Como tratar e diagnosticar catarata no bebê

A catarata é uma doença que na maioria dos casos está ligada à pessoas idosas. Por isso você pode ter se espantado ao ler o título dessa matéria. Mas é isso mesmo. Os bebês também podem ter catarata, inclusive em seus primeiros meses de vida. E, na infância ela é igualmente grave: é a principal causa da cegueira de bebês. Estima-se que 0,4% dos pequenos tenham catarata congênita. Os pais têm papel muito importante na descoberta da doença, por isso veja a seguir quais as causas e como detectar:

Quais as causas da catarata em bebês?

As causas da catarata nos bebês são muitas, dentre as quais anomalias de desenvolvimento e a hereditariedade. Outras causas estão ligadas a problemas de saúde que a mulher possa ter, como rubéola, toxoplasmose e sífilis.

Leia ainda: Com quanto tempo devemos tirar a mamadeira e a chupeta do bebê?

Foto: i.bssl.

Foto: i.bssl.

Sintomas

A catarata é uma doença que não oferece sintomas para os bebês, por isso pode ser muito perigosa. O diagnóstico tardio pode levar à cegueira, então é fundamental que ela seja identificada o quanto antes. Para isso, o cuidado dos pais com seus filhos é decisivo. Os pais precisam levar seus filhos para consultas periódicas com um oftalmologista. Durante as consultas, devem conversar com o profissional sobre a necessidades de fazer o exame biomicroscópico, capaz de fazer a detecção, já que ele raramente é realizado nas consultas envolvendo os pequenos.

Como é o tratamento?

O tratamento da catarata depende do estado e característica da doença. Se a catarata for parcial, seu tratamento pode ser feito de maneira simples com os seguintes métodos: colírios midriáticos, oclusão e óculos. Se a doença não for parcial, no entanto, é necessário realizar a cirurgia. A cirurgia pode ser feita ainda nas primeiras semanas de vida do bebê, o que garante maiores chances de sucesso e reduz as chances de complicações.