Aprenda a tirar o paninho do bebê

Os paninhos são companheiros inseparáveis dos bebês. Os pequenos os escolhem e não largam mais. Para dormir eles são fundamentais e muitas crianças não querem largá-los nem para ir para a escola – algumas vezes é até difícil lavá-los.

Os paninhos, na verdade, são muito importantes para os bebês. Eles oferecem apoio emocional e até substituem o colo materno. Veja a seguir até quando os bebês devem ficar com seus paninhos e quando devem largá-lo:

A retirada deve ocorrer aos poucos

Com o objetivo de tirar o paninho de seus filhos, muitas mães os escondem ou jogam fora de repente, o que pode deixar o bebê ansioso, manhoso e atrapalhar sua estabilidade emocional. Na realidade, é absolutamente normal que o bebê se ligue a um objeto externo, essa é uma necessidade das crianças.

 Leia ainda:

Até quando devem ser permitidos

Geralmente as crianças abandonam seus paninhos quando completam dois anos de idade, o que acontece de maneira natural. Tudo começa com a falta de interesse, redução do uso e depois o esquecimento. A partir daqui o bebê consegue expressar suas carências de outra maneira, com palavras por exemplo, não precisando mais dos paninhos.

Outro motivo que faz os bebês largarem os paninhos é a convivência com os amiguinhos na creche. Lá ele observa que seus colegas não usam mais e acabam por seguir o exemplo.

Momento ideal e desligamento gradual

O paninho nunca deve ser retirado em momentos de instabilidade emocional, como mudança de casa, ingresso na escola, separação dos pais, nascimento de um irmão.

Os pais não devem falar mal do paninho, e devem tirá-lo gradativamente. Por exemplo, se o pequeno deixar o paninho de lado quando for dormir ele deve ser premiado com um beijo ou abraço. Outra dica importante é não oferecer o paninho quando o bebê estiver manhoso, se ele já estiver deixando o objeto.