Como ajudar o bebê a se livrar dos gases

You are currently viewing Como ajudar o bebê a se livrar dos gases
Foto: reproduccionasistida.

Os gases podem provocar bem mais do que incomodo nos bebês. Eles podem provocar dores intensas – e muito choro – e até mesmo perda de apetite. Quando se alimentam do leite materno, é comum que os pequenos realizem também a ingestão de ar. Nestes casos, é preciso eliminá-lo fazendo o bebê arrotar.


Fazendo o bebê arrotar
Para impedir a formação de gases, é preciso fazer o bebê arrotar. A técnica inclusive evita incomodo e vômito. Depois de oferecer de 60 a 90 ml de leite, coloque o bebê para arrotar segurando-o com as costas na vertical e rostinho apoiado no ombro materno – não se esqueça de colocar um paninho ou fralda de pano para não se sujar.
O bebê deve arrotar em 10 ou 15 minutos após a amamentação. Caso isso não aconteça no período, não se preocupe: você já pode colocar o bebê para dormir. A partir dos 12 meses os bebês param de ter refluxo, então você não vai mais precisar fazê-lo arrotar.

Leia ainda: O que fazer quando a acriança engole uma moeda?

Foto: reproduccionasistida.
Foto: reproduccionasistida.

Evitando os gases
Depois de amamentar seu bebê, deixe-o tranquilo, não o submeta a movimentos bruscos nem o agite muito.

Eliminando os gases
Tente uma destas alternativas:
Coloque o bebê de barriga para baixo deitado sobre seu colo. Seus joelhos vão pressionar um pouco sua barriga. Segure sua cabeça e verifique se ela ficou mais alta que as nádegas do bebê;
Coloque o bebê deitado virado para cima, com as costas apoiadas na superfície, e faça massagem em sua barriga;
Coloque o bebê deitado com as costas apoiadas em superfície firme e a barriga para cima. Segure suas perninhas e pressione-as contra seu corpinho, suavemente. Outra alternativa é pressionar uma perninha de cada vez, alternando-as, como se o pequeno estivesse andando de bicicleta.

Equipe Gestação Bebê

A equipe de redatores do Gestação Bebê é formada por jornalistas e profissionais convidados de diversas áreas, como pediatria e psicologia.

Deixe um comentário