Bolsa Rota, o que é?

Nem sempre, ao final dos nove meses, a bolsa se rompe e a mulher entra em trabalho de parto. Em alguns casos, pode acontecer o que se chama de bolsa rota. Você já ouviu falar do problema? É importante que todas as gestantes saibam do que se trata para que possam identificar seus possíveis sintomas e alertar o médico. Veja a seguir todas as informações importantes sobre o assunto:

O que é bolsa rota?

Dentro do útero materno, o bebê fica envolto a uma membrana mergulhado no líquido amniótico, que é capaz de proteger a criança de impactos, quedas e infecções. Quando a membrana se rompe por completo, ao final da gestação, a mulher entra em trabalho de parto. Em outros casos, porém, a bolsa pode se romper parcialmente, o que caracteriza a bolsa rota. O problema pode acontecer em qualquer período da gestação.

Leia ainda: Dicas para fazer o bebê dormir a noite inteira

Sintomas

Os sintomas da bolsa rota são umidade vaginal excessiva – em alguns casos ela é capaz de molhar as roupas da gestante. Além disso, diminuição do líquido amniótico e abaixamento da barriga, o que acontece de uma hora para a outra. Ao perceber estes sintomas, é preciso procurar um médico. O profissional pode dizer que se trata de uma umidade normal, mas insista para que ele faça exames específicos se acreditar que algo está realmente errado.

Consequências negativas para o bebê

O rompimento parcial da bolsa pode fazer com que o bebê fique exposto a bactérias e infecções – o mesmo acontece com a mulher. Além disso, o parto prematuro é um risco.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

O que fazer?

Quando a bolsa rota ocorre ao final da gestação, o médico pode optar por realizar o parto. Caso o problema aconteça antes dos seis meses do feto, porém, o parto prematuro pode ser descartado e um tratamento para afastar infecções e desconfortos para o bebê será iniciado o mais rápido possível.