Procuram-se voluntários para abraçarem bebês prematuros

Os bebês prematuros normalmente apresentam uma saúde frágil e, por conta disso, precisam de cuidados médicos especiais.

Porém, não é apenas desse tipo de cuidado que eles precisam nessa primeira etapa de suas vidas.

Alguns hospitais fazem o uso de voluntários nas unidades de terapia intensiva para realizar uma tarefa de dar inveja: abraçar os bebês prematuros, oferecendo o calor humano através do contato pele a pele.

Sobre o programa de abraçar bebês prematuros

Entenda qual a importância desse contato para o bebê a seguir. (Foto: The Blade)

Esse projeto, que foi batizado de Baby Cuddler (que pode ser traduzido como “Abraçadores de bebês”) surgiu no Hospital Geral Saint Boniface, que fica localizado na cidade de Winnipeg, no Canadá.

O recrutamento de voluntários para abraçar os bebês prematuros surgiu com o intuito de oferecer o contato físico para recém-nascidos que não podem estar juntos à mãe ou pai, em qualquer situação onde pais e familiares se encontram incapacitados de oferecer os cuidados necessários e ter contato com o bebê prematuro.

Foto: Babysitio

Quando é solicitado um voluntário para abraçar bebês prematuros?

Um exemplo onde os voluntários são chamados para desempenharem o papel de “abraçadores” ocorre, por exemplo, no caso de mães viciadas em drogas. Após o nascimento do bebê, algumas dessas mães desenvolvem a síndrome de abstinência neonatal e precisam então ser internadas em centros de reabilitação.

Quando isso acontece, o voluntário se dispõe a ter esse contato físico, que deixa os bebês prematuros menos inquietos, melhorando em poucos minutos a respiração e facilitando um sono mais tranquilo.

Foto: RealClear

Benefícios do contato físico para os bebês prematuros

Estudos mostraram que o contato físico recebido pelos bebês prematuros a partir do nascimento ajuda a melhorar a qualidade de sono e também os torna mais atentos do que os bebês que não recebem estímulos.

O método canguru, que consiste em ter o bebê amarrado ao corpo para proporcionar mais contato pele a pele, foi estudado pela professora de psicologia e neurociência da Universidade de Tel Aviv, Ruth Feldman.

Os estudos foram feitos com 73 bebês prematuros, que foram separados em dois grupos. O primeiro grupo recebeu o contato pele a pele por 1 hora durante 14 dias. Já o outro grupo recebeu o tratamento convencional.

Qual o resultado do estudo

Foto: ChristianaCareNews

O resultado do estudo mostrou que todos os bebês (entre 3 e 12 meses de idade) que receberam o tratamento pele a pele apresentaram um resultado mais favorável em relação à capacidade de concentração e também mantiveram um hábito de sono mais saudável.

Após 5 e 10 anos desse estudo, a equipe de Feldman analisou essas mesmas crianças e constataram que elas apresentavam um melhor controle em situações de estresse (como falar em público, por exemplo) do que os que receberam apenas o tratamento convencional.

Como se tornar um voluntário

O programa de abraçar bebês prematuros cresce dia a dia e cada vez mais hospitais pelo mundo todo buscam por voluntários.

Se desejar dedicar parte do seu tempo nessa tarefa tão bela, oferecendo calor humano para os bebês que precisam, procure em sua cidade se há alguma instituição que esteja precisando de voluntários.

Foto: SFGate