Ultrassom na gravidez – Faz mal? Quando fazer?

Algumas mamães enviaram a seguinte dúvida para nossa redação: ultrassom na gravidez faz mal? Quantas ultrassonografias a gestante pode fazer ao longo da gravidez? Para esclarecer essa questão preparamos uma matéria onde falaremos mais a respeito desse exame.

Fundamental para o acompanhamento da saúde das mamães e dos bebês, a ultrassonografia sempre é solicitada após a descoberta da gestação. Geralmente o primeiro exame é indicado para confirmar a gravidez e a idade gestacional.

Mas, muitas vezes, a partir deste momento as mamães começam a receber um excesso de informações sobre a quantidade de ultrassons que ela pode fazer; se pode fazê-lo; se não trará riscos ao bebê e muitos outros questionamentos.

Foto: Glamour

Foto: Glamour

Ultrassom na gravidez: faz mal? Quando fazer?

Para esclarecer essas dúvidas falamos com o ginecologista e obstetra José Luiz Peixoto:

O exame de ultrassonografia pode prejudicar o bebê ou a mãe?

“O uso frequente da ultrassonografia não traz prejuízo e nenhum risco nem ao feto e nem à mãe”, afirma o obstetra. “É um exame seguro, que além de proporcionar um momento muito especial aos pais, funciona como um grande auxiliar no acompanhamento do bem-estar fetal, bem como é importante na detecção de alterações maternas e fetais.”

Leia maisGestação 3D: veja imagens lindas por dentro da barriga

Quantos exames são indicados durante uma gestação normal?

“Existem países onde se faz ultrassom todo mês. Aqui no Brasil, costumamos pedir em média de três a quatro exames durante o período gestacional, pois é um número suficiente para um bom acompanhamento da evolução da gravidez”, explica Peixoto, acrescentando que esta quantidade não é um fator limitante. “Existem casos em que se faz necessário solicitar a ultrassonografia até de 15 em 15 dias.”

Por meio do ultrassom o obstetra verifica condições como os batimentos cardíacos, a posição fetal, o desenvolvimento e a formação do bebê e ainda observa se há sinais de malformações, problemas genéticos e síndromes como a de Down, por exemplo.

Foto: Businessinsider

Foto: Businessinsider

Embora considerada por muitos como um exame simples, o ultrassom é um dos mais pedidos durante o pré-natal – sempre trazendo diagnósticos de qualidades e precisos (a taxa de detecção e de identificação de malformações estruturais do ultrassom fica em torno de 90%).

Confira os ultrassons em cada fase gestacional

  • O primeiro exame é indicado para confirmar a gravidez, apresentar o local em que o embrião está se desenvolvendo e a idade gestacional. Normalmente realizado até 11ª semanas;
  • No segundo ultrassom (morfológico do primeiro trimestre) é possível realizar a translucência nucal – medição da região da nuca do bebê para investigar se há alterações como a Síndrome de Down ou a hidrocefalia. Realizado entre a 11ª e 14ª semanas;
  • O terceiro exame confirma a idade gestacional indicada anteriormente e avalia o crescimento, permitindo análises mais detalhadas da anatomia fetal. Geralmente feito por volta da 20ª semanas;
  • O quarto ultrassom avalia o crescimento do bebê, a quantidade de líquido na placenta e se há alguma alteração visível. Algumas patologias só são observadas no terceiro trimestre. Por isso, é de extrema importância a realização de um ultrassom nesta fase. Normalmente feito entre a 34ª e a 37ª semanas.

Não há regras para a quantidade de ultrassonografia na gravidez que a gestante tem de fazer. Quem avalia essa necessidade é o obstetra, sempre observando as características da paciente e da gravidez.


  • Add Your Comment

    *