Reações da vacina no bebê

As vacinas são absolutamente necessárias para evitar diversas doenças, mas muitas vezes causam reações nos bebês, que não conseguem dormir direito, choram bastante e ficam com febre. Veja a seguir algumas dicas para lidar com isso e ajudar o pequeno sempre que ele tiver que atualizar a carteirinha de vacinação:

Reações locais

Todas as vacinas podem acabar provocando reações nas crianças. As reações mais leves, também chamadas de locais, são vermelhidão do local da aplicação e enrijecimento.

Leia ainda: Dicas criativas para contar o sexo do bebê

Reações sistêmicas

As reações sistêmicas são mais agressivas e se estendem por todo o corpo: febre, dor e irritabilidade.

Como ajudar?

A maioria dos pais sofre junto com os bebês quando os pequenos passam pelas reações das vacinas. Como eles podem ajudar seus filhos? Uma técnica desenvolvida pelo pediatra britânico Harvey Kemp está sendo cada vez mais usada nos Estados Unidos e simula as condições que as crianças tinham dentro do útero materno. O primeiro passo é enrolar o bebê em um cobertor confortável para que ele fique bem apertadinho, mas sem pressionar demais o local da vacina. O segundo consiste em segurar o bebê deitado, com a barriga para cima. O terceiro é ninar a criança, movimentando-a levemente no colo – vale falar palavras para que ela se acalme. Por fim, oferecer o peito ao bebê ajuda com que ele se sinta protegido e assistido.

Os passos podem ser repetidos várias vezes ao longo do dia, sempre que o bebê sentir dor e manifestar desconforto.

Remédios

Alguns médicos receitam analgésicos ou antitérmicos para serem ministrados logo após a vacina. No entanto, o mais indicado é que só sejam utilizados em casos de febre, pois podem acabar diminuindo o efeito da vacina. Lembre-se que a automedicação pode ser perigosa para o bebê, consulte sempre seu pediatra.

 

 


  • Add Your Comment

    *