alguns casos o tratamento pode ser feito só com remédios homeopáticos e em outros a combinação homeopatia e alopatia é a ideal. A homeopatia tem como objetivo levar o organismo do individuo ao equilíbrio.

Como funciona?

O tratamento cm homeopatia não demora para mostrar resultado, ao contrário do que muitas pessoas pensam. Mas, aqui vai uma consideração importante: as receitas devem ser fornecidas pelo médico para cada um dos casos de forma especial, após avaliação. Não utilize remédios homeopáticos indicados por pessoas que não sejam médicos.