Televisão e o bebê: assistir TV demais é prejudicial? Pode fazer mal?

You are currently viewing Televisão e o bebê: assistir TV demais é prejudicial? Pode fazer mal?

A televisão já faz parte da vida moderna. Ela está integrada ao dia a dia das famílias e ganha lugar de destaque nas salas de residências de todo o país. Muitas vezes sua presença é tão corriqueira que sequer se percebe que muitas horas são gastas em frente a ela.

A maioria dos pais não controla o tempo que seus filhos passam assistindo desenhos, filmes e outros. Mas, você já parou para pensar que esse tempo, se for demais, pode fazer mal ao pequeno?

Televisão não é babá

Com a correria, a falta de tempo e o cansaço dos pais ao final de um dia repleto de trabalho, muitos acabam utilizando a televisão como uma maneira de entreter as crianças, as mantendo quietas e pelo menos “às vistas”. Porém, estes equipamentos não são babás e não devem ser utilizados para que os pais não tenham que se preocupar e cuidar de seus filhos.

 Leia ainda: Quando o bebê começa a falar?

A TV é prejudicial?

Sim, os especialistas são unanimes em dizer que televisão demais é prejudicial às crianças. Elas podem afetar o comportamento social, promover comportamentos de risco, influenciar negativamente atitudes e valores e ainda favorecer a obesidade.

Uma pesquisa realizada no Canadá mostrou que crianças com menos de dois anos que passavam muito tempo em frente à televisão perderam força muscular e ganharam gordura. As crianças acabam ainda se tornando sedentárias, deixando de se movimentar, brincar ao ar livre e interagir.

Combinação perigosa

Assistir tv demais está relacionado a não fazer exercícios e, em muitos casos, ao consumo de comidas semiprontas e congeladas, que são pouco saudáveis.

Tempo saudável

Quanto menos tempo em frente à televisão, melhor. Especialistas consideram que crianças com até dois anos de idade podem ficar no máximo duas horas vendo TV sem prejuízos à saúde.

Equipe Gestação Bebê

A equipe de redatores do Gestação Bebê é formada por jornalistas e profissionais convidados de diversas áreas, como pediatria e psicologia.

Deixe uma resposta