Síndrome de hellp na gravidez – Sintomas e tratamento

Se a síndrome Hellp não for diagnosticada ou não tratada antecipadamente, pode resultar em complicações potencialmente fatais para a mãe e o bebê


Já ouviu falar em Síndrome de hellp na gravidez? Conheça os sintomas e os principais tratamentos a seguir:

Muitas vezes, quando a mulher começa a desconfiar que está grávida, já está havendo uma verdadeira mudança dentro dela.

A placenta começa a se formar, alguns hormônios específicos da gestação passam a ser produzidos e outros diminuem, o bebê começa a desenvolver os principais órgãos… e assim continua o ciclo, até o nascimento.

   

Em todas as etapas da gravidez é preciso que a mulher tenha alguns cuidados, como ter um acompanhamento médico (pré-natal), cuidar da alimentação (veja mitos e verdades sobre alimentação na gravidez) e fazer todos os exames necessários para assim garantir que ambos não corram nenhum risco.

No entanto, pode ser que aconteça alguma complicação na saúde, e isso requer atenção redobrada, como é o caso da síndrome de hellp na gravidez.

sindrome de hellp sequelas
Conheça agora um pouco mais sobre ela, seus sintomas e tratamento. Foto: Melindasomerville

O que é a síndrome de hellp?

A síndrome de hellp é um tipo de complicação obstétrica que possui muitas semelhanças com a pré-eclâmpsia (aumento da pressão arterial durante a gravidez, que normalmente se manifesta na segunda metade da gestação).

Receba notícias do Gestação Bebê. É grátis!

messengerFacebook Messenger

Tudo sobre gravidez e filhos pelo chatbot do Gestação para o Facebook Messengergestação botao

A síndrome coloca em perigo tanto a vida da mãe, quanto a do bebê, pois provoca edema agudo do pulmão, insuficiência renal e problemas no fígado.

sindrome de hellp sequelas
Foto: Today’s Parent

Sintomas

Em um primeiro momento os sinais da síndrome de hellp podem ser confundidos com o quadro da pré-eclâmpsia. As gestantes que desenvolvem a síndrome de Hellp costumam ter um ou mais dos sintomas a seguir:

  • -Mal estar constante.
  • -Dor de cabeça.
  • -Pressão arterial elevada.
  • -Vômitos e náuseas.
  • -Alterações na visão.
  • -Inchaço.
  • -Indigestão após comer.
  • -Sensibilidade abdominal ou no tórax.
  • -Dor no ombro.
  • -Dor ao respirar profundamente.
  • -Sangramento.
  • -Pressão alta.

Porém, a característica principal da síndrome de Hellp é a dor perto do início do estômago. As mulheres com predisposição para desenvolver a doença são as que sofrem de lúpus ou diabetes, complicações crônicas dos rins e coração.

A causa mais comum para o agravamento da doença, ou até ao falecimento, é a ruptura ou acidente vascular cerebral (edema cerebral ou hemorragia cerebral). Mas essas pioras, geralmente, podem ser evitadas quando tratadas antecipadamente. Se sentiu algum desses sintomas, consulte seu médico imediatamente.

Leia ainda: Desenvolvimento do bebê na barriga da mãe em um vídeo 3D.



Como prevenir a síndrome de Hellp?

  • Ainda não existe nenhum tratamento ou medicamento para para evitar a síndrome. A melhor coisa a fazer é:
  • -Procure-se na boa forma física antes de engravidar
  • -Tem consultas pré-natais regulares durante a gravidez
  • -Informe ao seu médico históricos de alto risco de uma gravidez anterior de síndrome Hellp, pré-eclâmpsia ou outros distúrbios hipertensivos.
  • -Compreenda os sinais de alerta e informe-os imediatamente ao seu médico
  • -Confie em si mesmo quando “simplesmente não se sentir bem”.
Foto: Roche Portugal

Tratamento

A síndrome de hellp pré é diagnosticada através de exames clínicos e laboratoriais, sendo necessário que ela fique internada para tratamento com um obstetra, pois ele fará o acompanhamento da gravidez. O tipo de tratamento varia de acordo com a idade gestacional da mãe.

  • -Menos de 34 semanas – injeções de corticoesteroides são aplicadas no músculo da mulher para desenvolver os pulmões do bebê e adiantar o parto.
  • -Após 34 semanas – é induzido o parto precoce para evitar o sofrimento do feto e a morte da mãe.
  • -Menos de 24 semanas – nenhum tratamento é eficaz e é preciso que haja interrupção da gravidez.

Logo, se você, gestante, apresentar alguns sinais e sintomas da síndrome de hellp, procure imediatamente um obstetra a fim de que ele faça o diagnóstico e tome as medidas cabíveis com objetivo de evitar que a doença evolua para um estado mais grave.

E então, como tem sido sua gravidez? Deixe seu comentário.

Síndrome de hellp na gravidez – Sintomas e tratamento
4 (80%) 3 votes

- Publicidade -

- Publicidade -

7 COMENTÁRIOS

  1. Assim que entrei na vigésima semana, minha pressão arterial começou a subir…
    Mas graças a Deus já está tudo bem!
    Já comecei a tomar remédio controlado, já estou fazendo tratamento em outro hospital (tratamento de risco)…
    Estou com 23 semanas.
    O início ocorreu tudo bem, não tive muito enjoo, não vomitei nenhuma vez…
    Minha gravidez está cendo bastante tranquila
    Agora estou contando cada segundo rsrsrsrs.
    Pra ver o rostinho da minha Luíza.

  2. Tive sintomas desse tipo na minha gravidez, acontece que não fui diagnosticada, estava “tudo normal” segundo a clínica geral do posto de saúde (SUS) que eu fazia meu pré natal… Eu passei mal desde que descobri a gravidez ate o momento do trabalho de parto, antes de entrar pra sala de parto vomitei. O mal estar matinal era algo horrível, acordava, minha pressão subia horrores, pés inchavam instantaneamente e eu tinha que correr pro banheiro pra por o líquido amarelo (biliar) pra fora… Fico arrepiada só de lembrar. Dores de cabeça também tive mas não todos os dias.

    Então, veja você: Poderia ter morrido, perdido meu bebê e não sabia de nada disso, pois segundo a tal Dra, eu estava ótima e esse mal estar era normal.

  3. Tive a sindrome de hellp com 31 semanas, tive sangramento nasal, cansaço e dor próxima estomago meu medico pediu repouso pois minha pressão nao havia subido, pôs em, uma semana depois subiu, as plaquetas cairám, problemas com cretiniza e fígado, o obstetra foi rapido e fez a cesárea, graças a deus nao tive complicações, minhas duas bebes nasceram bem, mas infelizmente uma faleceu por sepse com 7 dias o coração parou, mamães se cuidem, qualquer dor de cabeça que seja vá ao medico ou matenidade de plantão, e questionem sim, pecam exames , fiquem com Deus… Bis

  4. Eu Tive esse problema por sorte não morremos, as 31 semanas de gravidez. Foi algo repentino. fui submetida a uma intervenção ao fígado que começou a sangrar. Entretanto fui metida em coma durante 3 dias. Graças a Deus correu tudo bem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*