Exames e cuidados para uma gravidez tardia

Décadas atrás, era perfeitamente normal uma mulher de 30 anos ter três ou mais filhos e já ter decidido parar de engravidar. Mas o normal hoje em dia é uma mulher desta mesma idade, ou mesmo próxima dos 40 anos, estar começando a se preparar para ter seu primeiro filho.

A atenção para a vida profissional, a popularização dos métodos anticoncepcionais ou a sensação de que ainda não se está preparada são os principais motivos que têm levado as mulheres a engravidar cada vez mais tarde. Entretanto, a partir dos 35 anos, é preciso ficar mais atenta e tomar alguns cuidados adicionais para que a gestação ocorra sem problemas.

A partir desta idade, além de uma dificuldade maior para engravidar, a mulher se torna mais exposta a probabilidade de gerar uma criança com um problema genético, como a Síndrome de Down – mas isso não quer dizer que toda criança filha de uma mãe com mais de 35 anos terá alguma anomalia!

Como em toda gravidez planejada, o ideal é que a futura mamãe procure um ginecologista para consultas e exames para avaliar a sua saúde reprodutiva. O ideal é que o homem, futuro papai, também realize esses exames. Se algum problema for detectado, as chances de uma resolução são maiores se o diagnóstico for precoce.

Foto: Pregnancyandbaby

Foto: Pregnancyandbaby

Engravidei, e agora?

Se você tem mais de 35 anos e está grávida, parabéns! Mas não relaxe: é preciso ficar atenta e acompanhar mais de perto a sua gestação, para evitar problemas para você e seu desejado bebê.

Mulheres com mais de 35 anos têm grandes possibilidades de gerar gêmeos ou trigêmeos, o que torna necessário um exame de ultrassom o mais rapidamente possível. Além disso, o exame também detecta se o embrião está dentro do útero ou nas trompas. Entre a 11ª e a 13ª será feito um novo ultrassom, que medirá a translucência nucal (TN), que permite mostrar se a criança possui alguma doença cromossômica, como a Síndrome de Down.

Foto: Prontuarioidmed

Foto: Prontuarioidmed

Leia Mais: Dicas para uma gestação mais tranquila

Muitos médicos também solicitam que a gestante tardia realize um exame chamado biópsia de vilo corial, que faz uma análise da placenta e revela a morfologia dos cromossomos. Isso significa que o exame mostrará se o feto é normal ou se apresenta alguma alteração.

Outro exame comum para mamães mais maduras é a amniocentese, que coleta uma amostra do líquido amniótico. Além das alterações cromossômicas, o exame pode detectar uma alteração cardíaca, o que pode levar a uma cirurgia do bebê logo após o seu nascimento. Detectado o problema, maior a chance dele ser resolvido.

Alimentação equilibrada, exercícios e um ambiente tranquilo, assim como em toda gravidez, também ajudam a mamãe a ter uma gravidez tranquila e saudável. Não se descuide, e o resultado será formidável.


    1. ADRIANA GOMES 31 de janeiro de 2015

    Add Your Comment